Header Ads

A covardia precede a derrota

O título dado a este humilde pré-jogo resume tudo: o Joinville é um time preso, sem atitude, sem saber o que fazer com a bola, devido a bagunça que se faz presente no tricolor do norte de SC; e isso tudo culmina em decepções que desanimam até o mais otimista torcedor. A salada de frutas que o técnico Hemerson Maria vem fazendo a cada rodada está surtindo efeito, que aliás, é bem amargo, até porque estamos na zona de rebaixamento e isso precisa mudar o mais rápido possível.

A situação de Hemerson Maria no JEC está complicada
(Foto: Divulgação/JEC)

Dentro de campo, o Joinville refletiu a situação que vive os bastidores: completamente bagunçado. Um time totalmente refém de raros lampejos ofensivos, que só sabe se defender, pouco faz na hora que está no ataque, que aliás, é inoperante quando se tem Fernando Viana com a camisa 9. O goleiro paranista praticamente não foi exigido, e o técnico tem a coragem de dizer na entrevista coletiva que o time está melhorando, sendo que é o segundo jogo consecutivo que o Joinville não chuta ao gol; sim, isso mesmo, segundo jogo consecutivo. São 180 minutos que o tricolor não leva perigo ao gol adversário, isso é um dado muito preocupante.

O jogo em si foi muito fraco tecnicamente; muitos erros e pouca ofensividade, tivemos apenas o gol, que ocorreu aos 44 minutos da primeira etapa, quando Robson recebeu de Lúcio Flávio e finalizou, caixa! Digamos que foi uma vitória fácil para o Paraná, não precisou se preocupar muito com o Joinville, que tinha a posse da bola, mas era uma “posse burra”, sem nenhuma criatividade ou sem levar perigo ao arqueiro Marcos. E assim terminou na Vila Capanema, Paraná 1x0 JEC, mas uma derrota do tricolor no estilo que estamos vendo bastante: completamente passivo e sem inspiração. 


Dodô fez a sua estreia com a camisa do JEC
(Foto: Divulgação/JEC)


Bertotto fez a sua estreia pelo JEC e não tem muito o que dizer, já que todos foram mal, mas o jogador deu indícios de que será titular sem muito esforço, um volante com um ótimo passe, sabe como tratar a bola. Dodô e William Barbio também fizeram a primeira partida com a camisa do JEC, e assim como Bertotto, não dá para falar algo, é muito cedo, tudo que for dito será apenas suposição. Agora, de uma coisa temos certeza e todos concordam: Fernando Viana já está fazendo hora extra com a camisa do JEC; o rapaz não se entende com a bola, está muito mal. A situação não está fácil amigos, estamos na zona de rebaixamento, completamente desnorteados devido as fracas e vergonhosas atuações, e a preocupação é grande na maior cidade de Santa Catarina, a pressão sob o técnico Hemerson Maria é gigantesca, e eu não sei por quanto tempo ele vai aguentar, creio que uma derrota no próximo jogo é o suficiente para a sua queda.

Confira abaixo a ficha técnica do jogo:

Paraná Clube 1x0 Joinville

Local: Vila Capanema, Curitiba (PR);
Público e renda: 3.018 pessoas presentes, para uma renda de R$ 47.555,00;
Arbitragem: Mayron dos Reis Novais foi quem comandou o apito, ele foi auxiliado por Daniel Paulo Ziolli e José Araújo Sabino;
Cartões amarelos: Pitty (PRC) e Murilo Rangel (PRC) | Everton Silva (JEC);

Paraná Clube: Marcos | Diego Tavares, Pitty, Alisson e Basso | Fernandes, Leandro Silva, Murilo Rangel (Claudevan) e Válber (Henrique) | Lúcio Flávio (Robert) e Robson | Técnico: Marcelo Martelotte;

Joinville: Oliveira | Everton Silva (Bertotto), Bruno Aguiar, Ligger e Diego | Paulinho Dias, Naldo e Pereira (Murilo) | Gabriel Vasconcelos, Dodô e Fernando Viana (William Barbio) | Técnico: Hemerson Maria.


Bertotto também fez a sua estreia com a camisa do JEC.
Foto: Divulgação/JEC

O tricolor volta a campo na próxima terça-feira para enfrentar o CRB; o jogo será na Arena Joinville e tem seu início marcado para às 19h15.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.