Header Ads

De volta à realidade



A onda de invencibilidade e de bons jogos foi boa enquanto durou. Nossa ilusória conquista da Taça Rio com categóricos três gols no Botafogo deixaram até o mais pessimista dos tricolores com esperança de conquistarmos o Campeonato Carioca. O fraco Vasco, desfalcado, jogaria contra nós precisando de vencer. Quis o destino que a vitória deles ocorresse da pior maneira possível.

É de praxe no futebol querermos apontar culpados pelas derrotas. No meu ver, entretanto, é difícil condenar o time pela eliminação aos 50 minutos do segundo tempo. Os erros que o time cometeu para tomarmos os gols não foram surpresa. Alguém achou estranho Richard tomar uma caneta? (Talvez o estranho tenha sido ele não ter cometido uma falta logo depois.) Algum torcedor se espantou ao ver Renato Chaves cortando a bola para o meio da área? Julio Cesar se jogando para um lado que só ele viu que a bola iria, foi novidade? Abel sem opção no banco, também pegou alguém desprevenido?

A questão é que não adianta ficarmos aqui lamentando uma inversão de lateral. Perder ontem já estava determinado desde o começo do ano quando a direção escolheu esses jogadores para disputarmos um campeonato. A contratação de atletas é de urgência vital. O problema é ver no noticiário do clube que um atacante da Cabofriense está sendo cogitado. É desanimador.

Nosso próximo jogo só acontece em 11 de abril contra o Nacional de Potosí, em casa. Não considero a eliminação uma chance de treinarmos mais, porque esse time já está jogando no seu limite. As partidas contra Flamengo, Botafogo e os 94 minutos contra o Vasco foram de um time que tem garra, vontade de ganhar e comprometimento. Não dá para cobrar mais deles.

A cobrança mais uma vez recai em quem comanda o clube. Quase uma década à frente do clube, o grupo político Flusócio continua sem resolver o problema do clube com as dívidas. Não existe nem mais a possibilidade de eles usarem a desculpa de herança maldita. O que o Fluminense passa hoje é de responsabilidade deles. Nosso provável rebaixamento esse ano, será culpa deles.

Qual a direção, Abel?
Foto: Lucas Merçon/FFC


Deixo por último uma ressalva com relação ao Pedro. Tão criticado por mim e pelo outro colunista tricolor, Wenceslau, ele foi um ponto lúcido no time ontem. Os volantes não acertavam passes, Sornoza só dava toque para o lado, mas Pedro se apresentou bem. Talvez meu amigo Caio, o colunista que completa o Triunvirato Tricolor nesse site, tenha razão em cravar que o nosso centroavante terá um ano igual ao do Ceifador no ano passado. Quem tiver coração para aguentar até dezembro, verá. Talvez eu não veja.

Saudações Tricolores

Matheus Garzon

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.