Header Ads

Londrina: Uma derrota com gosto de vitória

Após a derrota para o Vasco na última terça (21), o Londrina viajou a Lucas do Rio Verde desfalcado de seus zagueiros já que Sílvio, Matheus, Marcondes e Éverton Senna estavam no Departamento Médico, além de Luizão e Germano, suspensos por receberem o terceiro cartão diante do cruz-maltino. E mesmo sem os atletas mais defensivos, buscava a recuperação após o revés para se manter próximo ao G-4.


Com facilidade o Luverdense envolvia o Tuba nos primeiros minutos e conseguia chegar com perigo à área defensiva de Cláudio Tencatti. Não à toa que a primeira boa chance do jogo surgiu com Hugo aos quatro minutos, quando sozinho finalizou e mandou por cima do gol. Mostrando que também estava no jogo e apesar das dificuldades defensivas que enfrentava durante os minutos inciais, o Londrina tratou de chegar ao ataque. Com boa infiltração pela lateral feita por Igor Bosel, este tratou de cruzar a bola de forma rasteira para o K99 que complementou também de forma rasteira e obrigou Gabriel Leite a sujar o uniforme pela primeira vez. As equipes começaram a criar mais chances em seus ataques, mas pecavam nos últimos passes e nas finalizações e mesmo com tais erros o Luverdense mantinha a posse de bola durante bom tempo da partida e com esta buscava chegar à área londrinense, aos poucos desenhava suas jogadas, triangulando e tentando trazer o perigo para o meio campo. O problema é que o Londrina estava despedaçado em termos defensivos, isto simplificava a vida da equipe de Lucas do Rio Verde.

Se a situação era complicada para o Alviceleste, acabou por piorar quando Da Matta encontrou Régis dentro da área do Londrina, este só teve o trabalho de tocar por cima de Rangel. A partir do gol, o ímpeto do Luverdense diminuiu, isto se deve ao fato de o Londrina ter endurecido o jogo e dificultado a passagem da maioria das jogadas da equipe alviverde. Ao fim do primeiro tempo, uma entrevista de Jô explicitou o modo como Cláudio Tencatti armara seu time para a partida; o atacante frisou a ofensividade do adversário e ressaltou que se o Alviceleste se postasse bem, poderia buscar o empate e a vitória, explorando os contra-ataques, não é surpresa nenhuma esta forma de jogar, quase sempre o LEC se comporta desta maneira em jogos fora de seus domínios, mas creio que nesta partida em especial, tal posicionamento se deve ao pouco tempo que o técnico londrinense teve para trabalhar com a equipe sem seus principais atletas defensivos.


Foto: parana-online.com.br
Dentro de sua proposta de jogo o Londrina precisava de mais velocidade, isto é os contra-ataques deveriam ser rápidos e objetivos, para que isso acontecesse com mais facilidade Tencatti levou Paulinho Moccelin ao gramado na vaga de Zé Rafael, dando assim duas possibilidades de saída na velocidade com os atacantes Jô e Paulinho sendo que poderia também contar com a velocidade de Rafael Gava. Mas tão rápido quanto deveriam ser os contra golpes do Tuba, foi o Luverdense que aos quatro minutos não desperdiçou a boa chance e ampliou com o Hugo após perfeita assistência de Sérgio Mota. Não bastasse o placar adverso, o Tubarão começou a dar brechas para o adversário que poucos minutos depois teve outra chance, para a sorte do Londrina, desperdiçada! Da Matta seguia articulando bem as jogadas da equipe alviverde e fazendo seu time ficar em boa parte do tempo trocando passes no campo ofensivo. A situação londrinense só melhorou quando Tencatti mexeu mais uma vez na escalação e trouxe Bruno Batata ao relvado, provavelmente com a intenção de pressionar a saída de bola do adversário, já que Batata sempre se destaca quando tem que disputar jogadas de corpo com o zagueiros. A partir da mudança o Tubarão passou a se articular melhor e com esta articulação boas chances começaram a aparecer. 
Rafael Gava finalizou bem de fora da área e acertou o travessão de Gabriel Leite, na jogada seguinte, Gava não perdoaria. Mais uma bola sobrou para o chute do camisa 23, que sem dó e na medida, colocou a bola no fundo das redes do arqueiro alviverde. Mais do que depressa os jogadores do Londrina buscaram repôr a bola em jogo, diferentemente do adversário que sempre que podia cometia faltas para retardar a partida e manter o perigo longe. Outra chance só seria vista após 30 minutos da segunda etapa, quando Léo alçou a bola da lateral para a área e viu a zaga resvalar levemente na bola, mudando a trajetória da bola e fazendo-a enganar Gabriel Leite no quique, para complementar Bruno Batata também tirou uma casquinha da redonda, desviando-a levemente, tudo seria muito bom para o Alviceleste Londrinense. Seria, se o árbitro não tivesse anulado o gol dizendo que a bola não tocou em nenhum atleta, erro que até seria justificável não fosse a proximidade do árbitro com relação ao lance, este não foi a única marcação errônea do árbitro. Minutos depois, o juizão anulou pela segunda vez um gol da equipe paranaense, alegando falta de Anderson em Gabriel Leite, o detalhe é que o goleirão subiu para para o cruzamento e não conseguiu segurar a bola, como o defensor Londrinense vinha para fazer o cabeceio, tentou complementar e no rebote Bidia complementou para as redes, com a partida já paralisada pela falta assinalada; vale ressaltar que neste lance o auxiliar ainda fez menção de correr para o meio com a intenção de validar o gol, mas o árbitro marcou a falta antes.


