Header Ads

Furacão destruidor: Inacreditável e injusto, os deuses não permitiram os gols

Quem não viu pode achar exagerado, mas não há exagero. Resumirei com palavras do Levir : “Ainda bem que não tomamos o primeiro, o time se abalaria emocionalmente e o resultado seria inevitável”. Os números mostram o massacre: 16 finalizações, 10 com chances reais de gol contra 3 do peixe. Uma noite de sorte e milagres a favor dos santistas. Um dos resultados mais injustos que vi. Fabiano foi competente e ajustou perfeitamente o time, surpreendeu a todos mesmo sem contar com peças chave que poderiam decidir. 

Futebol com padrão europeu, toques rápidos, nada de jogar para trás, rápida retomada de bola e pacientemente sufocando o adversário. Aparenta estar acima da média e já faz parte de um grupo de renovação no mercado nacional que convenhamos, necessita se renovar com urgência, vive da mesmice há tempos. Raça e amor a camisa do primeiro ao último minuto, ninguém se entregou em campo. Mais de 700 Atleticanos presentes, um show. Acreditávamos que o Furacão tinha potencial para vencer na Vila. 

Se alguém me dissesse que atropelaria daquela forma, não acreditaria. E o atropelo começou no primeiro minuto, o Santos foi pra "roda", não via a cor da redonda, e quando perdia a posse, logo o Furacão retomava com a mesma intensidade. O gol parecia questão de tempo. Aos 9´ Nikão bateu cruzado a bola pegou no pé de Victor Ferraz e quase entrou, foi por pouco. Aos 11´ Nikão cruza, Braz tenta cortar e quase entrega, a bola iria sobrar para Ribamar, mas pegou no pé esquerdo de Braz caindo nas mãos de Vanderlei. A sorte estava com o peixe. 

Foto: Bruno Baggio / Site Oficial
Só aos 12´ o peixe chegou com Renato Oliveira que assustou. Após esse lance o Santos chegaria só aos 45´. 15´ Jonathan cruza e Ribamar chega atrasado. Aos 24´, 3 milagres em 40 segundos. Guilherme bate falta, Paulo André cabeceia e Vanderlei faz o primeiro. Na cobrança de escanteio, Fabrício cabeceia a queima roupa e Vanderlei faz o segundo. No rebote a bola atravessa a área e cai nos pés de Guilherme que dá um drible desconcertante e enche o pé, Vanderlei fica vendido no lance mas consegue no reflexo evitar o gol do Furacão, era o terceiro milagre. 

Inacreditável! Atleticanos atônitos sem entender porque a bola não entrou. Um domínio avassalador, um verdadeiro show. A bola sempre voltava para os pés Atleticanos e o Santos totalmente perdido via a chegada do Furacão lance após lance. 28´ Guilherme cobrou escanteio e Vanderlei de soco tirou a bola da cabeça de Paulo André. Aos 34´ Guilherme enfiou a bola entre as pernas de Veríssimo que, na minha opinião, cometeu pênalti, mas a arbitragem não marcou. Veríssimo deu um passo atrás e acertou nitidamente Guilherme, fora da área ele teria marcado falta.

37´ novos milagres a favor do peixe. Jonathan dá “meia lua” em Zeca, chuta forte e Vanderlei faz defesa espetacular, no rebote Sidcley chuta, escorrega antes e a bola acaba batendo no peito de Veríssimo que salva quase em cima da linha. Inexplicável. Só aos 45´ o Santos chegou com Copete. Segundo tempo iniciou, esperanças redobradas devido ao impressionante futebol do primeiro e o Furacão não decepcionou, dominou a partida e manteve a pressão. Aos 15´ o peixe chegou com perigo em contra-ataque com Jean Mota de cabeça. 

Foto: Bruno Baggio / Site Oficial
21´ Ederson no lugar de Ribamar. O Furacão persistia e o Santos se fechava. 22´ bola cruzada na área, Sidcley toca desequilibrado, a bola vai nas mãos de Vanderlei. 26´ Sidcley bateu de fora e Vanderlei, que fechava o gol, se esticou para outra bela defesa. Aos 27´ Nikão pegou rebote de um cruzamento e colocou na área, Jonathan cabeceou consciente, mas inacreditavelmente acertou a trave. Frustrante. 

