Header Ads

Na estreia de Borja, Palmeiras bate Ferroviária

Depois da partida muito abaixo da crítica no Derby de quarta-feira cabia ao Palmeiras vencer e convencer diante da fraca Ferroviária. E foi o que fez o Verdão: O placar de 4x1 reflete bem o que foi o jogo que, entre tantas boas jogadas, teve a estreia (com gol) do atacante Miguel Borja.

Eduardo Baptista ficou sem Felipe Melo para a partida deste sábado. Com grande corte após choque com Mina, ele foi vetado pelo departamento médico e substituído pela opção mais óbvia do Thiago Santos. Evidentemente sem a mesma qualidade na saída de bola, o treinador palmeirense optou por alterar o esquema e colocar Zé Roberto como segundo volante para ajudar na transição.

A ideia funcionou muito bem. Com boa movimentação de Dudu, Michel Bastos e Keno na linha de três meias – e que por vezes contou com aparições do próprio Zé Roberto -, o Verdão cansou de perder gols no primeiro tempo. Willian teve duas chances claras, Keno viu o zagueiro salvar bola em cima da linha. A única vez que o ataque não falhou foi na cabeçada de Keno que abriu o placar.

O placar de 1x0 ficou bem barato para uma Ferroviária bastante recuada e que praticamente não assustou Fernando Prass nos primeiros quarenta e cinco minutos do jogo. Os erros constantes de Willian, destoando da ótima partida coletiva da equipe, clamavam pela entrada de Borja. O chamado que fez o estádio delirar veio acompanhado do segundo gol palmeirense da tarde: Michel Bastos encheu o pé e ampliou.

Borja começou com o pé direito: entrou e marcou logo na primeira partida pelo Verdão.(Foto: Divulgação/Cesar Greco/Ag. Palmeiras)
Já com o colombiano em campo, o juiz assinalou pênalti para os visitantes que gerou a única grande polêmica da tarde. Prass defendeu, mas adiantou-se e viu o bandeira anular (corretamente) o lance. Na segunda cobrança, Alan Mineiro marcou aproveitando-se que o árbitro desta vez ignorou a invasão da área.

Os minutos seguintes foram os únicos realmente perigosos para o Verdão na partida. Thiago Santos saiu e, sem volante combativo no banco, Eduardo precisou deixar o meio-campo ainda leve. A marcação não encaixou e as coisas só se tranquilizaram depois que o principal atrativo da tarde decidiu o jogo.

Após cobrança de escanteio afastada por Edu Dracena (que mais uma vez entrou muito bem no time, substituindo Mina por precaução), Borja roubou bola no meio e tabelou com Dudu antes de finalizar com categoria e marcar seu primeiro gol com a camisa do Verdão para fazer explodir o Allianz Parque. Roger Guedes ainda fechou a conta de cabeça poucos minutos depois já com o jogo decidido.

Se não tem o peso de um Derby (e de fato não tem), o jogo contra Ferroviária confirmou o que já vinha acontecendo nas últimas partidas. Mesmo com times diferentes, a evolução é nítida. Eduardo foi muito feliz na escolha por Zé Roberto como segundo volante e o time dominou praticamente todo o jogo – os gols saíram no segundo tempo, mas não seria anormal se o intervalo marcasse 3x0 para o Verdão. Com apenas um jogo antes da estreia na Copa Libertadores, não deixa de ser um bom sinal.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.