Header Ads

Na sua volta pra casa, Rooney decide e Everton vence na estréia após 4 temporadas

Neste sábado (12), se iniciou a trajetória do Everton na Premier League, jogando em casa, no Goodison Park, contra o Stoke City. Depois de 4 temporadas, os Toffees voltaram a vencer em estréias na competição, a última vitória tinha sido contra o Manchester United em 2012/2013 por 1x0, gol de Marouane Fellaini, hoje no time adversário, na época o time ainda era comandado por David Moyes. O último encontro entre Everton x Stoke nesse estádio acabou 1x0 graças ao gol contra do experiente arqueiro Shay Given.

Mesmo com o jogo dos playoffs da Europa League no meio da semana por jogar, Ronald Koeman entrou com quase tudo que tinha de melhor em campo, já que Séamus Coleman só deve voltar de lesão apenas em janeiro. Entrou em campo com o esquema 3-5-2, adaptando o garoto Dominic Calvert-Lewin,  que é ponta de origem, a ala-direita, e foi muito bem jogando os primeiros 45 minutos por ali. Destaques para as estréias dos novos reforços pelo clube na PL de Davy Klaassen, Jordan Pickford, Michael Keane, Sandro Ramírez e Cuco Martina, e claro a reestréia de Wayne Rooney, de volta ao time após 13 anos.

13 anos depois, Rooney volta ao Everton. (Fonte: Twitter oficial do Everton)
Com o esquema de 3 zagueiros, os alas tiveram muita liberdade de atacar, principalmente Calvert-Lewin pela direita, fazendo dupla muitas vezes com Sandro, tabelando e fazendo jogadas no ataque. E em uma dessas jogadas, saiu o único gol da partida, Gueye tabelou com Rooney pelo meio, que passou para Sandro que deixou Calvert-Lewin em condições pra cruzar na cabeça de Rooney, sozinho no meio da área pra completar para as redes nos acréscimos do 1º tempo.

Rooney foi um dos destaques do time e deu a vitória na sua reestréia. (Fonte: Twitter oficial do Everton)
No 2º tempo, Koeman sacou Ashley Williams e colocou o lateral-direito Cuco Martina, deixando Keane e Jagielka na zaga, fechando uma linha de 4 na defesa juntamente com o Baines, mudando o esquema para o 4-3-3, deslocando Calvert-Lewin para a ponta-direita, onde protagonizou lances de perigo e penetrando muito na área, mas não aproveitou as chances que teve, como uma que roubou a bola de Zouma no ataque, entrou na área e concluiu para a boa defesa de Butland.

O jogo em si foi muito bem disputado, poucas chances reais de gol, apesar que o Everton teve mais a bola e concluiu mais à meta, o Stoke chegava mais em bolas alçadas na área ou chutes de longa distância, como o arremate de Darren Fletcher, mas sem muito perigo ao gol de Pickford, que só fez uma grande defesa no chute de Shaqiri de fora da área no 2º tempo.

A defesa foi bem segura quando foi exigida na partida de hoje, não permitindo que os Potteries produzissem tanto, forçando-os a chutar mais de fora e cruzar bolas, mas sem sucesso, enquanto os Toffees tentaram aumentar a vantagem, mas não conseguiram por não criarem tanto assim chances claras de gol, Klaassen não apareceu tanto para criar, Rooney mesmo jogando de centroavante, saía muito da área, flutuando pelo campo ofensivo, criando chances para os seus companheiros e abria espaços para os pontas e meias entrarem na área, que não aproveitaram as chances que ele criou.

(Fonte: Twitter oficial do Everton)

O Everton volta a campo pela Premier League apenas na segunda (21), fechando a rodada contra o Manchester City no Etihad Stadium, mas antes tem o jogo de ida da Europa League na quinta-feira (17), onde recebe o Hajduk Split, da Croácia pelos playoffs da competição, valendo uma vaga na fase de grupos.

Escalação: Pickford; M. Keane, Jagielka, A. Williams (Martina); Schneiderlin, Gueye, Klaassen (T. Davies), Calvert-Lewin, Baines; Sandro (Mirallas) e Rooney.

Autor: Artur Araújo 
Twitter: @artuur_araujo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.