Header Ads

O FUTURO CAMPEÃO VENCEU O 1º JOGO DE 2018

Confiança e fé! Assim começa a temporada 2018 para mim. E o primeiro confronto foi contra quem considero (fora Londrina) o melhor time do interior no momento. Se manteve em atividade o ano passado inteiro, tem entrosamento e jogadores experientes para enfrentar o Furacão recheado de novidades e garotos da base. Ouvindo a Transamérica na sexta, notei a mudança de opiniões de diversos jornalistas quanto ao método empregado pelo Atlético em utilizar o Campeonato Paranaense. Todos estão a favor e admitiram que o Atlético sempre esteve certo, que é bem-sucedido por adotar essa política.

Comandado pelo técnico Tiago Nunes o Furacãozinho esteve sempre muito bem postado, bem distribuído, com jogadas ensaiadas e lances alternativos, muitos chutes de fora da área, lançamentos quase sempre precisos e obediência tática.Foram muitas chances de gol criadas. Geralmente o torcedor mede o domínio de uma partida pela quantidade de gols feitos, mas não é bem assim. Temos que levar em consideração várias coisas aqui, a falta de entrosamento, o reinicio de temporada, a idade do elenco, a pressão exercida logo de cara, a inexperiência em campeonato profissional, etc. Quanto ao jogo, o Furacão começou a todo vapor, já mostrando a que veio. 


Yago a 2 minutos cobrou falta para uma bela defesa do goleiro. Aos 3´ Deivid aproveitou sobra e caindo empurrou para as redes, Furacão 1x0. Saliento que poucos sabem o que Deivid passou nos últimos 2 anos, poucos sabem que faltou pouco para ele desistir da profissão e poucos sabem o quanto é merecido esse retorno e esse triunfo no jogo, inclusive a braçadeira de capitão. Deivid merece todo nosso apoio, pois lutou incondicionalmente para continuar na carreira, faço votos que continue dando a volta por cima.


O 1x0 não esfriou o Furacão que insistiu no ataque, criou vários lances de gol e poderia ter ampliado. O Maringá também era perigoso nos contra-ataques. Aos 17´ uma falta fora da área foi marcada como pênalti contra o Furacão, demonstrando que a arbitragem paranaense começou cedo com as manipulações de resultados. Na cobrança, Bruno Batata empatou. A garotada “sentiu” o empate e o time demorou um pouco a engrenar. Mas logo começaram a bombardear a meta maringaense. Aos 45´ Ederson marcou, mas o juiz anulou e ainda não sei se marcou falta ou impedimento no lance ou o que ele encontrou para invalidar o gol Atleticano.

No 2º tempo o Furacão foi pra cima e bombardeou ainda mais a meta do Maringá. O goleiro Maringaense promoveu várias belas defesas e evitou que o Atlético voltasse a frente do placar novamente. Demethryus e Giovanny deram lugar a João Pedro e Felipe Dorta. E “água mole em pedra dura”. Após tanto martelar, aos 33´ Felipe Dorta cobrou falta, a bola desviou na barreira e entrou. 2x1 para o Furacão começar bem o ano. Logo após o gol, Bruno Guimarães que fez uma partida impecável, saiu para a entrada de Guilherme Rend. O Furacão ainda tentou ampliar mas ficou mesmo no 2x1.

A vitória é o combustível essencial para um trabalho seguir bem. No todo o time foi muito bem e muitas peças agradaram ao torcedor em geral. O jogo foi bom, houve dedicação e o placar não mostra realmente o que foi a partida. Próximo jogo é contra as “galinhas” no galinheiro deles, vamos buscar mais 3 pontos essenciais na caminhada rumo ao título paranaense. Seremos os campeões de 2018. Quem viver verá!

Em Tempo: Tirinhas Valiosas

Coxa colocou ingressos a valores de R$ 100,00 e R$ 50,00 (inteira) e R$ 50,00 e R$ 25,00 (meia), dependendo do setor. Mesmo sendo rebaixados novamente, seu torcedor que não dispõe de teto retrátil, nem de time de Série A, nem luxo e conforto oferecidos na Arena, compareceu em bom número quase superando o Atlético. No Atlético foi praticado apenas um valor de ingresso R$ 60,00 (inteira), R$ 30,00 (meia) e R$ 30,00 (inteira) nas trocas por timemania. No estádio coxa, público total de 6.470, enquanto no estádio Atleticano 6.515. Depois não querem serem chamados de falacianos. Fica a dica e o recado!

Respeito é moeda de troca, mas sensatez é primordial. Nada justifica a pessoa comparecer de verde na Baixada. Não é questão de cores, é questão de rivalidade futebolística. Nada tem a ver com o "pessoal" e sim com a tradição! Há 90 anos atrás, já não era aceito dentro de um estádio, agora muito menos o será! Das duas uma: Fez para provocar ou fez para aparecer! Será que agora teremos que colocar placas escrito “Não entre de verde na Baixada”? Como disse um internauta no Twitter: "Que eu saiba você não vai há um casamento com roupa de banho e se for será retirado". Não tenho nada contra, mas muitos têm, então melhor é prezar pela própria segurança!

Melhores momentos do jogo



Por: Robson Izzy Rock @Robson_IzzyRock 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.