Header Ads

Duas derrotas trágicas e um divisor de águas

Da eliminação na Champions à queda de invencibilidade na Premier League. Não foi uma semana nada agradável para o Tottenham. Pelo contrário, as derrotas para Monaco e Chelsea, ambas por 2 a 1, foram trágicas para as pretensões do time na temporada 2016/17.

Se por um lado todos sabiam que seria difícil repetir aquilo que acontecera na temporada passada, quando ocorreram enormes vacilos dos principais postulantes ao título e o time do norte de Londres se aproveitou para brigar pelo título da Premier League, chegar ao mata-mata da Champions era algo bem alcançável na atual. Após o sorteio, então, as expectativas só aumentaram e o grupo parecia bastante acessível.


O Tottenham se despede precocemente da Champions (Foto: AP Photo)
Parecia. Em momento algum, o time inglês confirmou o favoritismo no grupo e complicou a classificação que parecia provável, caindo precocemente nesta fase. Restando uma rodada, os Spurs terão que se contentar apenas com uma vaga na Europa League, o que também é incerta e será decidida no duelo contra o CSKA.

Mas será que vale a pena disputar a segunda competição do continente? Por um lado, a vaga trará mais prestígio na Europa e há a importância pelo aspecto financeiro, a medida que for avançando de fase. Por outro, serão mais jogos e isso trará um prejuízo no aspecto físico. E isso deve ser levado em consideração, caso o clube almeje repetir a campanha da última Premier League.

De certa forma, Maurício Pochettino teve que fazer essa "escolha" na temporada passada, priorizando a competição nacional e poupando títulares na europeia. No confronto contra o Borussia Dortmund, a equipe mista não foi párea para os alemães, perdendo os dois jogos das quartas-de-final.

Mesmo que a opção seja priorizar a competição europeia, todos sabem que o mata-mata propõe surpresas, não há a garantia que o título venha e, consequentemente, a vaga na próxima Champions também não. Ou seja, retornar à principal competição de clubes do mundo parece mais viável pela Premier League. E, ao meu ver, o técnico argentino deveria prioriza-la novamente.


Os Spurs saíram na frente no Stamford Bridge (Foto: Stefan Wernuth/Reuters)
Algumas coisas são certas: o elenco carece de peças de reposição, tanto em quantidade, quanto em qualidade; há uma inferioridade em relação aos seus principais adversários ingleses; e almejar título nas duas competições difíceis, será quase certeza de fracasso em ambas. A derrota para Blues no clássico, inclusive, evidenciam a queda no aspecto físico, sendo o principal fator para que a virada acontecesse. E o alto número de lesões em poucos meses só confirmam a tese.

Embora a 13ª rodada tenha sido péssima, ainda não estamos nem na metade do campeonato e não dá para descartar o Tottenham como postulante ao título, mas é bom que esqueçamos por um momentoO principal objetivo do Tottenham na temporada, portanto, deverá mesmo ser a briga para retornar à Champions na próxima edição, seja qual for o método escolhido afim de garantir essa vaga.


#COYS

Por: Marcelo Júnior


Twitter: @marcelinjrr / @SiteLF / @PLBrasil_LF

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.