Header Ads

Aquecimento Olímpico: Handebol

Quatorze atletas, duas etapas de 30 minutos, quadra e uma bola. O mínimo necessário para uma peleja olímpica de Handebol. Um dos esportes coletivos mais praticados do planeta, tornando-se referência em vários países.

Seleção feminina em ação nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 (Foto: Reprodução)
Lá vem história...

Designado do haaddbold, hazena, salon e raftball, o Handebol tornou-se oficialmente um esporte em 1920. Antes praticado em áreas abertas, começou a ser realizado em ambientes fechados apenas em 1924, por consequência do frio. Motivo também do surgimento de outros esportes de quadra.

O local mudou, mas o campo continuou o mesmo. Os primeiros mundiais da modalidade foram realizados em quadras, porém de grama. O pós Segunda Guerra Mundial e a criação da antiga Federação Internacional de Handebol (FIHA) foram pontos chaves para o esquecimento dos gramados, popularizando o Handebol de salão incluído pela primeira vez no Mundial de 1954, no naipe masculino e em 1957, entre as mulheres. A primeira aparição do handebol nos Jogos Olímpicos foi em Berlim, 1936. Após um período inativo, o esporte retornou aos Jogos de Montreal, em 1976. A estreia brasileira em Olimpíada deu-se na edição de Barcelona, em 1992 com a seleção masculina, mas foram as meninas que fizeram história assegurando a vaga para os Jogos Olímpicos de Sidney, em 2000, com os próprios méritos, indo além, ficando na oitava colocação. A história foi reescrita em 2012 com a classificação inédita as oitavas de final após terminar a fase de grupos em primeiro.

O Handebol é composto por algumas regras básicas e que devem ser conceituadas como: o goleiro é o único jogador que pode tocar a bola com os pés, estando dentro de sua área. Não existe escanteio quando a bola é tocada pelo goleiro, apenas se for jogador de linha. Os jogadores não podem pisar na área do goleiro. Os pênaltis no Handebol são chamados de 7M (metros). Os dois minutos representam uma punição dada a um jogador que cometeu uma irregularidade segundo os critérios do árbitro. O time fica com um jogador a menos durante dois minutos, sem direito de substituição.

Rio 2016

Dos esportes coletivos, o Handebol promete ser o mais equilibrado. Das 12 seleções classificadas no feminino, dez tem chances de medalha. Noruega, Romênia, Holanda, Montenegro, Brasil, Rússia, Espanha, Suécia, França, todas postulantes ao pódio no Rio 2016. O Brasil vive uma fase irregular, caiu nas oitavas no último Mundial. Um resultado normal pelo equilíbrio das seleções. Como dito antes, são favoritas ao pódio, inclusive ao ouro.

O panorama no masculino segue o mesmo. França, Croácia, Alemanha, Dinamarca, Suécia e Catar com sua legião de atletas naturalizados brigarão gol a gol por medalhas. O Brasil vem para surpreender. Ao contrário do naipe feminino, os homens ainda buscam o sucesso mundial. Jogam em casa, com o apoio da torcida. Fatores que podem ajudar à Seleção chegar às oitavas. Um grande feito. 

Jogadores da seleção masculina (Foto: EZRA SHAW / AFP)
Local de competição: Arena do Futuro

Casa exclusivamente do Handebol e do golbol (Paralimpíada), a Arena do Futuro é uma instalação temporária. Após o Rio 2016 ela será desmontada para construção de cinco escolas públicas no Rio de Janeiro. O espaço terá capacidade para 12 mil torcedores. Parte dos materiais serão doados para a Confederação Brasileira de Handebol (CBHb), como balizas e redes. Seu custo foi de R$ 146,8 milhões (recurso do governo federal e execução da prefeitura).

LEIA: Aquecimento Olímpico - Canoagem

Alberto Almeida || @Albertosanttos
Linha de Fundo || @SiteLF

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.