Header Ads

Êpa, êpa! Os três pontos ficam!

Diante de outra equipe Gaúcha, o Galo precisava demonstrar seu devido valor. Desta vez em casa, a expectativa era de uma boa vitória e os três pontos garantidos na tabela. Mas o Juventude não demonstrou ser uma equipe fácil de ser batida, teve o controle do jogo, porém, não adiantou. Sendo efetivo em sua proposta de jogo, o Galo obteve a vitória com dois gols.

O jogo

Ter volume de jogo pode lhe favorecer bastante quando você busca o resultado. Mas também pode ser um grande problema quando os passes são executados sem nenhum rumo ou estratégia por trás. Mesmo tendo a bola em seu domínio, a equipe de Caxias do Sul não mostrava efeito algum.
Segundo o SofaScore, o Juventude obteve 62% de posse de bola. Uma taxa alta de passes e também de perfeição nos mesmos, errando poucos. Mas finalizou menos que o Galo.
Com um belo gol no primeiro tempo, após cruzamento de Danilo Pires pela direita e execução magnífica de Zé Carlos de cabeça, o Galo abriu o placar aos 20'. Após isso, a equipe visitante começou a gastar a bola, trocando passes excessivamente. Chegou pouco ao gol, finalizou pouco também. Se esperava mais neste quesito. Uma vitória deles poderia aproximá-los do G4 e deixar a equipe com uma distância curtíssima de quatro pontos do Paraná.
Foto: Ailton Cruz
Mas não adiantou em nada. O Galo conseguiu anular as jogadas, mas se perdia no meio de campo e quando deixava os jogadores irem ao fundo, não dava certo. Tony entrou, mudou a cara do time já aos 24' da segunda etapa. Mais rápido, e mais preciso que Danilo Pires (jogador que saiu para sua entrada), consertou o problema de transição para o ataque e abriu totalmente o jogo nos contra-ataques.
Já no fim do jogo, no desespero, a equipe Gaúcha abriu a guarda e foi toda ao ataque. Esquecendo da defesa, não tinha como recompor tão rápido já nos acréscimos do jogo. E foi assim que o Galo conseguiu quebrar de vez o adversário. Tony recebeu em velocidade, e deu belo passe para Edson Ratinho. O jogador disputava a bola na corrida com o goleiro adversário, porém ambos estavam corriam em direção contrária, mas no mesmo sentido. A bola estava em disputa, e Ratinho chegou mais rápido, adiantou a bola e sofreu um contato que foi o suficiente para o árbitro marcar pênalti.
Tony foi para a cobrança e marcou o gol. Bola de um lado, goleiro do outro aos 49'.

Próximo compromisso

O próximo jogo do Galo será contra o Guarani às 18h no sábado (11). Confronto direto que terá o retorno de Neto Baiano no ataque. Olívio ainda é dúvida para a partida.

Bons públicos com promoção

Os jogos com uma promoção acessível de R$ 10 trouxe o torcedor de forma surpreendente. A fase não era boa, e um ingresso que era cobrado na boa campanha não deveria ser mantido. A opção foi colocar em um preço acessível. Nos quatro jogos realizados no Rei Pelé, houve um público total de 40.084 presentes. Uma média de 10.021 pessoas nestas partidas. O que mostra a direção que até neste quesito deve ser feito um planejamento para o próximo ano no Campeonato Estadual, onde se tem o maior prejuízo.

Um comentário:

  1. AQUI É COMANDO PORRAAAA! TMJ
    "CHAMA O SAMU, CHAMA O SAMU, DESDE 93 OS CAÇADOR DE CU AZUL🎶"

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.