Header Ads

Ricardo Gomes inventa e Botafogo perde mais uma

O Botafogo recebeu o Cruzeiro, na noite desta quarta-feira (1), em Brasília, em jogo válido pela quinta rodada do Brasileirão. Buscando se recuperar da derrota sofrida no último domingo, o Alvinegro entrou em campo com algumas alterações. O Glorioso, no entanto, perdeu mais uma partida na competição (1 a 0) e caiu para a décima quinta colocação, com apenas quatro pontos. O próximo duelo do Botafogo será no domingo (5), no Pacaembu, onde enfrentará o Santos, às 11h.

Jogo foi disputado em Brasília (Foto: Vitor Silva/ SS Press/ Botafogo)
O JOGO

Ricardo Gomes ousou e trouxe um Botafogo modificado. Com Dierson e Fernandes titulares, o Alvinegro conseguiu piorar ainda mais seu desempenho. No primeiro tempo, o Cruzeiro massacrou. O time mineiro, que ainda não havia vencido no Brasileiro, criou inúmeras chances de gol, que, no entanto, foram desperdiçadas. Foram onze finalizações do Cruzeiro e nenhuma do Botafogo no primeiro tempo. Durante a etapa inicial, a pressão da Raposa parecia não ter fim.

Aos 11 minutos, Robinho tentou cruzar, mas a bola enganou e quase entrou no gol. Helton Leite espalmou para fora. Bola traiçoeira. Aos 14', a zaga do Botafogo afastou e a bola sobrou para Romero, que de primeira quase abriu o placar. Helton Leite, adiantado, quase foi surpreendido. Aos 26', o Cruzeiro fez o gol da vitória. Robinho deu excelente lançamento e Élber, pela esquerda, gingou e chutou cruzado. A bola ainda passou por baixo das pernas de Helton Leite antes de entrar. O gol, anunciado, mostrou a superioridade do Cruzeiro na partida, pelo menos no primeiro tempo.

Mesmo vencendo, o time mineiro continuava sufocando o Botafogo, e partia para o ataque em busca de mais gols. Aos 32 minutos, Helton Leite fez boa defesa e evitou o gol de cabeça de Riascos. No minuto seguinte, Bruno Rodrigo subiu livre após cruzamento, mas mandou a bola para fora. Aos 35', Élber, autor do gol, repetiu a jogada que fez pela esquerda quando abriu o placar, mas desta vez acertou a trave. Aos 37', mais pressão cruzeirense. Riascos recebeu em velocidade. Helton Leite se atirou nos pés do atacante e salvou o Botafogo. A Raposa então passou a trocar passes até o fim do primeiro tempo, que aos 47', chegou ao fim.

O Alvinegro voltou para o segundo tempo com uma alteração em relação ao time que terminou o primeiro: Leandrinho substituiu Salgueiro. Aos 2 minutos, o Cruzeiro quase ampliou, de novo. Riascos tocou para Lucas, que cruzou de volta para o atacante. De peixinho, o colombiano não chegou à bola. Aos 4', Riascos após passe de cavadinha, dominou e bateu, mas a bola passou a esquerda do gol. A equipe comandada por Paulo Bento foi aos poucos diminuindo o ritmo. O Glorioso, por sua vez, com a entrada de Leandrinho, cresceu no jogo e passou a incomodar, adotando outra postura. Aos 20', Fernandes foi substituído por Neilton. Aos 22 minutos, a marcação cruzeirense vacilou e Ribamar saiu na cara de Fábio. O goleiro cresceu e ficou com a bola. Aos 26 minutos, Anderson Aquino bateu falta venenosa e carimbou a bola no travessão, que depois saiu pela linha de fundo. Aos 30', Lucas cruzou na área e Arrascaeta apareceu livre. O meia, no entanto, perdeu ótima chance. Aos 32', Leandrinho chutou e a zaga do Cruzeiro cortou para fora. Na sequência, após escanteio, Sassá cabeceou e acertou a trave. Quase o empate. Dessa vez a pressão era do Botafogo. Aos 36 minutos, cruzamento perigoso do Alvinegro. A bola passou por toda a pequena área e ninguém apareceu para empurrar para o fundo da rede. Bruno Viana tirou e mandou para escanteio. Aos 37', resposta cruzeirense. Bryan cruzou para Arrascaeta, que quase marcou. Aos 49', o jogo chegou ao fim.

OBSERVAÇÕES

Coloco a derrota na conta do Ricardo Gomes, que INVENTOU na escalação. Foi a pedido do treinador que o Botafogo trouxe o volante Dudu Cearense. Ele foi regularizado a tempo e viajou com o elenco. Foi banco para o Dierson. Se o time que começou o jogo fosse o que terminou, talvez o resultado fosse outro.

Salgueiro mais uma vez recebeu a oportunidade de ser o camisa 10. E novamente não correspondeu. Merece ser reserva. Já Gegê, destaque no Carioca, amarga o banco. Como explicar?

Assim como diante do Flu, o Botafogo não finalizou no primeiro tempo. Foram ONZE finalizações do Cruzeiro, time que ainda não havia vencido na competição.

Ribamar não pode exercer a função de centroavante. Isolado e com um meio despreparado, não fará gol nunca.

Ainda tento me manter "otimista". Torço para que o time dê liga com os reforços e com a volta dos lesionados. Por falar em lesionados, Luis Ricardo foi desfalque novamente por causa de lesão. O departamento médico do Botafogo precisa ser cobrado, dar satisfações. Não é normal. Foram cinco rodadas e o Alvinegro é o time que mais sofre com contusões. 
Reprodução: Twitter
Cinco jogos, TRÊS derrotas. Quinze pontos disputados. QUATRO conquistados, Apenas TRÊS gols marcados. Preocupa. Os pontos perdidos no início do Brasileiro são os que mais fazem faltas depois.

FICHA DO JOGO

Botafogo 0
Helton Leite, Diego, Emerson Silva, Emerson Santos, Victor Luis; Bruno Silva, Dierson, Fernandes (Neilton), Salgueiro (Leandrinho); Ribamar (Sassá), Anderson Aquino. Técnico: Ricardo Gomes.

Cruzeiro 1
Fábio, Lucas, Bruno Viana, Bruno Rodrigo, Bryan; Henrique, Lucas Romero, Élber (William), Robinho (Marciel), Arrascaeta; Riascos (Alisson). Técnico: Paulo Bento.

Estádio: Mané Garrincha (Brasília).
Árbitro: Elmo Resende Cunha (GO).
Assistentes: Vanderson Antonio Zanotti (ES) e Luciano Roggenbaum (PR).
Gol: Élber (26' do 1º T).
Cartões amarelos: Anderson Aquino (Botafogo); Bruno Viana, Bruno Rodrigo e Marciel (Cruzeiro).
Público: 7.057 (pagante). O público presente não foi divulgado.
Renda: R$ 467.030,00.

Por: Gabriel De Luca (@biel_dluca). 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.