Header Ads

Por água abaixo

A gente com certeza já falou aqui, inúmeras vezes, de como o Flamengo está sendo inconstante, principalmente depois da pausa para a Copa do Mundo. As partidas contra o Vitória e América-MG eram consideradas de extrema importância para a sobrevivência do Mais Querido no Campeonato Brasileiro. Depois de perder a liderança e ver o São Paulo fazer seus resultados positivos, as vitórias eram tratadas como obrigação para não deixar o time paulistano disparar na ponta da tabela. Contra o Vitória o resultado veio, placar mínimo mas os três pontos estavam na conta, embora o Flamengo tivesse a chance de emplacar um resultado elástico. Já contra o América-MG mais uma vez sentimos o gosto da frustração, de ter jogado bem e saído com um mísero empate.


Foto: Staff Images / Flamengo
Se o Flamengo criasse como criou contra o Vitória, caprichando nas finalizações, dava pra ter ganho e feito saldo. Contudo, o time Rubro-Negro entrou desligado no jogo, dando oportunidades para o América. Com o controle do jogo tomado, o gol parecia questão de tempo. E foi. Renê achou Éverton Ribeiro, que vem jogando muita bola e vamos falar sobre isso ainda, para escorar de cabeça para o fundo do barbante. 1 a 0 Flamengo. Porém, muito dessa inconstância do time de Barbieri se dá pelas falhas apresentadas pela zaga rubro-negra. O primeiro gol do Coelho se deu assim, numa falha de marcação de Léo Duarte que resultou no gol de cabeça de Rafael Moura. Na volta para a etapa complementar, o Flamengo ainda mantinha as rédeas do jogo e naturalmente o desempate saiu, novamente por Éverton Ribeiro, que achou Paquetá na área com um cruzamento consciente. Cabeçada da joia rubro-negra pra dentro do gol. 2 a 1. 

Aí vem o lance polêmico que marcou a partida. Depois de um mole de Vitinho com uma bola perdida ainda no campo de ataque, o América conseguiu armar um contra golpe deixando seu atacante livre na intermediária em direção ao gol. Não restou outra alternativa a Cuellar que não fosse parar o atacante com falta. Sim, deveria ser punido, mas não com o vermelho. Ainda faltava uma boa parte do campo até chegar o gol e o tento não era claro. O vermelho ficou pesado, mas foi a decisão do juiz. Assim, com um homem a menos e um time cansado e recuado - com três zagueiros e dois volantes - e sofrendo muita pressão do Coelho, o Fla acabou sofrendo o empate no final.

Maurício Barbieri precisa achar a solução para irregularidade do Flamengo no pós Copa do Mundo porque o time não consegue emplacar dois bons jogos em sequência e isso é preocupante. Óbvio que esse empate teve sabor de derrota. O resultado que parecia estar sendo construído de forma tranquila foi por água abaixo em pouquíssimo tempo e agora o Flamengo vê o São Paulo abrir novamente quatro pontos de vantagem na tabela. A frustração foi grande, pois diante da irregularidade, o Flamengo apostava na vitória para somar dois triunfos seguidos, não deixar o Tricolor Paulista abrir muita vantagem e recuperar a confiança para a sequência da competição.


Foto: Staff Images / Flamengo
Apesar dessa irregularidade pós Copa, um jogador que está sendo, além de regular, fundamental para o Flamengo esse ano é Everton Ribeiro, principalmente depois da Copa do Mundo. O camisa 7 assumiu o protagonismo da equipe e vem sendo de longe o atleta mais decisivo do elenco. O meia-atacante vem destoando da equipe encontrou uma regularidade no momento em que o time mais oscila na temporada. Contra o Grêmio, na Copa do Brasil, por exemplo, ele também foi decisivo, e marcou o gol da classificação. Mas bem mais do que os gols, Everton vem de grandes atuações, conscientes, de forma inteligente, em bom estado físico, e sempre tira uma jogada na manga para surpreender o adversário. Desde que chegou ao Flamengo, Everton Ribeiro já anotou 15 gols e deu 10 assistências em 78 jogos. O que impressiona é que somente nesta temporada, o meia já assinalou 8 tentos comprovando o bom momento que vive com a camisa Rubro-Negra.


Por outro lado, o jogador cresceu no momento em que a equipe diminuiu o ritmo e não tem jogado a altura de suas atuações. Diante do Cruzeiro, no Mineirão, o Flamengo vai precisar que boa parte da equipe esteja em uma noite de Everton Ribeiro, para conseguir reverter o resultado e garantir a classificação. E uma classificação diante do time mineiro pode causar uma reviravolta no planejamento da diretoria Rubro-Negra para o restante do ano. Claro que a vantagem a ser tirada é grande, mas temos que trabalhar com essa possibilidade também, pois o planejamento para o restante do ano para os Rubro-Negros vai, sem dúvida, passar por essa partida. Flamengo ocupa a terceira colocação no Brasileirão e tem chances de título; está também na semifinal da Copa do Brasil e caso se classifique diante do Cruzeiro é praticamente impossível que divida as mesmas atenções nos três torneios. Já falamos aqui sobre a priorização de competições e fatalmente a equipe precisará escolher dois para priorizar.

Por outro lado, caso confirme a eliminação, ficará mais fácil para se dividir entre Copa do Brasil e Brasileiro. Mas nesta altura da temporada, o torcedor sabe o que por enquanto, pelo investimento feito, o Flamengo mostrou pouco. A Libertadores era o torneio principal e cair nas oitavas, ainda que venha superando o desempenho das últimas participações, não é nada positivo. Por isso, o jogo contra o Cruzeiro será também uma espécie de divisor de águas para o restante do ano.

No mais, saudações Rubro-Negras!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.