Header Ads

Copa do Mundo de Futebol Feminino Sub-20: a história e a atualidade


No dia 5 de agosto, domingo, começa a nona edição da Copa do Mundo de Futebol Feminino Sub-20, que terá cobertura completa e detalhada dos jogos no Linha de Fundo, sobretudo sobre a campanha das meninas do Brasil na competição, que desde a criação do torneio nunca sagrou-se campeão. O melhor resultado canarinho foi a terceira colocação no Mundial de 2006, disputado na Rússia.

Além da importância óbvia do torneio para a categoria júnior feminina do mundial, o torneio também será uma chance do Brasil quebrar um tabu que dura desde a criação dos torneios internacionais femininos geridos pela FIFA. A seleção feminina nunca conseguiu um título mundial em nenhuma categoria, nem na base e nem no profissional. Portanto, um título em terras francesas seria multiplamente histórico.

HISTÓRIA DO TORNEIO

O Mundial Feminino Sub-20 é disputado desde 2002, em um intervalo de dois anos para cada edição. Desde 2010 o torneio é disputado nos anos que antecedem a Copa do Mundo Feminina no mesmo país sede, servindo como uma espécie de "torneio teste" da mesma forma que a Copa das Confederações serve no masculino.

A ideia de se formar um torneio que juntaria garotas da categoria juniores para um campeonato mundial, manifestou-se logo após o aumento da popularidade do esporte na modalidade, que surgiu durante o Mundial de 1999 que foi disputado nos EUA, que teve como vencedor o país sede, e teve recepção muito positiva por parte dos espectadores que acompanharam a competição.

No intuito de fomentar a criação de novas jogadoras, e manter a ascensão do futebol feminino na comunidade mundial, a FIFA criou o Campeonato Mundial de Futebol Feminino Sub-19, que foi disputado nesses moldes até a sua terceira edição no ano de 2006, quando fixou-se na forma que vigora até hoje, para jogadoras até 20 anos. Possibilitando assim a criação do torneio sub-17.

Nas duas primeiras (e únicas) competições sub-19, o torneio foi disputado no Canadá e na Tailândia, tendo Estados Unidos e Alemanha como os primeiros campeões respectivamente, que logo se tornariam os maiores vencedores da competição (ambos com três títulos).

Com a mudança efetuada, na primeira competição com garotas até 20 anos, o Brasil conseguiu alcançar seu melhor resultado na história do torneio. Na competição disputada na Rússia em 2006, as meninas do time canarinho conquistaram o terceiro lugar, em disputa contra os EUA que só teve definição nas penalidades, onde o Brasil saiu vencedor por 6 a 5. Esta copa foi diferente em muitos sentidos, já que foi a primeira vez que Alemanha e Estados Unidos não se sagraram campeãs (e sequer chegaram a final), sendo a Coreia do Norte a vencedora da competição.

Desde então a nossa seleção nunca mais voltou a uma semifinal. Nos anos de 2008 e 2016, nossas meninas caíram nas quartas de final para Alemanha e Japão respectivamente, e nesse meio de tempo, de 2010 a 2014, foi eliminada ainda na fase de grupos.

EDIÇÃO ATUAL

O mundial de 2018 será a nona edição a ser disputada do torneio desde sua criação, e o sétimo para jogadoras até 20 anos. Nesta edição a sede será a França, local em que a Copa do Mundo Feminina para profissionais será disputada. Assim como já citado acima, o certame servirá como evento-teste para a competição do próximo ano.

O Brasil estará no grupo B da competição ao lado de México, Inglaterra e Coreia do Norte, adversários respectivos da nossa seleção na primeira fase do torneio. Dessas seleções, destaque para as norte-coreanas que são as atuais campeãs da competição, e sempre entram com muita força em torneios de futebol feminino.

Entre as atletas convocadas pelo técnico Doriva Bueno para representar a nossa seleção na França, destaque para a atacante Geyse, de 20 anos. Além de já ter passagens pela seleção principal, a atleta, atualmente no futebol português, marcou 12 gols no sul-americano da categoria esse ano, disputado no Equador, onde o Brasil saiu vencedor.


Nos demais grupos, o destaque fica pelas sempre fortes seleções alemãs e americanas, que levam no currículo, além dos 3 títulos cada, terem disputado todas as edições de Mundial até a atualidade (assim como Brasil e Nigéria).

Enquanto as norte-americanas estão no grupo C, juntamente de Japão, Paraguai e Espanha, a Alemanha divide o grupo D ao lado de Haiti, China e Nigéria. O país sede e atual vice-campeã do torneio, a França está no grupo A, juntamente de Gana, Nova Zelândia e Holanda.

Por: Gabriel Campoy e Cássia Gouvêa

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.