Header Ads

Irreconhecível, inexplicável e inadmissível.

 Sabe aquele dia que tudo na sua vida vai bem e se encaminha para mais uma tarde/noite tranquila e por um instante tudo muda de figura, notícias ruins, complicações em vários aspectos e sobretudo uma velha perspectiva de que tudo de ruim vai voltar para nos assombrar, esse foi o retrato do Fortaleza neste sábado, a derrota por 2 a 1 dentro de casa (INADMISSÍVEL POR SINAL) para o Oeste, nos mostra como não devemos e nem temos o direito de perder o foco e  temos que admitir que a turbulência pode estar chegando ao Pici. O título do texto é um desabafo sobre o jogo e a forma como o Fortaleza conseguiu perder para ele mesmo. 

O jogo foi um dos piores na competição, time sofreu um gol logo cedo de bola parada (forte jogada do rival) e depois não conseguiu furar com eficiência o bloqueio, salientar, que as jogadas não fluiram, nervosos com arbitragem que não estava marcando faltas e ainda deixou a cera comer de esmola''.

Segundo tempo, viemos com mais um centroavante, mas, mais do mesmo, erros de passes, lentidão, desorganização. Conseguimos o empate com um chute de longe de Felipe aos 18 minutos, após isso, time ainda tentou pressionar, teve bola na trave, mais cera do rival, mas, não conseguiu o gol do desempate e numa bobeira, desatenção, chame do que quiser, o time paulista virou o jogo. Uma derrota doída, sofrida e bem fora dos planos, agora temos dois jogos fora de casa na tentativa de minimizar esse duro golpe deste sábado. 

Time estava desorganizado, errando muitas jogadas bestas, caindo na catimba do rival e se estressando com a arbitragem, muitos erros bestas na saída de jogo, preciosismo nos passes e muita falta de atenção nas jogadas (sobretudo defensivas), lentidão e escolhas erradas de jogadas. Não sei até que ponto a ausência de Edinho (vendido ao Atlético-MG) fez falta ao time, mas, ficou nítida a falta de inspiração e a de repertório no campo ofensivo, era (sobretudo) bola na área para os dois centroavantes no segundo tempo. 

Não quero caçar bruxas ou descer a lenha em todo mundo, mas, a fase turbulenta está chegando, time vem caindo de produção, especulações e vendas de peças importantes, lesões de alguns atletas e suspensões, Ceni olha para o banco de reservas e os que estão lá não tem o mesmo nível dos titulares. Rever a displicência ou excesso de confiança na saída de jogo, toques de calcanhar e firulas desnecessárias. Os mais de 20 mil presentes na Arena Castelão saíram frustrados e com muitos questionamentos sobre o restante do certame nacional. Outra coisa, nada de camisa amarela em alusão a seleção nos jogos, está virando bagunça, jogos em casa é camisa tricolor e ponto final. 

Contra o Paysandu no próximo sábado, não teremos por suspensão Jussani e Jean Patrick, por lesão (provável) Tinga, Marcinho e Gustavo (fratura no antebraço, dois meses fora). É o peso da liderança nos ombros do Leão do Pici, e eu sei de uma coisa, a torcida estará junto nessa empreitada. 

Por: Gabriel Viana Soares
Twitter: @GabrielViana70 / @SITELF
#BORALEÃO
Leão perde a primeira dentro de casa. (Leonardo Moreira|Fortaleza EC) 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.