Header Ads

Lyon mostra evolução ofensiva, mas sofre com erros defensivos e perde em casa

No último domingo (27), O Lyon recebeu o Paris Saint-Germain, no Parc OL, pela 14° rodada do Campeonato Francês. O jogo marcou o reencontro de Hatem Ben Arfa com o Lyon, time no qual o meia foi revelado.

Ben Arfa em ação contra o clube em que foi revelado (Foto: C. Gavelle/PSG)
O técnico fez poucas mudanças da partida anterior contra o Dínamo Zagreb para o clássico com o PSG. Apenas alterou a formatação tática e o posicionamento de alguns jogadores. 

A disposição tática de ambas equipes era muito similar. O Lyon, com a bola jogava no 4-3-3, sem a bola, variava para o 4-4-1-1. Com duas linhas de quatro jogadores, com Lacazette e Tolisso mais à frente. 

A partida começou com time de Unaí Emery dominando as ações, chegando à picos de 75℅ de posse no primeiro tempo. Apesar da maior posse de bola, os parisienses não eram incisivos. O Lyon, em contra-partida, marcava forte e jogava a partir do erro do adversário, para ser reativo e contra-atacar com velocidade.

Mas "água mole, pedra dura, tanto bate até que fura": depois de muito volume de jogo e de certa pressão explorando os lados do campo, o PSG fez o gol. Aos 28', o capitão Maxime Gonalons derrubou Thiago Motta dentro da área e cometeu pênalti, que foi bem assinalado pelo árbitro Ruddy Buquet. 

Na cobrança, o artilheiro Cavani não sentiu a pressão de 55 mil espectadores no Parc OL e fez, Lyon 0-1 PSG. Após o gol, os mandantes seguiram reativos e os visitantes possessivos, só que o jogo ficou mais morno e poucas chances foram criadas. O placar, portanto, não foi mudado antes do intervalo e o 1 a 0 permaneceu.

Na segunda etapa, os comandados do técnico Bruno Génésio voltaram mais ligados no jogo, afim de empatar. A marcação alta gera erro, e o erro gera chances claras. A partir disso, o Lyon chegou ao seu gol. Logo aos 3', Rafael chutou cruzado, Aréola defendeu e a bola sobrou com Valbuena, que bateu e fez, Lyon 1-1 PSG.

Com o empate, o Lyon cresceu no jogo e com a pressão de sua torcida criou várias e várias chances de gol, que não foram concretizadas. O time adiantou as linhas e com as entradas de Fekir e Valbuena se tornou mais incisivo, porém a recomposição era mal feita, o que tornava o jogo muito corrido.


Cavani deu a vitória aos parisienses (Foto: Robert Pratta/Reuters)
Já no fim, mais precisamente aos 36 minutos, o placar foi alterado mais uma vez. Em sequência do erro de passe no meio campo, o Lyon sofreu outro gol. Numa jogada de ultrapassagem do lateral, o belga Thomas Meunier, que havia entrado no lugar de Ben Arfa, cruzou a bola para Cavani, que fez o seu doblete. Lyon 1-2 PSG.

Em minha opinião, o técnico Bruno Génésio pecou na escalação. Começar com Fekir e Valbuena no banco, foi um erro. Os laterais do PSG, tanto Maxwell quanto Aurier, não marcam bem. Seria fundamental jogar naquele setor, o que não aconteceu e o que vimos foi um Paris Saint-Germain objetivo e preciso.

Com a derrota, o Lyon caiu para sétima posição, com 22 pontos. Antes da decisão na Champions League contra o Sevilla, no dia 7 do mês que vem, o time enfrenta o Nantes, fora de casa, pela 15° rodada da Ligue 1.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.