Header Ads

A Mulher e o Esporte

Reprodução: Gustavo Tomazelli

Lembro a primeira vez que fui ao estádio, 9 anos, talvez a idade dessa garotinha. A lembrança mais marcante é a da ansiedade para a data chegar e quando chegou, contemplei o estádio assim como ela, meu primeiro contato com o esporte in loco foi especial, a trajetória desse momento até aqui também, carregada de histórias e luta.

A minha história com o esporte se cruza com a de milhares de outras mulheres, algumas que foram impedidas, outras que se calaram, as que lutaram. O processo histórico de impedimento é claro, 38 anos sem poder jogar futebol, lei vigente no país. Da mesma forma para outros esportes sem detalhes tão conhecidos e com regras sociais instauradas ainda vigentes. 

A primeira faixa preta da família Gracie foi graduada em 2006. 13 de outubro de 2019 ainda sai reportagens de jovens que sofreram estupros dentro de academia de boxe. 

Entre impedimentos e agressões físicas essa relação vem se estabelecendo. Na minha história lembro quando escutei  pessoa próxima falando para minha mãe que ela teria que me afastar do futebol, não era muito feminino e logo, se tornava perigoso, tinha 10 anos. 

Por sorte sou filha de uma fã de Zico, entrou em um ouvido e saiu no outro, mas ficou gravado no meu. Se mistura da mesma forma com as vezes que fui questionada mais velha, "Você vem sozinha mesmo?", "Cadê seu pai?". 

Assim como com as falas diretas, "Mulher no futebol é igual cerveja". Ou quando a única arbitra na série A masculina comete um suposto erro, claramente de interpretação e tem seu lugar contestado, "realmente mulher aqui não dá certo". E os outros 98% dos erros que são cometidos por homens? Et's vão ter que comparecer na Terra para arbitrar.

Temos que seguir progredindo e lutando, estamos conquistando. Se tive o direito de contemplar o Serra Dourada em 2007, muita gente lutou, se essa garotinha contempla esse estádio, muita gente lutou, e agora seguimos todos juntos. Copa do Mundo Feminina 2019 foi a mais assistida da história, lutas de MMA femininas históricas e rentáveis. 

Ainda há um longo caminho, para vocês pais, insira sua filha da mesma forma que inseriu ou iria inserir seu filho. No estádio, tatame ou pistas vocês vão viver momentos únicos. 

@analivia_dias

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.