Header Ads

Alma lavada

Era partida do Flamengo no ano, até então. Confesso que passava um filme na minha cabeça e um pouco de nervosismo até. Perdi as contas que quanto fui zoado desde o vexame da última Libertadores. Mais um, né? Esse ano não poderia ser igual, não poderia repetir o fiasco.

Acordo cedo, pego o ônibus em direção ao trabalho já com o Manto Sagrado na mochila porque vou de lá direto para o Maracanã. Chegando, um dos funcionários da limpeza, rubro-negro doente como eu, já me cumprimenta lembrando: "é hoje, hein!" e sim, faltava poucas horas para o embate entre Flamengo e Emelec. River Plate já tinha garantido sua classificação ao derrotar o Santa Fé na Colômbia semana passada. O que faltava então? Faltava uma simples vitória do Mais Querido sobre o já eliminado Emelec. As horas de trabalho iam se passando e a ansiedade aumentando. Até que chega a hora de sair e pegar o ônibus em direção ao templo do futebol.

(Foto: Gilvan de Souza)

Pelas ruas você vai observando a massa rubro-negra chegando ao estádio, ocupando os espaços em volta do estádio e fazendo um pré jogo meio acanhado. Quem costuma frequentar o Maracanã sabe que dentro do estádio o consumo é quase impraticável com bebidas e comidas muito caras. Então a preferência é de fazer aquela resenha com os amigos do lado de fora, comprando direto com os ambulantes que vendem bem mais barato. Porém, o problema é que foi montado um "esquema de segurança" especial justamente para essa partida em vista do que aconteceu na final da Sul Americana do ano passado. Muito policiamento e inúmeros guardas que inibiram e reprimiram a venda de bebida e comida no entorno do estádio. Independente disso, ainda vi algumas pessoas vendendo e consumindo, assim como eu. Isso tudo enquanto esperava meus amigos que ainda estavam para chegar, vindo de trem, metrô, ônibus, de carro. Pra onde você olhasse nas ruas do Rio de Janeiro, veria uma camisa rubro-negra sendo desfraldada e a caminho do colossal Mario Filho, até porque o Flamengo vai jogar.

Ingresso na mão, subimos a rampa, achamos um lugar para ficar e aguarda o início da peleja. O jogo começa tenso. O alento é de que o time equatoriano é muito ruim tecnicamente e o gol rubro-negro parecia que sairia com naturalidade. Flamengo em cima o tempo todo e nada da bola entrar, as vezes o Emelec ameaçava chegar perto da área rubro-negra mas não tinha qualidade para dar o último passe decisivo e concluir a jogada, e quando conseguia um chute em direção ao gol, lá estava Diego Alves para fechar a meta. Lá pela metade do primeiro tempo um dos meus amigos chega e pergunta: "com dois empates dá pra classificar?", respondi que dava mas é aquela parada né, era só ganhar esse. Pelo amor de todos os deuses, era só empurrar uma bola pra dentro. Pra tirar o peso das costas, não só dessa Libertadores mas das outras nos últimos 10 anos não conseguimos passar da fase de grupos. E a etapa inicial terminou da mesma forma que começou. Tensa.

Nessa hora passa mil coisas pela sua cabeça, inclusive a vida complicada semana que vem na Argentina que seria no caso de empate ou derrota. Mas Éverton Ribeiro tratou de acalmar os ânimos da massa logo aos dois minutos. Depois de boa troca de passes entre Vinicius Jr e Renê e de uma pequena confusão na área, o camisa 7 chegou de trás arrematando para o fundo das redes. Explode a torcida do Flamengo. Os minutos seguintes seriam de pura agonia até para o rubro-negro mais frio, aliás, a partida poderia acabar ali e o 1 a 0 já estaria de bom tamanho. O suspiro de alívio viria somente no final da etapa complementar com um golaço de falta também de Éverton Ribeiro, para nos deixar de alma lavada e selar a vitória e classificação para as oitavas de final da Copa Libertadores.

Os destaques da partida vão para, obviamente, Éverton Ribeiro que jogou bem e anotou os dois gols da classificação rubro-negra. Parece que o meia está se adaptando de novo ao futebol brasileiro e nos fazendo lembrar o Éverton Ribeiro dos tempos de Cruzeiro. Não podemos esquecer de Cuéllar e Renê que fizeram um jogo impecável defensivamente. No geral, o time todo foi muito bem. Claro, ainda tem muito que evoluir e acredito que com a qualidade dos jogadores que o Flamengo tem, podemos ter um desempenho melhor ainda.

Com certeza o rubro-negro que vos fala foi pra casa muito mais aliviado do que chegou. A volta foi longa mas em paz. O time vem evoluindo a cada jogo e tem tudo pra alcançar grandes voos durante o ano. Próximo confronto do Mais Querido é no clássico dos milhões contra o Vasco, nesse sábado no mesmo Maracanã às 19h. O clube cruz maltino não vence o Flamengo desde de abril de 2016 e vive um momento muito ruim, depois de eliminação na Libertadores e uma derrota pro Bahia na Copa do Brasil que deixa a vida do time complicada na competição.

No mais, saudações rubro-negras

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.