Header Ads

Grandes emoções, belas reviravoltas: Croácia na semifinal

No último jogo das quartas de final, Croácia e Rússia se enfrentaram no Estádio Olímpico em Sochi. O confronto de duas seleções novas no cenário mundial, que entre as oito que estavam nesta fase, eram as menos tradicionais.
Mais cedo a Seleção Inglesa derrotou a Súecia e se garantiu na semifinal, e é lógico que há um favoritismo inglês para a próxima fase, mas não dá para negar que o favoritismo a princípio estará apenas no papel.



Croácia: Subasic; Vrsaljko (Corluka), Lovren, Vida e Strinic (Pivaric); Modric, Rakitic, Rebic, Kramaric (Kovacic) e Perisic (Brozovic); Mandzukic.

Rússia: Akinfeev; Mário Fernandes, Kutepov, Sergey e Kudryashov; Kuzyaev, Zobnin, Samedov (Erokhin), Golovin (Dzagoev) e Cheryshev (Smolov); Dzyuba (Gazinskiy)

Durante toda a partida o domínio foi dos croatas, a posse de bola sempre superior aos 60% os favoreciam para segurar o jogo e ditar o ritmo da partida. Até houve uma dificuldade na criação de jogadas, já que nos 90 minutos iniciais só quatro chutes foram ao gol.
Novamente Luka Modric não teve uma atuação a seu nível, mas ainda sim fazendo uma bela partida, sendo até um dos melhores em campo. 
O meia croata conseguiu ditar as ações do jogo, deu uma assistência e além de ajudar no ataque, conseguiu de certa forma ajudar na marcação, seja ela mais a frente ou na defesa.
Os russos saíram na frente, Cheryshev fez um golaço aos 31' chutando fora da área, uma finalização indefensável, onde Subasic só olhou a bola entrar no ângulo.
Mas mesmo assim o empate chegou logo depois. Jogada rápida pelo lado esquerdo, Mandzukic entrou na área e fez cruzamento preciso para que Kramaric cabeceasse forte para o gol aos 39'.



Depois disto, a Croácia tentava criar, trocava passes laterais e buscava chegar ao ataque. Enquanto os russos esperavam a oportunidade de um contra-ataque perigoso para fazer o segundo gol e matar a partida. Mas nada feito. O jogo não foi de grandes finalizações perigosas, Subasic ainda sentiu um desconforto muscular já no fim do segundo tempo e parecia que seria necessário a sua substituição, mas como já haviam sido feitas as três substituições, teve que aguentar até a prorrogação, mas não foi necessário sair.
Um grande jogo, não há dúvidas. Vida aos 101' após cobrança de escanteio de Modric, cabeceou e a bola foi devagar no gol, mas ninguém a tirou do rumo final. A Croácia virou o jogo, e Subasic evitava qualquer empate. O desespero já tomava conta dos russos, mas Mário Fernandes aos 115' conseguiu empatar a partida após cruzamento. O ex-brasileiro fez gol de cabeça e evitou a derrota do país sede na prorrogação.



Nas penalidades, os dois enormes goleiros que haviam brilhado nas oitavas apareceram. Mario Fernandes que havia se tornado herói minutos antes perdeu pênalti. Kovacic e Smolov bateram, mas acabaram parando em Afinkeev e Subasic.
Vida fez um golaço, Modric bateu, e a bola no sufoco entrou. Kuzyaev bateu bem, deixou a Rússia ainda viva, Rakitic bateu e converteu em gol e classificou a equipe para as semifinais. Após 20 anos, a Croácia volta a ficar entre os quatro finalistas, irá enfrentar a Inglaterra na quarta-feira às 15h no horário de Brasília.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.