Header Ads

Hora de Reagir


Não existe verdade maior no futebol brasileiro do que aquela que diz que “Campeonatos Estaduais não servem de parâmetro para Campeonato Brasileiro”. E o América é mais um exemplo disso.

Passada a euforia com a conquista do título mineiro, depois de quinze anos, o que se viu nas primeiras rodadas da Série A foi um time completamente lento, sem poder ofensivo, e que via de regra dá espaços demais aos adversários, apesar da utilização de três zagueiros e dois volantes em muitos dos casos.

O péssimo início de campeonato, mesmo com mais de meio time titular no departamento médico, custou o emprego do Givanildo, até então o técnico com mais tempo à frente de uma equipe que disputa as séries A e B em 2016.

Sinceramente fiquei dividido com a saída do Giva, pois apesar de reconhecer que ele não tinha parte do elenco para colocar em campo nas primeiras rodadas, não consegui entender a razão da insistência com alguns jogadores, principalmente o Rafael Bastos, que na maioria das partidas conseguia a façanha de errar todas, repito, todas as jogadas em que ele pegava a bola.

Em defesa do Bastos, o auxiliar técnico permanente Claudio Prates (esse sim já deveria estar longe do América a muito tempo) disse que se olhar no GPS o Bastos é um dos jogadores que mais corre. Acontece que futebol não é maratona, e correr errado e em demasia não ganha jogo.

Outro fator que pesa a favor da saída do Giva é o rumor de que ele não respeitava os fisiologistas da equipe, e insistia em escalar jogadores que estavam no limite da condição física. Se isso for verdade, pode explicar a quantidade de jogadores fora de combate atualmente, e justifica uma demissão, pois em um campeonato difícil como o brasileiro não podemos dar ao luxo de sacrificar os melhores jogadores.

Fora do mérito da demissão, fica o imenso agradecimento ao Givanildo, que sem dúvida alguma vai ser lembrado para sempre na história do América, com os títulos da Série B, Série C, Campeonato Mineiro, além do acesso em 2015. Que ele seja feliz em sua vida, e continue sua trajetória no futebol brasileiro. Muito Obrigado!

Quanto ao Bastos, se realmente for para a Chapecoense, o agradecimento vai para o time de Santa Catarina, que nos fará um bem gigantesco levando esse enganador da bola daqui. Valeu Chape!!

Enquanto escrevia o texto o Coelho anunciou o português Sérgio Vieira como novo treinador. Com apenas 33 anos, parece ser um estudioso do futebol. Como não conheço seu trabalho, resta torcer e esperar que ele coloque o time nos trilhos e faça um grande campeonato, conseguindo permanecer na elite.

A reação tem que começar de qualquer maneira na próxima rodada, em casa, contra o Figueirense, que é um adversário direto na luta contra o rebaixamento. Uma vitória nos aproxima do meio da tabela, e uma derrota pode nos deixar ainda mais isolados na lanterna. Expectativa de jogo sofrido, mas estou confiante que a primeira vitória virá. Bora Coelho!!!!

Foto: Superesportes

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.