28´ lance inacreditável, Jonathan cruza, a bola bate no pé de Ederson, Vanderlei evita o gol, ela sobra pra Sidcley que bate de primeira e o goleiro faz outra defesa maravilhosa com os pés. Aos 32´ a sorte deu as caras a favor dos santistas, cruzamento na área e o zagueiro do peixe corta sem jeito, a bola sobra fácil nos pés de Lucas Lima que arranca, passa para Ricardo Oliveira que cruza na medida pra Bruno Henrique empurrar para o gol. 1x0 peixe. 35´ Pablo no lugar de Sidcley. 37´ Lucas Lima bate com perigo. 

Aos 38´ Guilherme arremata de fora e Vanderlei faz bela defesa, na continuação do lance Lucho tabela com Guilherme que devolve na marca do pênalti para Lucho que isola. 42´ Rossetto dá lugar a Bruno Guimarães. Aos 43´ a certeza final de que a bola não entraria mesmo. Após cruzamento de Jonathan, Guilherme chuta, mas a bola desvia e passa rente a trave. Vanderlei já estava vendido no lance. Um jogaço de um time só. Um castigo, o Atlético merecia melhor sorte.Não destacarei o melhor em campo, pois todos foram fantásticos. 

Foto: Bruno Baggio / Site Oficial
Weverton sem culpa no gol. Paulo André e Thiago Heleno, soberanos, soberbos. Jonathan, partida extraordinária. Fabrício muito seguro, auxiliou muito bem na esquerda. Lucho praticamente anulou Lucas Lima, muita raça. Rossetto, dominou o meio. Guilherme brilhante, sem erros.  Nikão o mais raçudo. Sidcley, mesmo perdido no lado direito foi perigoso o jogo inteiro, teve 3 chances claras de gol. Ribamar, perdeu 2 grandes chances de marcar por parar no "meio do caminho", apareceu pouco, mas incomodou muito a zaga santista com seus deslocamentos.

Em tempo: Tirinhas valiosas

Técnico Fabiano Soares antes criticado e agora ovacionado. Tempo ao tempo torcedor, deixem o homem trabalhar. O time irá crescer no brasileirão. No seu esquema a bola corre rápido, toques rápidos sem frescuras e para frente, utiliza o campo todo, não só os lados, o time joga de forma consciente sabendo onde cada jogador estará presente. E falando em Brasileirão, o G6 poderá virar G9, dependendo dos títulos da Copa do Brasil, Sulamericana e Libertadores, esses torneios dão vagas automáticas para a Libertadores 2018, fiquem atentos.

Reclamações sobre o primeiro jogo não ter ocorrido na Arena e influenciado na desclassificação; discordo. No jogo da Arena pelo brasileirão, o Furacão havia encontrado as mesmas dificuldades e falhou quase da mesma forma, não acredito que o resultado seria diferente, a infelicidade de Weverton e a sorte exagerada dos santistas determinaram o ritmo daquele jogo. Lembrem-se: Lucho colocou uma na trave e uma bola certa de Nikão no gol, teve o desvio na ponta da chuteira do zagueiro. o Furacão merecia melhor sorte naquele jogo também. 

Libertadores, torneio que só se vence com participações contínuas, não irá demorar muito para estarmos em mais uma final. Só perde quem está lá disputando e o Furacão está começando a virar figurinha carimbada. Refrescando a cabeça do torcedor sobre participações: São Paulo 18 vezes, Grêmio e Palmeiras 17, Cruzeiro 15, Santos, Corinthians e Flamengo 13, Inter 11, Atlético MG 9, Vasco 8, Fluminense 6, Atlético Paranaense 5. Analisem as participações e os títulos e verão que ainda estamos no começo das disputas, logo seremos campeões.

Por: Robson Izzy Rock @Robson_IzzyRock

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.