Header Ads

Precisamos de sorte

Novamente, não faltou luta para o Goiás em mais uma partida da Série B. Fomos incisivos no ataque, buscamos o resultado, tivemos oportunidades ótimas e tentamos a reação, porém, não estamos com sorte em quase nenhum jogo. As coisas andam ficando feias. Mesmo assistindo mais uma grande atuação de Rossi e o primeiro gol do Léo Lima no seu retorno ao Verde, tivemos que ver também atuações grotescas de Wendel, Carlos e da nossa defesa. Acho que tirar o Renan não era o bastante.

Goiás consegue virar o jogo, mas cede empate no final. Foto: globoesporte.com
Eu gosto do futebol do Wendel e do Carlos. São jogadores que já tiveram boas atuações em alguns jogos, mas ontem, os erros deles foram cruciais para que não saíssemos com os três pontos. Logo no início, engolir o gol perdido por Carlos sem goleiro foi difícil. Wendel vacilando no campo defensivo e cedendo o primeiro gol do Atlético, foi mais difícil ainda. Não podemos continuar com tantos erros bobos.

Já disse e repito aqui: é fato que melhoramos, porém, do que adianta se a "zica" não sai. Já estou pensando seriamente que o Goiás precisa de uma macumba ou algo do tipo, para começarmos a vencer os jogos. Não é possível que as coisas sempre deem errado. Léo Condé fez o time andar com as substituições, mas fiquei sem entender o porquê dele colocar Cassiano no jogo, quando tínhamos Daniel Carvalho. Até o Rafhael Lucas seria mais útil naquele momento, pois o Cassiano só sabe correr e velocidade nós já tínhamos com o próprio Rossi e Carlos.

Esse time do Atlético, simplesmente não tem nada demais. É o maior cavalo paraguaio que eu já vi, e que simplesmente está se aproveitando de um treinador muito competente que é o Marcelo Cabo. O trabalho dele e a filosofia de jogo desse treinador é realmente diferenciado, e foi um belo tiro no alvo de Adson Batista, porém, a equipe é simplesmente comum. Podíamos ter ganhado o jogo ontem com muita facilidade, se tivéssemos aproveitado as chances que criamos.

Léo Lima é simplesmente um ídolo do Goiás. Além de ter feito uma ótima partida, ele dedicou o seu gol de pênalti ontem para sua esposa, que está no Rio de Janeiro lutando contra um câncer. Um cara que mesmo passando por essa situação, se dedica em campo para honrar a camisa que ele tanto ama e que ele tanto quer ver crescer no futuro. Força, Léo Lima. A massa esmeraldina estará sempre com você.

Léo Lima em ação ontem pelo Goiás no clássico. Foto: globoesporte.com
Desde já, acredito mesmo que possamos reagir no campeonato. Em acesso, eu já não penso mais, porém, ainda temos jogos e temos que acreditar e apoiar o time. Não importa quem veste a camisa do Goiás, mas se estiver com ela, estarei apoiando. E que a sorte volte para o portão da Serrinha de agora em diante.

Wagner Oliveira || @wagneroliveiraf
Linha de Fundo || @SiteLF

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.