Header Ads

Manchester ainda é vermelha

Jogadores foram contidos por seguranças ao comemorar
com a torcida após o jogo
Foto: Instagram - @manchesterunited

Poucas vezes o termo "colocou água no chope do rival" foi tão válido para definir um jogo como o que vimos hoje (07/04) em Manchester. Há apenas uma vitória do título da Premier League, o City que sequer havia perdido uma partida dentro de casa na temporada, viu o triunfo escapar em apenas 24 minutos na segunda etapa e o United de Mourinho, marcado pela postura patética nos jogos grandes, dessa vez mostrou que não importa o momento nem a situação, a cidade de Manchester tem dono e cor. Manchester ainda é vermelha!

O JOGO

Se por um lado Mourinho frustrou os torcedores Red Devils ao ser eliminado em casa pelo Sevilla nas oitavas de final da Champions League, o português pode relacionar força máxima para o clássico, já Guardiola, proporcionou frustração semelhante ao tomar um verdadeiro baile do Liverpool nas quartas. E pensando muito no jogo da volta, deixou jogadores como Gabriel Jesus, Walker e De Bruyne no banco de reservas.

Entretanto, apesar das mudanças, o que se viu nos primeiros 45 minutos foi um atropelo dos citizens. Mesmo vendo o rival adotar uma postura mais agressiva na marcação, controlou o jogo sem sofrer e abriu o placar aos 25 minutos com o capitão Kompany em cabeçada fulminante.

E 5 minutos depois, Gündogan recebeu dentro da área, girou bonito e dobrou o marcador para os donos da casa. O tento atordoou o United que em poucos minutos, viu Sterling perder duas chances incríveis, que possivelmente poderiam ter dado outro rumo a partida antes do intervalo, mas o placar parou em 2-0.

O SEGUNDO TEMPO TEVE DONO: PAUL POGBA

Após ouvir criticas durante toda semana, Pogba decidiu o jogo
Foto: Instagram - @manchesterunited
Após ter passado 45 minutos sem chutar uma bola ao gol, escutado "olé" da torcida rival e ver o adversário soberano dentro de campo, até o torcedor mais otimista Red Devil entregaria a taça ao Manchester City. Mas o que se viu na segunda etapa, foi uma inversão de papéis das equipes e um jogador do lado vermelho chamando a responsabilidade que lhe foi imposta desde o início da temporada.

Logo aos 8 minutos, numa linda jogada que contou com passe de Alexis para Herrera dentro da área e uma belíssima ajeitada de peito do espanhol para Pogba finalizar com precisão e diminuir o placar. 97 segundos depois, o francês recebeu um cruzamento primoroso do Sánchez e de cabeça, calou o estádio empatando o duelo.

Depois do empate, os comandados de Guardiola até tentaram reagir, mas a postura do United era implacável e com mais um cruzamento de Sánchez mas dessa vez para Smalling, os diabos vermelhos viraram o jogo para surpresa de todos no estádio.

Ao se deparar com a derrota, Guardiola lançou de uma vez Gabriel Jesus e De Bruyne do banco e minutos depois, promoveu a volta aos gramados se Sergio Agüero, mas nenhuma das alterações surtiu muito efeito no time e mesmo quando chegou ao ataque, parou em David De Gea. Vitória histórica do Manchester United.

COPO MEIO CHEIO OU MEIO VAZIO?

Vice campeonato inglês encaminhado, eliminação precoce nas oitavas de final da Champions League, e mais inesperada ainda nas quartas de final na Copa da Liga para o Bristol. A reta final de temporada, tinha tudo para ser amarga para os torcedores Red Devils, restando apenas uma semi final de Copa da Inglaterra por vir, contra um Tottenham em momento muito melhor.

A equipe de José Mourinho embora tenha atingido a maior pontuação da história desde a saída de Alex Fergusson, acumulou atuações horrorosas, eliminações doloridas e o mínimo que devia ao seu torcedor, era uma partida digna contra o rival da cidade. E com 45 minutos de atraso, ela veio.

Nada disso apaga o título incontestável do Manchester City e sequer as decepções do lado vermelho, mas mostra ao torcedor, uma postura (e principalmente um futebol) que se mantidos assim durante toda uma temporada, com certeza culminarão em resultados diferentes dentro de campo.

José Mourinho que possivelmente terá carta branca para dispensar e contratar jogadores de sua preferência, pode começar pensar a temporada 2018/19 a partir dessa partida memorável, porque apesar de todas as desconfianças que pairam sobre o técnico, o torcedor tem uma única certeza: Manchester é vermelha!

Pedro Ramos  |  @PeeRamos_



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.