Header Ads

Não deveria ser tão difícil

Na ultima sexta-feira(11) o Goiás enfrentou o desesperado Joinville pela 36º rodada da Série B. Em um jogo difícil e de amplo dominío esmeraldino, a suada vitória só foi conquistada aos 45 minutos do segundo tempo em uma virada emocionante com dois gols do artilheiro do time Léo Gamalho. Vitória esta que não tem valor algum para a equipe esmeraldina, que se encontra livre da briga contra o rebaixamento e não alcança mais o acesso a Série A esse ano.
Time reunido antes do início da partida.
 foto: ohoje.com.br

  •  Dificuldades desnecessárias
Ao contrário do que muitos imaginavam antes da bola rolar, o jogo não foi nada fácil para a equipe esmeraldina. Graças a defesa que não se cansa em falhar, o Joinville em seus dois primeiros chutes a gol conseguiu abrir e ampliar o placar. Aos três minutos do primeiro tempo, Jael pegou de primeira o cruzamento de Reginaldo e Marcio, provando para a torcida que não é digno da camisa esmeraldina, aceitou e viu a bola morrer lentamente no fundo das redes. Mal conseguimos digerir o desastre que ali se formava e aos 17 minutos Fernando Viana estufou as redes de novo e fez 2x0 para o time de Santa Catarina transformando um jogo teoricamente fácil em um enorme pesadelo.

Se há uma coisa que podemos notar em 2016, e tentar concertar para o ano que vem é nossa defesa. É um absurdo que jogo após jogo as falhas continuem aparecendo em nosso sistema defensivo e não importa qual seja a mudança, elas persistem. Nós não temos um goleiro que mantenha uma sequência boa, a nossa dupla de zaga não importa qual seja sempre "bate cabeça", e nossos laterais estão abaixo do nível que nossa torcida está acostumada. Espero fortemente reforços dignos de usar nossa camisa nesse setor.
  • Vitória na base do esforço
Após tomar dois gols no início do jogo, o Goiás começou a criar suas primeiras chances depois da expulsão do lateral adversário. Com um jogador a mais em campo, o time tinha  e usou como opção as laterais do campo, que mesmo com um esforço enorme do JEC em tentar cobrir espaços se tornaram a arma esmeraldina. Inúmeros cruzamentos foram feitos rumo a área adversaria, mas o placar não se alterou no primeiro tempo irritando ainda mais os torcedores que já compareceram em clima de protesto contra o clube.

Léo Gamalho disputando a bola com defensores adversários
foto: globoesporte.com
Durante todo o segundo tempo persistimos em cruzamentos na área, mesmo com Gilson Kleina testando Liniker no meio campo,o setor ficou improdutivo e não conseguia furar a defesa do Joinville que no momento era composta por 9 jogadores e o goleiro. Walter de tanto deixar os companheiros na cara do gol, e ver chances e mais chances serem desperdiçadas, resolveu decidir sozinho e aos 23 minutos contou com a ajuda do goleiro Jhonatan pra descontar o placar. 

A pressão aumentou e a torcida voltou a acreditar embalando o time (que se encontrava também com um a menos após a expulsão de David Duarte), com a chuva que começara no final da partida veio o empate, Rossi chegou na linha de fundo e achou Léo Gamalho sozinho para empatar a partida. 2x2 e ainda restavam 12 minutos.

O time de Santa Catarina claramente havia reconhecido a inferioridade técnica mostrada em campo, o Goiás pressionava como nunca o adversário a medida em que o cronômetro aproximava da marca dos 45 minutos. Gilson Kleina ainda teve tempo de testar o garoto Jarlan, que entrou muito bem no lugar de Rossi e deu ainda mais velocidade ao time. Em um contra ataque de um escanteio puxado por Léo Gamalho e Jarlan, o camisa 10 esmeraldino achou Walter na direita, e o mesmo devolveu para o "Ibra do Cerrado" virar o jogo. Festa no Olímpico, torcedores e jogadores em euforia com uma vitória mais que merecida e mais 3 pontos na tabela.

  • Um reflexo sobre 2016

Sim nós vencemos, mas nem tudo está 100%(longe disso). Esse jogo é a prova de que o Goiás foi incompetente esse ano, transformando objetivos relativamente fáceis em pesadelos para a torcida. O time precisou levar dois gols e ter a torcida irritada para reagir e buscar a vitória no segundo tempo, e foi assim o ano inteiro. O Goiás so começou a esboçar reação com a chegada de Gamalho, Walter e Kleina e quando viu já era tarde demais. 2016 não deveria ser tão difícil para o clube e muito menos para o torcedor, faltou profissionalismo, e hoje arcamos com as consequências.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.