Header Ads

Martín pega três pênaltis e leva o Vasco à Libertadores

Se todo mundo pensava que estava tudo resolvido, que a goleada por 4 a 0 em São Januário seria suficiente para classificar o Vasco para a fase de grupos da Libertadores, todo mundo estava completamente enganado.

Foto: Divulgação/Vasco 


Jogar na altitude de 2.810 metros não foi fácil, mas sofrer três gols em 16 minutos foi ainda pior. A chuva de gols relâmpagos do adversário da noite, Jorge Wilstermann, começou aos cinco minutos, Serginho cruzou e Zenteno cabeceou para marcar o primeiro. Já na saída de bola o Vasco tomou o segundo, aos seis minutos, outra cabeçada, dessa vez de Pedriel, sem chances para o goleiro Martín Silva.

O Vasco começou a sentir a pressão, mesmo com dois gols ainda “na frente”. Enquanto a equipe carioca tentava se achar dentro de campo, o Wilstermann não dava espaço, botava pressão. E aos 16’ veio mais um gol, Chávez conseguiu escapar do zagueiro Ricardo e marcou mais um, para desespero vascaíno.

O segundo tempo teria que ser diferente, mais um gol boliviano e a disputa iria para os pênaltis. E o Vasco tentou. Entrou melhor, conseguiu por algum tempo dominar o jogo, fez boas jogadas e Martín boas defesas, mas não foi o suficiente. Aos 15’ o Vasco ficou com um a menos em campo, Thiago Galhardo foi expulso por dar uma bolada do meia da equipe adversária.

Foto: Divulgação/Vasco


Aos 25’ da segunda etapa, a equipe a Bolívia fez o gol de empate. Mais uma cabeçada, mais um gol de Zenteno, o gol que zerou a partida, que empatou o placar agregado e que fez os vascaínos surtarem de nervoso. O jogo iria para os pênaltis!

E foi nessa hora que toda a pressão recaiu sobre o salvador da noite, o ídolo vascaíno que sempre dá um show, Martín Silva. O Uruguaio se manteve concentrado, visivelmente tenso, mas todos confiavam nele. E as expectativas foram alcançadas. Martín pegou três pênaltis! O destaque da noite, o amado da torcida, mais ídolo que nunca.

Além das três cobranças que o goleiro pegou, Rios, Pikachu e Wellington marcaram para o Vasco, dando a vitória para a equipe carioca. Essa foi a pior derrota que o Cruz-maltino já sofreu em uma Libertadores, antes dessa goleada, o time tinha perdido de 3 a 0 para o Boca Juniors (AG), na Libertadores de 2001. Mesmo com a vergonha o Vasco passou e está classificado para o grupo 5, a “chave da morte”.

Na próxima etapa da competição, o time carioca enfrentará os chilenos da La U, em São Januário, no dia 13 de março. Mais à frente irá enfrentar o Cruzeiro, o Racing e o Universidad de Chile.

Um comentário:

Tecnologia do Blogger.