Header Ads

Voltei aqui!!! E para variar, o Fogão venceu e é líder

Eis que depois de um grande tempo de recesso, volto para falar daquilo que mais me faz feliz dentro da função que quero seguir: escrever sobre o Botafogo. Mais do que isso. Escrever sobre o Botafogo para o Linha de Fundo. Fenomenal!

Não estive por aqui durante o Campeonato Estadual, onde os problemas nada harmoniosos da parte emocional da minha vida, me fizeram submisso de mim mesmo durante muito tempo. Juntando-se a isso, o 5o termo da faculdade em coalizão com o trabalho, e as datas apertadas do calendário acadêmico. Tudo isso não é, e não pode ser desculpas, mas me afastou daqui.

Antes de falar sobre a partida citada no título, é preciso relembrar o que foi o Botafogo antes de chegar no último sábado (21), e vencer o Luverdense pela 2a rodada do Campeonato Brasileiro da Série C.


Inicio de ano.
O Pantera começou o ano com o Paulistão, e mais uma vez, como vem virando de praxe para o torcedor do Tricolor, a obrigação moral de se classificar para a próxima fase da competição estava viva. Não tanto pelo fanatismo exacerbado que faz qualquer torcedor cobrar isso de seus jogadores, mas principalmente pelos altos investimentos mais uma vez feitos.

Comandados por Léo Condé, técnico jovem e com passagens por times intermediários do país com sucesso, o Fogo conseguiu dentro de muita oscilação, firmar uma boa campanha que acabou por lhe credenciar ao mata-mata do Estadual. Resultado esse que era esperado por todos dentro do clube. Um desfecho diferente, poderia causar as primeiras dispensas.

Entretanto o filme dali em diante repetiu a sina mais uma vez. O Bota até que alternou bons momentos nos jogos contra o Santos, tanto dentro de Ribeirão Preto como na Vila Belmiro, mas quando o jogo foi para os pênaltis a balança pendeu para o lado dos santistas. Acostumados com a pressão do momento, e fisicamente mais preparados, o Santos se classificou para a fase seguinte – com muitos erros nas penalidades, duas para os donos da casa e três para os visitantes – onde logo após cairia para o futuro vice-campeão Palmeiras.


Começo da Série C.
Eis que chegava a menina dos olhos para o time de Ribeirão. O Brasileiro da Série C, competição que o Pantera disputa pela terceira vez consecutiva é a grande prioridade da diretoria e dos torcedores para o ano de 2018 – ano do centenário do clube – e onde o time deve apostar todas suas fichas.

O Bota após o final da campanha no estadual, começou a planejar a montagem do elenco para a competição nacional. Destaques da equipe que foi eliminada pelo Santos, como o goleiro Tiago Cardoso, o defensor Peri, e o atacante Cafu, foram uns dos que acertaram a permanência para o segundo semestre, além do treinador Léo Condé.

Outra mudança significativa e controversa nos bastidores botafoguense, foi a transformação do departamento de futebol em sociedade anônima (S/A). Em votação no conselho do clube, foi aprovado por unanimidade a transferência de 40% da gestão futebolística do clube para uma empresa privada, que tem como líder o ex-diretor de futebol do Santos Futebol Clube, e filho do ídolo Sócrates, Gustavo Vieira, que trará investimentos financeiros para o clube sendo parte inicial da reconstrução do departamento no clube.

Torcedores mais raízes ficaram preocupados com a mudança, enquanto aqueles mais liberais levaram em tom de otimismo, já que a oportunidade de quitação de dívidas, e melhores contratações passava a ser mais real.


(Foto de: Raul Ramos/Agência Botafogo)


Fogão líder.
O que menos falei até aqui foi sobre o jogo do fim de semana, e talvez entre tudo o que aconteceu nos meses em que passei longe, seja realmente o menos importante. Não que seja refutável, mas o Botafogo viajou até Lucas do Rio Verde para enfrentar os donos da casa, e conseguiu dentro da proposta que entrou em campo sair com 3 pontos.

O time atuou com João Lucas no gol entre os titulares já que o titular Tiago Cardoso está machucado. Além dele, novidades contratadas para a disputa do torneio como o meia Guilherme Garré e Everton Heleno, estiveram entre os titulares no último sábado.

Em gol espírita de Garré, depois do goleiro chutar a bola em cima do meia e encobri-lo em sequência, e outro de Caio Dantas, o Botafogo conseguiu construir o placar que lhe daria tranquilidade para o resto da partida. Elton ainda tentou criar uma fumaça na partida ao diminuir aos 46 do segundo tempo mas nada adiantou. O Fogão venceu sua primeira partida na competição nacional, chegando aos 4 pontos, e assumindo a ponta do grupo B da Série C.

Enquanto o Botafogo volta a campo no sábado, às 16h, contra o Cuiabá, no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto. O Luverdense volta a jogar no Passo das Emas, no domingo, às 17h, contra o Tombense-MG, pela 3a rodada da competição.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.