Header Ads

Manchester United 1 x 1 Arsenal: O pesadelo continua

Wenger comemora, mas sabe que no fundo tem muitos motivos para estar preocupado. (Foto: Getty Images)

Enfrentaríamos o Manchester United em Old Trafford, o que já seria um desafio daqueles pra nossa equipe. Pra piorar, os adversários ainda tinham José Mourinho no comando da equipe. Era aquele famoso jogo que aquelas pessoas que gostam de estatísticas adoram, pois ela sabiam que o único caminho para essa partida era a vitória dos Red Devils. 

E essas pessoas estiveram certas por muito tempo. Foi um domínio completo do time mandante. Se o Teatro dos sonhos já intimida o Arsenal por natureza, o próprio Arsenal conseguiu deixar sua missão mais difícil jogando um futebol ridículo. No primeiro tempo, pra não ser mentiroso, os Gunners assustaram apenas uma vez, e provavelmente foi sem querer. Em cobrança de escanteio, Özil tocou pra Monreal que cruzou, a bola bateu e rebateu na defesa do United, mas Ramsey não conseguiu alcançar o toque de Alexis para tentar marcar. 

E foi só. O Arsenal não passou disso no primeiro tempo. Quer dizer, passamos por momentos bem ruins: Pogba, quando tinha espaço, fazia estrago e em uma jogada, achou Mata sozinho após Koscielny e Mustafi baterem a cabeça. O espanhol deu um chute rasteiro e forte, mas nosso goleiro Petr Cech conseguiu nos salvar com uma bela defesa. Era só um presságio do que estava a acontecer. 

O sistema defensivo parecia estar meio abobalhado(esse é o único termo que pode definir) e quaisquer jogador do United tinha espaço para pensar e fazer aquilo que bem entendesse. Mas o resto da defesa esqueceu de avisar ao nosso goleiro. O tcheco fez outra boa defesa em chute colocado de Martial. Mas era bem óbvio que ele não ia conseguir segurar tudo. No segundo tempo, Mata outra vez conseguiu receber a bola sozinho em um buraco na nossa defesa, dessa vez em passe de Ander Herrera, e não deu chance de defesa. 

Belo chute de Mata que deu a vantagem no placar para o time da casa. (Foto: AFP/Getty)

O placar era ao mesmo desfavorável e favorável. Estávamos perdendo, mas era "só" de um a zero. Com aquilo que fora produzido, era pro Manchester United ter,no mínimo,três gols de vantagem. Mas o futebol é desses que oferece a menor chance para aquele time que não conseguia dar um mísero chute ao alvo durante TODO O JOGO(sim, todo o jogo) ter uma chance de igualar o placar. 

Wenger viu que o time precisava de mais e colocou Chamberlain e Giroud para tentar responder. Em um asterisco, nosso técnico ainda não tem culhão suficiente para tirar Özil das partidas. O alemão, que teve toda a data FIFA para descansar, era nulo em campo. Mesmo com as mudanças, nossa equipe não conseguia produzir nada e o jogo se tornava chato, pois o United entrou na única tática que Mourinho conhece, que é defender e deixar o tempo passar. 

Aos 45 minutos,uma faísca de inspiração: Chamberlain, que estava descansado, ligou o turbo e conseguiu chegar na linha de fundo livre e deu um cruzamento milimétrico para Giroud, que contra a fraca defesa do United conseguiu colocar a bola dentro do gol. Em um jogo atípico, o Arsenal conseguiu o empate. 

Giroud cabeceia para empatar o jogo. (Foto: Action Images via Reuters)

Apesar do resultado não ter sido de derrota, é impossível não destacar negativamente a nossa atuação. O time não tinha nenhum padrão tático. Ramsey estava perdido jogando pelo lado esquerdo e por isso Antonio Valencia fez o que quis em nosso sistema defensivo. Özil e Alexis estavam encaixotados pela marcação e o galês era uma peça essencial para as construções das jogadas. Se for pra jogar pela esquerda, é melhor que coloquem o garoto Iwobi no time. 

O Arsenal ainda não conseguiu vencer o seu pesadelo de jogar no Old Trafford pela Premier League. E Wenger ainda deve acordar desesperado quando deita e sonha com José Mourinho. Esse empate espírita não serviu para os dois se libertarem dos seus principais pesadelos, muito pelo contrário, é um sinal de que eles ainda estão muito vivos e acordados em nossos pensamentos. 

Analisando de uma forma geral, o empate fora de casa não é ruim. Estamos em quarto lugar a três pontos do líder Chelsea e o campeonato está em aberto. Já não é a primeira atuação ruim do Arsenal na temporada. Contra o Burnley, contamos com a sorte. Contra o Middlesbrough, sofremos um ridículo empate. Precisamos acordar de vez para nos libertar daquilo que vem tirando nosso sono há tantos anos. 

Twitter
@SiteLF / @PLBrasil_LF 
Autor: @sergiostn_

Um comentário:

  1. Andei ausente com problemas pessoais, mas pude voltar a acessar seu blog depois de muito tempo e continua cada vez melhor. Recomendo

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.