Header Ads

Engasgado

    Não adianta negar nem tentar esconder, quando a Conmebol anunciou o confronto entre Fluminense x LDU, você ficou apreensivo, e também pudera, o retrospecto nos últimos jogos entre as duas equipes foram marcantes negativamente na história do clube. Dois vice-campeonatos, um em cada campeonato internacional do continente. Dois títulos disputados em pleno Maracanã lotado, com o mesmo roteiro e o mesmo fim.
    Ontem, 14 de setembro, em jogo válido pelas oitavas-de-final da Copa Sul-americana, reencontramos aquele que, no século, é o nosso maior algoz. A expectativa pré-jogo era a melhor possível, 20.000 mil ingressos vendidos antecipadamente, totalizando mais de 45.000 mil torcedores que, do início ao fim, empurraram o time.
    No primeiro tempo, logo aos 7 minutos de jogo, Gustavo Scarpa, relembrando seus grandes momentos com a camisa 10 do fluminense, abre o placar com uma bela cobrança de falta. Tudo indicava que seria mais um jogo tranquilo, que seria vencido sem esforços, mas não. Após o gol, o tricolor não conseguiu criar mais nenhuma chance clara de gol, mais do que isso, mal chutava à gol. o Flu enfrentava uma LDU muito diferente daquela conhecida pelos tricolores há 10 anos. Uma equipe que veio com um propósito claro e objetivo de não jogar futebol.
    A falta de vontade do time visitante somado a falta de eficiência do time da casa tornaram o primeiro tempo da partida monótono, seco. Na segunda etapa, almejando uma vitória mais elástica, o técnico Abel Braga promoveu a entrada de Sornoza, que depois de 4 meses, voltou a jogar ao lado de Scarpa. Porém, a substituição não teve o efeito esperado, a dupla não obteve o volume de jogo necessário para ampliar o marcador.
    Lá atrás, a zaga tricolor (composta por Nogueira e Frazan que entraram no lugar dos lesionados Renato Chaves e Henrique) começou a ter trabalho com Hernán Barcos que havia sido neutralizado na primeira parte do jogo. Mesmo com uma aparência mais aberta, a partida manteve seu aspecto truncado, com muitas faltas cometidas pelas equipes (16 de cada lado).
    Aplicando um total de 7 cartões amarelos, o juiz parecia querer tomar o protagonismo da partida para si. Sem um critério evidente, o juiz exagerava nas marcações e nas punições aos jogadores que reclamavam e se irritavam com a arbitragem a cada lance. Um destes jogadores foi Henrique Dourado, que após um lance casual de disputa de bola acabou recebendo um cartão amarelo que o tirou do jogo de volta, em Quito, na semana que vem.
    Com o resultado final de 1 a 0, o Flu leva a vantagem mínima para enfrentar a LDU em sua temida casa a mais de 2800 metros de altitude, com a responsabilidade de alcançar um feito não conseguido em 2008 nem em 2009: não ser goleado.

Foto retirada da página de Facebook Fluminense Football Club

ST
Caio Ramos

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.