Header Ads

Um ponto precioso: Guarani respira após empate fora de casa



Na noite da última terça-feira (7), o Bugre entrou em campo contra a equipe cearense e conquistou o empate por 2 a 2 (resultado idêntico ao do primeiro turno). O Guarani que necessitava da vitória enfrentou o Ceará que também necessitava dos três pontos para ir garantindo o acesso à elite do futebol brasileiro. Uma noite de tensão para o torcedor bugrino que não pode sonhar em derrotas nessa reta final da série B.

O contraste entre primeiro e segundo turno transformou o cenário favorável ao acesso, para bem próximo ao fantasma do rebaixamento. Com a quinta mudança de técnico para o time alviverde, Lisca chegou para reabilitar o elenco e consertou a parte mais deficiente que tínhamos há rodadas atrás: o psicológico. 

O Guarani estava entrando no jogo, mas sem finalizações, sem chances de perigo aos adversários, a equipe temida dentro de casa passou a ser como uma mãe. Foram muitas chances perdidas, muitos jogos com pontuações zeradas para o Guarani. Com uma das piores campanhas do segundo turno, o desespero entrou em campo. 

Algo precisava ser feito e as manobras de Marcelo Cabo, foram insuficientemente capazes de reagir. O time ficou por longas e maçantes rodadas com o sinal de alerta disparado! Mas com o Guarani não se brinca, não se duvida e não se desacredita. Ainda levamos o lema de "1% de chance, 99% de fé" e assim se fez, a recuperação já começou.

Créditos: Divulgação Ceará SC
O regime foi quebrado na partida contra o Juventude, em casa, ganhando por 2 a 0. A sequência está sendo agradável por mais que depois da vitória, tenham vindo dois empates e uma derrota. Mas tratando dos adversários enfrentados, o resultado é positivo. Goiás, América-MG e Ceará que estão fortes nesse segundo turno.

As equipes estão lutando contra o tempo porque ainda não há uma definição clara de quem sobe e quem desce, pelo contrário, faltando pouquíssimas rodadas para o término do campeonato e ainda é arriscado afirmar os oito que sairão da tão equilibrada série B. O campeonato veio embolado no primeiro turno e no segundo, houve uma vantagem e desvantagem nos extremos da tabela.

Matematicamente, nada definido, há aquela chance mínima (quase nula) em reverter o extremo sul da tabela. O Guarani que poderia ser um candidato a quarta vaga, está se firmando e deixando, aos poucos, sua permanência enraizada. Ainda depende só do Guarani para suspirar aliviados e começar a pensar na série A2 do campeonato Paulista.

Créditos: Lucas Moraes/CearaSC
Ainda sobre o jogo da noite de ontem, a arbitragem chamou atenção para a partida marcando muito e uma chuva de cartões amarelos e até vermelhos surgiram nos noventa minutos. Ceará teve muitíssimas chances de bola parada, mas Leandro Santos se saiu bem, conseguindo deixar o placar favorável para o Guarani. Um lance que deixou os cearenses com a pulga atrás da orelha foi o gol anulado no segundo tempo, no qual deixaria a partida em 3 a 2, em contrapartida, houve um pênalti não dado para a equipe visitante.

O primeiro gol saiu no início do jogo, deixando a torcida eufórica e preocupada, mas depois do cabeceio de Jussani na pequena área, a bola atingiu o braço do zagueiro e penalidade máxima para equipe Bugrina. Nazário seguiu pra cobrança e deixou tudo igual, bateu no cantinho e a bola morreu no fundo do gol, tranquilizando à todos e dando gás para continuar na luta pela vitória. 

O empate estava ótimo, mas o Guarani vinha com sede de vitória e, novamente, Jussani foi destaque do lance e marcou com um cabeceio impossível para o goleiro. Daí veio a reação incessável do Ceará, eles queriam reverter essa situação de qualquer maneira e o empate veio no final do segundo tempo. Um placar agradável para o Guarani e revoltante para o Ceará que sentiu muito pela anulação do gol no final da segunda etapa. 

Créditos: Lucas Moraes/CearaSC
Ficou mais delicada a situação do Guarani após a expulsão do autor do primeiro gol. Após cobrança do meia para o árbitro fazer a marcação, ocasionou em um cartão vermelho. Com um homem a menos, a situação ficou complicada, mas o Guarani lutou e não deixou a bola entrar e com isso trouxe um ponto muito importante para Campinas nessa etapa final que só depende do bom desempenho da equipe.

Esse jogo, poderia ser para Fumagalli chegar no segundo tempo para nortear a equipe e criar algumas chances favorecendo a equipe de Campinas, mas Lisca escolhe Kevin para entrar em campo. O empate foi um resultado extremamente importante para o Guarani. Na décima quinta posição, já se pode respirar um pouco. Mas nos dois últimos jogos em casa, a garra deve ser o nosso sobrenome. 

A próxima partida é contra o CRB, em casa. Do mesmo jeito que a equipe alagoana vem atrás de vitória, precisamos dela também. As expectativas são grandes para que os três pontos fiquem no Brinco de Ouro, afinal, a fase é boa e o time fará o possível e o impossível para o resultado ser a vitória. Enquanto isso, aguardamos o rival na série B em 2018.

Por: Letícia Martins (@leleehnmartins)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.