Header Ads

Série D - Em busca de uma nova realidade

O Campeonato Brasileiro da quarta divisão, conhecido popularmente como Série D, é a competição nacional mais "modesta" do país. Porém, tem suas particularidades e um charme em especial, é a oportunidade de conhecer e relembrar alguns times "esquecidos" de todos os cantos do Brasil.
O Botafogo-SP foi o último campeão da Série D (Foto: Abdias Bideh/Globoesporte.com)
No dia 12 de junho, 68 começarão a busca pelo mesmo objetivo, estar entre os 4 primeiros e garantir o acesso. Além de disputar a Série C, o acesso garante um calendário cheio na temporada seguinte, o que é muito importante para clubes que vivem esta realidade, que na maioria das vezes estão acostumados à disputarem apenas o estadual e fecharem as portas no segundo semestre.

Após os guias das três principais divisões, o Linha de Fundo não poderia deixar de trazer o da Série D, que será um pouco diferente devido ao número maior de clubes. Dividimos em algumas partes e essa será a primeira da série especial que o preparamos sobre a competição. Antes de começarmos a falar sobre cada um dos participantes, neste texto falaremos sobre a história, curiosidades e o regulamento da edição 2016.


História
  • O surgimento da quarta divisão
A Chapecoense disputou a competição em 2009 e conseguiu o acesso (Foto: Raquel Heidrich)
Antes de 2009, quando a Série D teve a sua primeira edição, o futebol brasileiro contava com apenas 3 divisões principais. Desde a sua criação, nas edições anteriores contou com 40 clubes (exceto na primeira com 39), porém, em 2016, a CBF decidiu aumentar o número de participantes para 68 clubes. A competição está cada vez mais consolidada no calendário nacional e recentemente o Bom Senso cogitou até a criação de uma Série E. 
  • A primeira edição

O São Raimundo conquistou a Série D 2009 (Foto:Marcelo Seabra/O Liberal)
A primeira edição da Série D foi uma grande novidade no calendário do futebol brasileiro. Muitos participantes daquela edição, haviam participado da Série C em anos anteriores, mas com a diminuição para 20 clubes acabaram ficando de fora. Inicialmente seriam 40 clubes, mas nenhum clube do Acre se habilitou para a disputa, diminuindo o número de participantes para 39. Um dos clubes que hoje disputam a elite, a Chapecoense, disputou aquela edição e conseguiu o acesso, juntamente à Macaé, Alecrim e o São Raimundo-PA, que se sagrou o primeiro campeão da quarta divisão.
  • Estados campeões e soberania de Minas Gerais
Com um título cada, Pará, Ceará, Maranhão, Paraíba e São Paulo, tiveram representantes que foram campeões. O estado com maior número de títulos é Minas Gerais, que conquistou duas vezes a competição. 
O time de Juiz de Fora foi o primeiro campeão mineiro na Série D (Foto: Antonio Carneiro)
Em 2011, o Tupi caiu em um grupo composto por Anapolina-GO, Itumbiara-GO, Gama-DF e Tocantinópolis-TO, se classificando em em primeiro e avançando para a segunda fase. No mata-mata, o Galo Carijó eliminou Volta Redonda-RJ (oitavas), Anapolina-GO (quartas) e Oeste-SP (semifinal), antes de enfrentar o Santa Cruz-PE e levar o primeiro título de seu estado na Série D, dentro do Arruda.
O time de Tombos colocou Minas Gerais como o estado com mais títulos da Série D(Foto: Divulgação/Tombense)


















O segundo título mineiro, veio três anos depois do primeiro, com a Tombense. Após passar em primeiro, em uma chave que contava com CEOV Operário-MT, Luziânia, Goianésia-GO e o extinto Gremio Barueri-SP, o Gavião eliminou o Metropolitano-SC (oitavas), Moto Club-MA (quartas), Confiança-SE (semifinal) e foi campeão nos pênaltis contra o Brasil de Pelotas-RS.
  • Maiores públicos
Torcida do Santa Cruz na partida do acesso, em 2011 (Foto: Phelipe Caldas)
A Série D não tem médias de públicos tão grandes quanto as demais divisões. Entretanto, na edição 2011, o Santa Cruz conseguiu números exorbitantes e superiores à muitos times até da elite. Com 59.966 pagantes na partida entre Santa Cruz x Treze, que valia o acesso, é até hoje o maior público da quarta divisão. O Tricolor Pernambucano ainda é dono de outros cinco maiores públicos da competição.

A edição atual
  • Critérios de classificação
Desde 2015, já eram conhecidos quatro participantes da Série D: Águia de Marabá, Caxias, Icasa e Madureira, que foram os rebaixados da Série C de 2015. No entanto, as demais vagas só foram definidas nos estaduais deste ano. 

Após a ampliação da competição, todos os estados tiveram direito à mais representantes. Sendo assim, as vagas foram divididas da seguinte forma: São Paulo com quatro clubes; Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Pernambuco três clubes; os outros estados terão dois clubes cada. 
  • Regulamento
Taça concedida ao campeão da Série D 2016 (Foto: Fernando Torres/CBF)
Na primeira fase, o torneio conta com 68 clubes, divididos em 17 chaves compostas por 4 clubes cada. Os 17 primeiros e os 15 melhores segundos avançam. Confira os grupos:

GRUPO A1: Atlético-AC, Nacional-AM, Trem-AP e Gesus.
GRUPO A2: Princesa de Solimões, São Francisco-PA, Baré-RR e Palmas-TO.
GRUPO A3: Rio Branco-AC, São Raimundo-PA, Rondoniense e Náutico-RR.
GRUPO A4: Santos-AP, Moto Club, Águia de Marabá e Tocantinópolis.
GRUPO A5: Juazeirense, Icasa, Maranhão e Altos-PI.
GRUPO A6: CSA-AL, Guarani de Juazeiro, Central e Parnahyba.
GRUPO A7: Galícia, Sousa-PB, América-PE e Globo FC.
GRUPO A8: Uniclinic, Serra Talhada, Potiguar e Itabaiana.
GRUPO A9: Murici-AL, Fluminense-BA, Campinense e Sergipe.
GRUPO A10Ceilândia, Aparecidense, Comercial-MS e Araguaia-MT.
GRUPO A11: Luziânia, Anápolis, Sete de Dourados e Sinop.
GRUPO A12: Desportiva Ferroviária, Goianésia, URT e Volta Redonda.
GRUPO A13: Espírito Santo, Caldense, Boa Vista e Audax-SP.
GRUPO A14: Villa Nova-MG, Portuguesa-RJ, São José-RS e São Bento-SP.
GRUPO A15: JMalucelli, Madureira, Novo Hamburgo e Brusque.
GRUPO A16: PSTC, São Paulo-RS, Inter de Lages e Linense.
GRUPO A17: Maringá, Caxias, Metropolitano e Ituano.

Já na segunda fase, quando o mata-mata se inicia, o número de clubes é reduzido para 32. A CBF também divulgou o chaveamento: os 16 primeiros colocados ficam no bloco 1 e o pior primeiro colocado se junta aos 15 melhores segundos no bloco 2 (veja o chaveamento abaixo). Lembrando que duas partidas decidirão a classificação até a final.


Abaixo disponibilizamos os demais textos dessa série especial, onde falamos especificadamente sobre cada um dos 17 grupos, trazendo as informações sobre cada uma das equipes, além da expectativa na competição.

CLIQUE E LEIA MAIS: 





Por: Marcelo Júnior || Twitter: @marcelinjrr

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.