Header Ads

Sobre vitórias e ídolos




Antes de qualquer coisa: já ouviu o Linhacast, podcast do Linha de Fundo? Clique aqui e conheça!


O Flamengo estreou na Copa Libertadores 2020, defendendo seu título contra o Júnior Barranquilla, na Colômbia. Com a vítoria por dois a um, o Flamengo arranca uma vitória fora de casa, contra um time que era considerado o mais fraco do grupo, mas que em campo, deu amostras de que pode dar trabalho e complicar a vida dos rivais.

Passada a vitória, os grandes gols da noite foram marcados por Gabigol. Ainda no aquecimento, presenteou um menino torcedor do Junior com sua camisa, o menino não conseguiu conter a emoção, chorou e vestiu a camisa do rival do jogo que se iniciaria.

Durante a partida, Gabriel foi muito participativo, mas passou em branco pela primeira vez neste ano. 


Ao final da partida, um outro menino, também torcedor do Junior, invadiu o gramado e correu na direção do 9 rubro-negro. Os seguranças chegaram para retirar o menino, Gabigol pediu calma e em um bonito gesto deu um abraço na criança, além de dar a sua camisa e seu par de chuteiras. 


Além disso, nas arquibancadas do estádio, registros de crianças colombianas imitando a comemoração do principal atleta atuando na América do Sul, viralizaram. 


Gabigol é hoje, a principal referência de ídolo no futebol brasileiro, não só do Flamengo. Fenômeno que não ocorria, desta maneira, desde quando Neymar atuava por aqui.


O futebol é feito disso: ÍDOLOS. 

Gabriel Barbosa é um ídolo. 

Muita gente dizia, que Gabriel não tinha noção do que ele estava se tornando na história do clube, com o brilhante ano de 2019 e aqueles dois gols contra o River Plate, e para nossa felicidade, ele parece ter total noção do que está vivendo e do que representa. 


É um ídolo e age como um, parece ter nascido para isso.


Não só nos títulos e no campo, mas nas pequenas atitudes, o tal fracassado vai se tornando um gigante!




SRN,

@kurumiin

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.