Foto: globoesporte.globo.com
A partida terminou com o placar negativo para o Londrina que poderia ter saído vitorioso, se não fosse uma arbitragem sem critérios que não só nos momentos acima descritos, cometeu erros, deixou de assinalar faltas e em lances completamente desnecessários distribui cartões para as equipes (foram 7 ao total). Para finalizar o festival de erros, o árbitro ainda expulsou Zé Rafael e Cláudio Tencatti, ao final da partida os atletas londrinenses se aproximaram ao árbitro, alguns reclamando e outros simplesmente tentando entender o caso. Sobrou para o meia londrinense que foi expulso por dizer "Por que você anulou o gol? Você é muito ruim!", detalhe também assinalado na súmula foi o motivo da expulsão de Tencatti, segundo a mesma o técnico invadiu o gramado e disse "Por que você anulou o gol? Não houve falta no lance! Eu só quero entender!". Erros de arbitragem (não só nesta partida) têm prejudicado as equipes ao longo da Série B, neste caso, o LEC foi a bola da vez e agora além de Rafael Gava que foi suspenso por receber o terceiro cartão amarelo, também ficará desfalcado de seu técnico e de seu meio campo Zé Rafael.
Dentre os defensores suspensos e machucados, o Londrina se virou para tentar resistir à pressão, mas toda sua força não foi suficiente nos primeiros minutos; seria interessante frisar a força para buscar o resultado (que de fato houve, mas foi atrapalhado) porém, a força e a garra dentro de campo nem sempre traz três pontos, entretanto é esta força e o caso (dos desfalques e de quanto a arbitragem nos prejudicou) que deve fazer a torcida ter em mente que não por essa derrota, o time deve ser crucificado.


Foto: globoesporte.globo.com

Luverdense (2) x (1) Londrina contou com público de "DESCUBRA" e renda de "MIM ACHER".

O Luverdense foi assim escalado por Júnior Rocha: Gabriel Leite, Raul Prata, Airton (Walace), Everton e Paulinho; Ricardo, Jean Patrick (Caio Quiroga), Régis Souza (Tozin), Da Matta, Sérgio Mota e Hugo.
Diante dos desfalques, Tencatti armou o LEC com Marcelo Rangel, Igor Bosel, Anderson, Diogo Roque e Léo; Bidia, Júlio Pacato, Rafael Gava, Zé Rafael (Paulinho Moccelin), Jô (Safira) e Keirrison (Bruno Batata). 


Na próxima rodada:
Náutico x Luverdense - Arena Pernambuco - 28/06 as 20h30
Londrina x Brasil de Pelotas - Estádio do Café - 28/06 as 19h15

Vitor Guimarães || @VitorBatata3

Linha de Fundo || @SiteLF

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.