Header Ads

O pesadelo acabou

Caros tricolores foram oito anos em 90 minutos, uma carga enorme de tensão e nervosismo nesse jogo de mata-mata decisivo e o Fortaleza saiu derrotado por 1 a 0, mas conseguiu o tão sonhado, almejado, desejado acesso à série B de 2018, exorcizando esse fantasma de vez e tirando um peso gigantesco das costas da nação tricolor. Semifinal diante do Sampaio Corrêa tem a ida marcada para o dia 2/10 às 20:45 na arena Castelão e a volta para o dia 7/10 às 17hs no estádio Castelão em São Luís. 

Foi a derrota mais doce e saborosa dos últimos anos, aliviando o coração da nação, que estava muito calejado, com tantos traumas e decepções (sobretudo dentro de casa), mas que nunca nesses 8 longos anos deixou de acreditar,apoiar o time independente da situação e merece comemorar  muito esse acesso. 

O jogo foi muito nervoso, com o time da casa pressionando desde o inicio e tendo aos 2 minutos um gol bem anulado e continuava atacando (principalmente do lado direito da nossa defesa), tiveram bola na trave e perderam chances claras de gol. Fortaleza conseguiu equilibrar na metade para o final, tocando bem a bola e tendo chances em jogadas rápidas de contra-ataque. Sofremos mais que o habitual na defesa, parecíamos mais nervosos e afobados que o normal.

Segundo tempo foi mais de ataque contra defesa, colocamos o regulamento "em baixo" do braço e esperamos o Tupi vir para cima e tentar algo na transição rápida. Zaga errou em alguns lances de bola aérea e permitiu uma pressão maior dos donos da casa. Tiveram mais um gol anulado, que na origem do lance estava irregular, mas no seu final não. Jogo esfriou e a vaga parecia garantida, mas, aos 36 minutos Fernando aproveitou o rebote e reascendeu a esperança dos mineiros. Depois disso, o jogo virou uma loucura e os traumas rondaram o imaginário do torcedor, mas apesar da pressão o jogo terminou e o acesso que estava escrito era nosso. Explosão de todos do elenco, que foram em direção à torcida, que invadiu Juiz de Fora e provou que o amor supera todas as distâncias, traumas e medos.

Como o futebol é imponderável, com o time mais desacreditado, limitado e criticado dos últimos anos, conseguimos o acesso, não chegamos como favoritos nessa reta final e a pressão que ainda existia era menor que a dos anos anteriores. Foi uma temporada com vários erros e imprevistos, mas o principal e primordial objetivo foi alcançado. Diretoria, comissão técnica (Paulo Bonamigo também faz parte disso) Antônio Carlos "Zago" e jogadores estão de parabéns por esse feito.
A mística da camisa tricolor pesou muito e o pensamento positivo de toda nossa torcida e de vários torcedores de times rivais (reconhecendo o nosso calvário) ajudou a alavancar esse time. 

 Vale ressaltar a importância de Marcelo Boeck, nosso goleiro e capitão, símbolo máximo desse acesso, tanto pelas suas atuações decisivas e primordiais quanto pela sua liderança e espírito, sua história de vida emocionante, escapou (Por não ser relacionado para a partida) da tragédia da Chapecoense no final do ano e agora vive essa redenção. Abraçou a nossa causa, com certeza tinha mercado e propostas de outros clubes, mas aceitou o desafio de subir esse time e agora foi coroado de forma espetacular. Parabenizar o elenco de uma maneira geral que se uniu no momento decisivo, absorveu todas as criticas, espantou a desconfiança

DESABAFO DO COLUNISTA 
Primeiro quero me desculpar por esse texto longo. 
Foram anos complicados e a ficha ainda não caiu. Ressaltar a torcida que não abandonou e jamais vai abandonar esse time, Mais de mil tricolores estiveram em Juiz de fora, encarando mais de 2400 km de viagem, mas, cada um com seu sonho, trauma e esperança na bagagem. 
Parabenizar o Tupi, que foi um belo adversário e que valorizou mais ainda esse nosso acesso.
Muitos vão esnobar e tentar diminuir a nossa comemoração pelo acesso, mas, sintam-se na nossa pele, oito anos sendo chacota estadual e muitas vezes nacional, lotando o estádio e sentindo a vaga escapar das nossas mãos de forma traumática e dolorosa, vendo times de menor expressão subir e nos estagnados, perdendo visibilidade, patrocínio, cotas e prestígio nacional. O amor pelo Fortaleza nesse tempo todo aumentou mais ainda e nos tornamos mais unidos. Essa torcida merece muito esse acesso. 
Que essa jornada sofrida que começou em  21 de Novembro de 2009 e acabou em 23 de Setembro de 2017 sirva de lição e aprendizado para um Fortaleza mais forte, coeso e profissional, lutando por objetivos maiores. 
Centenário está salvo e promete ser de muito trabalho e empenho. 

JUNTOS CONSEGUIMOS O ACESSO
#BORALEÃO 
 Por : Gabriel Viana 
Twitter : @SerieBvoltei /@SITELF 

Abaixo fotos da comemoração e o maior personagem desse acesso. 
O acesso passou pelas mãos de Marcelo Boeck. (Tatiana Fontes / Opovo.com.br) 



Jogadores comemorando a vaga após o apito final.(Fabio Lima / Opovo.com.br)
Torcida tricolor ''invadiu" Juiz de fora e comemorou o acesso.  (Raphael Lemos)


2 comentários:

  1. Saudações carijós, meu amigo Gabriel! Parece que previ isso antes: torci pelo acesso do FEC ano passado e lhe disse que não queria enfrenta-los - talvez, se não fosse contra vocês, poderia ser diferente pra nós. E mesmo não tendo conseguido o objetivo, estou satisfeito com o meu time e com a minha torcida. Acho que mudamos a opinião de muitos da impressa daí, que davam como certo o acesso do Fortaleza, disseram que o Tupi não tinha torcida, que teriam mais torcedores tricolores, etc. Poderíamos ter revertido o resultado e apoiamos o time até depois da derrota. Também não estou satisfeito com a arbitragem, mas enfim, fico feliz por você. Parabéns pelo acesso e aproveite da melhor maneira possível!

    ResponderExcluir
  2. Que honra irmão ter seu comentário aqui. Saiba que o Tupi foi um adversário muito duro e que valorizou muito a nossa vaga. Vocês tem um time bem arrumado e com um pouco mais de sorte irão conseguir seus objetivos. Foi de igual para igual! Saudações tricolores!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.