Header Ads

Empate entre tricolores no Maracanã


Em seu segundo jogo seguido diante de sua torcida, o Fluminense encarou o Bahia na noite deste domingo em jogo válido pela 17ª rodada do Brasileirão.

No duelo de tricolores, a expectativa era de um jogo franco e muito movimentado tendo em vista as características de ambos os times que priorizam a saída em velocidade para o ataque e contam com dois atacantes que passam por uma fase iluminada: Pedro e Gilberto.

No entanto, o retrospecto do time baiano como visitante reduzia o brilho de seus jogadores, afinal eram 6 jogos disputados, com 5 derrotas e 1 empate. Por outro lado, o tricolor carioca vinha embalado pela última vitória na Sulamericana contra o Defensor (URU) e com a necessidade de somar pontos para se aproximar ao bloco de cima da tabela.

Como esperado, a partida começou com muita intensidade por parte das duas equipes que valorizavam a posse da bola com trocas de passes envolventes e uma marcação alta, no campo ofensivo do adversário.

Nestas circunstâncias, a solução era a individualidade dos jogadores mais habilidosos que conseguiam quebrar essa marcação justa e aproveitar o espaço para armar novas jogadas. Essa responsabilidade ficou para Matheus Alessandro e Zé Rafael, ambos meia-atacantes insinuantes que ditaram o ritmo do primeiro tempo.

Pelo lado do Fluminense, Matheus Alessandro foi mais eficiente e ajudou o tricolor carioca a sair na frente no placar. Após uma bela finta, o atacante cortou seu segundo marcador e tocou para Pedro que, de fora da área, chutou sem chances para o goleiro Anderson.

Depois do gol, o normal seria se o Fluminense melhorasse ainda mais seu desempenho devido ao anseio de seu rival para empatar a partida e, portanto, mais espaço para construir jogadas.

Porém, viu-se um Fluminense cada vez mais retraído, sendo pressionado pelo Bahia e levando muito perigo principalmente nos escanteios cobrados pelo meia Vinícius. Pouco a pouco o tricolor baiano
ia se aproximando do gol de empate.

No segundo tempo, o Fluminense foi ainda mais tímido e dependia de jogadas trabalhadas entre Matheus Alessandro e Pedro, os jogadores mais lúdicos que, esporadicamente, eram capazes de prender a bola no campo ofensivo e dar uma certa tranquilidade aos zagueiros. Mas não o suficiente. 

Aos 36 minutos, vindo do banco, Élber fez uma jogada pela direita e cruzou para Edigar Junio, entre os dois defensores, empatar a partida.

Com o resultado adverso, não restou alternativa senão se lançar ao ataque, mas àquela altura, o meia Sornoza já havia sido substituído por contusão e consequentemente, o Fluminense ficou com ainda menos forças para tentar resgatar a vitória.

Com o resultado, o tricolor das laranjeiras acumula seu quarto tropeço contra os times que lutam para fugir do rebaixamento: dos 6 jogos contra os últimos colocados, são 3 derrotas, 2 vitórias e 1 empate. Um rendimento pífio que merece atenção e há de ser melhorado. Está claro que o time não brigará por posições mais nobres no campeonato, mas pontos como estes são preciosos para que o clube não
passe o sufoco na reta final da temporada e possa se concentrar na Sulamericana, competição eliminatória que pode premiar um elenco longe de ser brilhante, mas com peças individuais decisivas e de suma importância para a equipe.


https://www.diarioonline.com.br/app/painel/modulo-noticia/img/imagensdb/original/destaque-529008-42911474975_c7d2522ab2_o-1024x613.jpg


ST
Caio Ramos

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.