Header Ads

E agora como é que eu fico nas tardes de domingo sem a molecada no Maracanã?

Essa partida foi cheia de significados para o Flamengo. Quase 60 mil torcedores abarrotaram o Maracanã para a despedida de duas jóias da base rubro-negra. Felipe Vizeu negociado com a Udinese e Vinicius Jr vendido ao Real Madrid, fizeram sua última partida em casa, diante da massa rubro-negra, antes de partirem para seus novos clubes. E que jogo tivemos! Flamengo se firma mais ainda como líder, e também foi a quinta vitória seguida do Flamengo e sem levar gol. Além de estar classificado para as oitavas de final da Libertadores e para as quartas de final da Copa do Brasil, o Mais Querido atravessa excelente fase e está com a liderança do brasileirão garantida durante a Copa.

Contra um adversário frágil, o jogo foi até que tranquilo para o Flamengo. Salvo algumas estocadas de contra ataque do Paraná que foram tranquilamente neutralizadas pelo sólido sistema defensivo do Flamengo. Com um gol em cada tempo, Flamengo fez 2 a 0 para garantir mais três pontos e a liderança isolada


Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

De primeira, talvez, o Flamengo pode ter sentido um pouco a falta de Lucas Paquetá. Disparado o melhor jogador do rubro-negro no ano, Paquetá manda no meio campo do Flamengo, vem na frente da zaga ajudar na saída de bola e aparece lá na frente sempre com muito perigo a meta adversária. O jovem craque estava suspenso pelo terceiro cartão amarelo, recebido no Fla-Flu. Cartão que, sinceramente, foi bem desnecessário pela falta boba. Contudo, seu substituto, o meia Jean Lucas deu conta do recado fazendo bem essa função. Foi substituído, por conta de seu cartão amarelo, por William Arão. O camisa 5 do Flamengo há um tempo não entrava em campo e logo quando foi chamado para entrar quando estava no aquecimento já se ouviam vaias da torcida, um pouco compreensivas pelas péssimas atuações que Arão vinha tendo. Mas nessa noite foi diferente, o meia entrou bem e deu uma assistência para Felipe Vizeu marcar o segundo gol.

Vizeu que vai embora rumo a Itália. Fez sua última partida no Maracanã com a camisa do Flamengo e a grande pergunta que fica é por que vendemos a prata da casa e compramos Henrique Dourado? O Ceifador não é tão ruim quanto as pessoas falam, mas o problema é que o seu estilo de jogo, como já falamos aqui, não combina com time que roda a bola como o Flamengo. Segundo o Footstats, Henrique Dourado finalizou apenas dez vezes no Brasileirão e ocupa somente a 36° colocação entre todos os atacante do campeonato. Foram, também, apenas três finalizações certas, sendo duas provenientes de pênaltis, sendo o 42° entre os jogadores da sua posição e com números iguais ao de Vizeu, que esteve em campo por 73 minutos contra 706 do Ceifador. Isso significa que até aqui foram 12 milhões de reais gastos para uma mísera bola arrematada no gol, com a bola rolando no Campeonato Brasileiro. E isso vem torrando a paciência de parte da torcida que é imediatista e que praticamente exige do cara pelo menos um gol por partida, nem que seja de pênalti.

Mas poderia passar a semana aqui rasgando elogios a zaga do Flamengo, formada pelas pratas da casa Léo Duarte e Thuller que jogam com a segurança de veteranos. O desempenho de Léo Duarte é tão bom que até ameaça a volta dos até então titulares Réver e Juan que estão lesionados. Cuéllar é um monstro dentro de campo que se identificou com o Flamengo e demonstra a cada dividida que ama essa camisa preta e vermelha; Diego faz grande partida, como vinha fazendo, desde que deixou de se preocupar em sair com a bola e a ficar mais colado nos atacantes fazendo a bola girar na frente do área adversária; Renê continua com a mesma consistência defensiva e Éverton Ribeiro definitivamente voltou a ser aquele que a gente conheceu no Cruzeiro. O cara é craque demais e acompanha a boa fase do time rubro-negro. Aliás, todo mundo tá jogando bem.


Foto: Gilvan de Souza / Flamengo
Porém, muito se confunde essa ótima primeira colocação com o famigerado "empolgou". Pera lá, se o rubro-negro estiver empolgado não é por causa unicamente da primeira colocação com seis pontos de folga para o segundo colocado. Se - repare que eu digo "se" - tiver alguma empolgação é por causa do ótimo futebol que o Clube de Regatas do Flamengo vem jogando. O que mais se vê, sobretudo nas redes sociais, é uma tentativa de diminuição ou relativização do trabalho de Maurício Barbieri e do elenco rubro-negro. Brotam de todos os lados, por exemplo, tabelas de que poucos foram os campeões quando estavam liderando na 11a rodada. Será que se fosse outro time a analise seria a mesma? Pura vaidade clubista e falta de humildade para reconhecer que o Flamengo joga bola. O Flamengo joga bola sim. E como joga. Torcida, técnico, passando pelo goleiro e em todas as posições do campo. E quem quiser alcançar o líder vai ter que comer muito feijão com arroz. O que importa agora nessa inter temporada na pausa para a Copa do Mundo é manter o foco e segurar as peças chave do time. Infelizmente a situação de Vinícius Jr é desanimadora para o Flamengo e o Real Madrid sinaliza que já quer contar com o jovem atacante agora em julho. Cuéllar renovou seu contrato até 2022 e Paquetá só sai com pagamento integral da multa rescisória de 50 milhões de euros.

Essa saída de dois nomes importantes para o Flamengo, no último ano pelo menos, é um misto de alegria e tristeza. Alegria pois são novos voos, novos horizontes para dois meninos que vão começar uma nova etapa em suas imberbes carreiras. Vão jogar na Europa, é uma realização de sonhos também. Tristeza porque o torcedor queria mais tempo com eles em casa, vendo-os ali de perto, colado na cancha. É como se fosse a despedida de um amor, que te deixa triste mas que você sabe que vai voltar. Um dia quem sabe, como diz a canção de Morais Moreira - de quando o jovem Galinho de Quintino deixou o Flamengo rumo a mesma Itália e a mesma Udinese de Vizeu, "e agora como é que eu fico nas tarde de domingo sem Zico no Maracanã? Agora como é que eu me vingo de toda derrota da vida se a cada gol do Flamengo eu me sentia um vencedor?" Fazendo esse exercício de trazer pro nosso tempo podemos parafrasear o poeta com um, "e agora como é que eu fico nas tardes de domingo sem a molecada no Maracanã? Pois é, "falou mais alto o destino" e a molecada vai brilhar "noutro terreiro". No coração rubro-negro, "uma esperança, quem sabe o fim dessa história não seja o V da vitória, o V da volta, volta..." Claro, como todo mundo sabe, craque o Flamengo faz em casa e com certeza essa base vai se revelar mais e mais, trazendo outros ótimos jogadores, como já temos visto com Thuller e Jean Lucas. Essa molecada que faz a diferença no Flamengo, e sempre vai fazer.

O próximo compromisso do Flamengo é contra o Palmeiras, jogando fora de casa, quarta feira, pela décima segunda e última rodada do Brasileirão antes da paralisação para a Copa do Mundo. Não importa o resultado, Flamengo será líder, mas levando em consideração o futebol que os dois times tem jogado, acho muito plausível um bom resultado para o rubro-negro carioca, já que o alviverde vem de empate contra o Ceará que figura entre os últimos colocados da tabela.

No mais, saudações rubro-negras!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.