Header Ads

Qual o maior craque do futebol gáucho atual: Cebolinha ou Dalessandro?


Após da excelente atuação do camisa 10 colorado no último domingo  contra o Pelotas no Beira-Rio, escutei nos corredores do Beira-Rio diversas frases entre os colegas jornalistas, que afirmavam: “D’alessandro é o melhor jogador em atividade no Rio Grande do Sul”.

Ontem foi a vez do Everton Cebolinha brilhar em campo e ser chamado de craque após marcar duas vezes e comandar a vitória de 2 a 1 sobre o São José na Arena. Cebolinha, com os dois gols, se tornou o maior artilheiro da história da Arena, com 42 gols em casa, e ainda passou Ronaldinho Gaúcho na artilharia de todos os tempos do clube, fazendo seu 69º e assumindo a 17ª posição.

Após o jogo, o presidente tricolor, Romildo Bolzan, não poupou palavras para dizer que Everton Cebolinha é o melhor jogador da América do Sul. “Everton é um craque de bola e é o melhor jogador brasileiro e sul-americano, creio eu”.

Diversas pessoas vão comentar dizendo: "NÃO DÁ PARA COMPARAR, UM JOGADOR DE 38 ANOS, COM UM DE 23 ANOS."

E concordo, quando falamos de carreira ou de preparo físico, mas a minha ideia é comparar a técnica, o momento atual deles. Ambos os jogadores são referências técnicas de Inter e Grêmio,  indiscutivelmente são os protagonistas da dupla GreNal.

Mas qual deles é o melhor jogador do Rio Grande do Sul? D’alessandro, com a sua maestria, ou Everton Cebolinha, com habilidade e rapidez?

D’ Alessandro, o maestro e ídolo colorado



 D’alessandro já escreveu a sua história no Internacional, está na sua 10° temporada no clube e já conquistou 12 títulos com a camisa colorada. As características principais do jogador além da habilidade é a raça, o que casa muito com os ideais da torcida que o consideram como um dos atletas mais importantes da história do clube.

 Diversos jornalistas contestaram a renovação por mais um ano com o argentino, por acharem que ele estaria “velho” para comandar o meio de campo colorado em 2020.

No jogo contra o Pelotas, vimos o maestro comandar a vitória colorada e dos pés dele surgiram os três gols do Internacional, e um desses foi uma bela cobrança de falta que legitimou num golaço.

D'Alessandro está numa função nova no time de Coudet, ele não é o meia centralizado, mas o atacante de movimentação ao lado do centroavante. Por isso, tem liberdade para voltar e construir, dar opção, e aparecer na área. Dale, por sua idade, deixa a desejar no preparo físico, mas quando o assunto é habilidade o camisa 10 é especialista. Tem visão de jogo, e é esperto.

Em 2019, o jogador participou de 46 jogos, marcou 1 gol e deu sete assistências.

Em 2020, participou de 2 jogos, marcou 2 gols e deu duas  assistências.

Cebolinha, o diferencial do Tricolor


Desde que chegou ao Grêmio, Cebolinha é monitorado por clubes europeus e esteve diversas vezes perto de deixar o clube. O jogador que tem a multa rescisória no valor de 120 milhões de euros é o protagonista do Tricolor Gaúcho.

Everton é um atacante versátil, sua posição de origem é o lado esquerdo do campo, sua jogada mais característica é cortar para dentro e finalizar. Por muitos o jogador é conhecido por “máquina”.

Em 2019, o jogador participou de 57 jogos, marcou 20 gols e deu sete assistências.

Em 2020, participou de 2 jogos, marcou 2 gols e deu uma assistência.



Graziele Albuquerque                                         
@albuquerquegrazii

Podcast Linha de Fundo esta no ar. Isso mesmo, o Podcast Linha de Fundo Nosso conteúdo agora em aúdio pra você

Spotify: https://open.spotify.com/show/3WvwcTWUZdlCBlrH8BQFSa


Deezer: https://www.deezer.com/br/show/834822

Castbox: https://files.catbox.moe/eslbar


Anchor: https://anchor.fm/linha-de-fundo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.