Header Ads

Com gol de Cuca, Palmeiras passa pelo Figueirense

Não, caro leitor, você não leu errado. O escriba não se confundiu ao anotar os gols de Jean para o treinador do Verdão. É apenas o crédito devido a um treinador que vem acertando em praticamente todas as suas invenções na escalação inicial. Pode parecer exagero, mas não é.

Cuca tem feito várias dessas ao longo do campeonato. Para não alongar muito, fez contra o Coritiba, quando lançou Leandro Pereira ao invés do esperado Barrios. Pereira marcou o primeiro gol do Verdão. Ele também acertou na mosca contra o Santa Cruz, quando colocou jogadores decisivos na partida (Leandro Pereira e Cleiton Xavier), além de adiantar Zé Roberto no meio - o veterano abriu a contagem na ocasião.

Hoje, Cuca repetiu o avanço de um lateral. Desta vez foi Jean, mas não para atuar como volante, posição em que apareceu bem quando revelado pelo São Paulo. Jean foi praticamente um meia-esquerda. E assim, como homem avançado do meio-campo que ele apareceu para marcar o segundo e decisivo gol do Palmeiras.

Palmeirenses comemoram gol. Vitória manteve o time na liderança.
(Foto: Globo Esporte)
A tarde inspirada de Cuca, porém, não se repetiu no trio de ataque do Palmeiras. Dudu foi o melhor deles, mas pareceu inibido por um cartão amarelo do primeiro tempo. Roger Guedes e Gabriel Jesus foram, mais uma vez, abaixo do esperado. O segundo ao menos conseguiu um pênalti, ainda que meio mandrake. Diga-se, o Figueira teve um pênalti também, ignorado pela arbitragem.

A vitória, contudo, é incontestável. Apesar de pouco criar no primeiro tempo, o Verdão voltou muito bem na etapa final. O gol veio depois de outras três boas chances perdidas. Dificilmente levaria gol, não fosse uma saída bisonha de Jailson em um escanteio. Sem problemas, ele tem crédito até dentro da partida: fez uma defesa milagrosa ainda no primeiro tempo.

Sem problemas, inclusive, foi a reta final do jogo. Mesmo com o gol, o Figueirense sequer conseguiu assustar o gol palmeirense. Quem quase marcou o terceiro foi o Palmeiras, em duas oportunidades. Vitória gigante em um estádio que só dois times haviam conquistado três pontos até então – e nenhum deles está no G4.

O DESTAQUE: Novidade no novo posicionamento em campo e autor de dois gols, não tem como não ser Jean. Ele ajudou Moisés na condução de bola e ajuda na marcação de maneira mais intensa que Cleiton Xavier, por exemplo.


BOLA MURCHA: Aparentemente desligado, Vitor Hugo deu diversos sustos ao longo do jogo. No primeiro tempo, fez falta perigosa que poderia ter dado vantagem ao time da casa. No segundo, uma furada poderia ter deixado Rafael Moura na cara do gol. Tem crédito, é claro.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.