Header Ads

O cúmulo do absurdo

Uma verdadeira batalha nesta tarde de sábado em Murici. No Estádio José Gomes da Costa, o que não faltava eram reclamações. A condição do gramado, o preço dos ingressos, a bola que estava murcha, integrantes da comissão técnica do Murici expulsos. Até ídolo do CRB foi expulso. Índio foi goleiro do Galo no início dos anos 90, sendo então um dos maiores goleiros da história do clube. Hoje é treinador de goleiros do Murici.


Foto: Jaílson Colacio
Análise sobre a partida

Certo que a equipe hoje foi praticamente reserva, até o goleiro mudou desta vez. Foi o terceiro jogo do CRB como visitante no estadual, já venceu e perdeu, mas agora empatou. Não é também a primeira vez que o gramado impossibilita uma melhor atuação dos jogadores. Contra o Treze e Dimensão Saúde foi assim.
Rafael Bastos e Ruan eram os jogadores que mais chegavam com perigo. O problema em si era que Rafael Bastos não conseguia efetividade nem no chute, no drible e até no domínio da bola. A fase do camisa de número 10 do Galo não é nem de longe uma das melhores.
Enquanto o camisa 10 ia de mal a pior, o número 11 conseguia ser perigoso. Ruan foi o principal nome do Galo na partida. Foi ele que buscou o jogo e criou as principais jogadas. O CRB tinha até hoje o melhor ataque do país, mas foi superado pelo ABC, o que nestas últimas semanas vem sendo uma boa briga pela liderança. 
Novamente o Galo peca nas finalizações e sai com um péssimo resultado. Hoje não faltou só a qualidade na finalização, mas sim a cabeça erguida, um passe ao invés do chute tosco.
Muitas vezes era chegar no ataque e inventar. Mesmo tendo opções de passe, os jogadores optavam por finalizar ou inventar um cruzamento ou drible. Quem mais fez isso foi Rafael Bastos. Sempre ele.
Ayrton desperdiçou uma oportunidade de ouro em um contra-ataque no segundo tempo, podendo tocar para Ruan, que estava livre.
Willians foi lançado ao jogo, assim como Neto Baiano e Leílson. A expectativa era uma maior mobilidade no meio-campo, velocidade e opções no ataque.
Mas nada dava certo, e o placar de 0 a 0 insistiu até o fim do jogo.

Ficha técnica

Edson; Ayrton, Everton Sena, Anderson Conceição e Diego; Feijão, Serginho, Claudinei (Leílson) e Rafael Bastos (Willians); Ruan (Neto Baiano) e Marcão.
Técnico: Mazola Júnior

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.