Header Ads

Em noite pouco inspirada, Flu perde para o Boavista no Maracanã e encara primeira derrota no Carioca

Caio Dantas comemora o gol da vitória do Boavista.
(Foto: André Durão/Globoesporte.com)
Texto de Caio Ramos

No duelo de líderes, o Fluminense foi derrotado pelo Boavista por 1 a 0 com gol marcado por Caio Dantas na segunda etapa. Com cinco mudanças no time titular, Tricolor não assustou o adversário e sofreu nos contra-ataques.

No primeiro tempo, a equipe de Odair Hellmann controlou a posse de bola, mas não conseguia furar a boa marcação do Boavista no meio-campo. De um lado para o outro, de zagueiro para zagueiro, a bola era trocada na defesa sem objetividade.

Só depois de 26 minutos jogados, o Fluminense teve sua primeira boa oportunidade criada. Em rápido ataque pela direita, Felipe Cardoso recebeu a bola de costas para a zaga e tocou para a infiltração de Yago Felipe. O volante saiu de cara para o gol, mas finalizou em cima do goleiro Kléver.

Do lado Tricolor, era Miguel quem se apresentava para armar o ataque. Os lampejos do jovem de 16 anos até animavam a torcida, mas não o suficiente para mexer no placar. Do lado visitante, o técnico Paulo Bonamigo seguia com sua estratégia de contra-atacar, mas seus comandados pecavam na execução dentro de campo. O jogo continuava travado.

Na intenção de cumprir a promessa feita no intervalo, os jogadores voltaram para os últimos 45 minutos com mais intensidade. Menos despreocupadas no setor defensivo, as duas equipes se lançavam ao ataque e deixavam um buraco no meio-campo. Aos 14, Jefferson, meia-atacante do Boavista, fez bela jogada pela direita, enfileirou dois marcadores e cruzou na medida para Caio Dantas inaugurar o marcador.

Em resposta imediata, Odair Hellmann promoveu a estreia do uruguaio Michel Araújo. O atacante entrou bem na partida, mas ainda faltava a peça-chave de criação. Enquanto o Fluminense se atrapalhava para atacar, o Boavista encontrava os espaços e dava perigo à defesa tricolor. Após cobrança de escanteio pela direita, Muriel saiu mal do gol e não afastou. No bate-rebate, a bola sobrou para o zagueiro Elivélton, ex-Flu, que só não ampliou porque Digão salvou quase em cima da linha.

Poupado no banco de reservas, Nenê começava a ouvir seu nome sendo gritado nas arquibancadas. Não demorou para o artilheiro da equipe entrar na partida. Em questão de minutos, protagonizou a melhor chance de empate. Depois da falha de Elivélton, Miguel conseguiu roubar a bola e tocar para Nenê que, sem tempo para dominar, preferiu chutar de primeira, mas pegou mascado e mandou por cima do gol.

Já nos minutos finais, o Boavista estava muito mais próximo do segundo gol do que o Fluminense de empatar. O placar seguiu inalterado e o Tricolor conheceu sua primeira derrota na competição. Com o revés, o Fluminense segue com 12 pontos e depende de um resultado negativo do Volta Redonda contra a Portuguesa para manter a liderança no Grupo B. Por sua vez, o Boavista se isola na primeira colocação do Grupo A com 10 pontos.

Já ouviu o Linhacast, podcast do Linha de Fundo? Clique aqui e conheça!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.