Header Ads

Jogou como sempre e perdeu da mesma forma

Pela 7ª rodada do campeonato brasileiro da série B, o Avaí foi à Bragança paulista enfrentar o Bragantino às 19h15min. E mais uma vez, o time de Florianópolis volta com a derrota para casa. Precisando vencer para se aproximar do G4, o Avaí jogou de forma medíocre.

O retrospecto desse confronto também não é favorável ao Avaí, dos últimos cinco jogos que disputaram, o Avaí perdeu quatro e empatou uma. Vindo de uma sequência negativa fora de casa, cabia ao técnico Silas arrumar o time para que pudéssemos vencer a primeira longe da Ressacada.

O jogo começou ruim para o time azurra, sem meio de campo e com os zagueiros batendo cabeça, logo aos 18' minutos da primeira etapa, Eliandro recebeu cruzamento de Bruno Pacheco e marcou para o Bragantino. Após o lance o Avaí se desestabilizou de vez. Um time sem nenhuma postura conseguiu perder bolas fáceis no seu campo de defesa para um time que não estava nem um pouco organizado e que também não tinha nenhuma qualidade.

Foto: Fábio Moraes
Tudo piorou quando Lucas Fernandes foi expulso por simulação de pênalti logo no primeiro tempo. Com dez jogadores em campo o time permaneceu mal durante toda a segunda etapa, sem ao menos dar um susto no goleiro Felipe. Com a derrota o Avaí voltou ao meio da tabela e se distanciou cada vez mais do grupo de conforto lá na parte de cima.

Constatações

Não sei como a diretoria do clube não vê a ineficiência do técnico Silas em operar o time avaiano. Com dez homens em campo ele mexeu sem nenhuma consciência no time. Ao colocar Lucas Coelho que foi trazido de forma errada na troca pelo Lovat que foi para o Grêmio, ele acabou com o meio de campo. O time não ataca, não tem meia de ligação, não tem volantes pra dar direção ao time. Os laterais são dignos de pena. Pensava que não haveria nada pior que o lateral, hoje reserva, Vitor Costa, mas o João Paulo se superou e ainda ganhou a braçadeira de capitão, para a decepção do torcedor. Alemão perdeu toda a sua habilidade que mostrou no jogo contra o Bahia e não consegue ser um lateral decente.

Nunca na minha vida, ou até mesmo antes de eu nascer, vi um time tão ruim como o elenco deste ano. O Avaí que é conhecido por sua raça tem se mostrado uma equipe medíocre, inexpressiva, desastrosa, incompetente e deplorável. Todas essas definições de ruindade são difíceis para um torcedor escrevê-las, pois tudo isso mexe com o emocional já maltratado pelas péssimas atuações anteriores.

A única peça que se salva nesse time é o goleiro Renan que apesar das derrotas tem tido muita garra e paciência para aturar um elenco tão lamentável. Desde o início fui contra a contratação do técnico Silas e hoje vejo que ele não queimou a minha língua, infelizmente.

O torcedor avaiano aguarda dias melhores. Eu almejo o dia em que escreverei aqui com toda a minha convicção que o meu Avaí voltou, o dia em que não temerei adversário nenhum, muito menos um Bragantino da vida. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.