Header Ads

Luverdense bate Brasil-RS e volta a sonhar com o acesso

Jogando contra o Brasil de Pelotas, um dos melhores times do campeonato, o Luverdense tinha uma ótima chance de entrar de vez na briga pelo acesso e abrir uma gordura para a zona do rebaixamento. Se duas rodadas atrás pensar em acesso poderia parecer utópico, hoje é algo real. Quatro pontos atrás do CRB, o Verdão do Norte hoje está mais próximo do acesso do que da zona de rebaixamento.

Os resultados dos jogos mais cedo ajudaram. Com os tropeços de CRB, Bahia, Náutico e Londrina (e que mais tarde também contaria com um tropeço ainda mais incrível do Ceará), o Luverdense entrou animado em campo e disposto e encostar no pelotão da frente. É bem verdade que o primeiro chute do jogo veio por parte dos gaúchos, mas foi o único risco da primeira etapa.

Dominando bem as ações, mas enfrentando um adversário fechado, o Luver teve dificuldade em criar chances claras de gol. Os chutes foram, na maioria, de fora da área e sem assustar o goleiro Eduardo Martini. O lado positivo era que o ataque fazia um jogo participativo: Hugo, Sérgio Mota e Alfredo apareceram bastante.

Foto: Globo Esporte.
O jogo que parecia melhorar no segundo tempo com seus primeiros minutos agitados, voltou a entrar na monotonia da etapa inicial. E quando já parecia que se encaminhava para um 0x0, brilhou a estrela do técnico Júnior Rocha. Ele colocou Douglas Baggio no lugar de Rafael Silva e não precisou nem de cinco minutos para ver o reserva marcar o gol do jogo em sua primeira participação.

Com a desvantagem no placar, os gaúchos até esboçaram uma reação e chegaram duas vezes com certo perigo, contudo sem converter em gol as chances. Quem marcou foi Hugo, mas em posição irregular.


A vitória devolve o Luverdense para a briga pelo acesso. Ainda que pareça improvável pelos elencos concorrentes, a pontuação permite sonhar. Os próximos dois jogos serão fora de casa, diante de Vila Nova e Ceará (ambos sonhando com o acesso). É a hora de surpreender e mostrar que o sonho pode se tornar realidade.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.