Header Ads

Fogão joga bem, dá trabalho ao campeão brasileiro, mas sai derrotado do Allianz Parque

Começou o campeonato estadual mais disputado do país. A bola rolou pela primeira vez na sexta-feira à noite, com a vitória do Santos sobre o Linense, e no domingo foi dia do Fogão estrear no campeonato de mais visibilidade do país. O adversário era o time a ser batido no Brasil. O Palmeiras. O atual campeão brasileiro, e pelo terceiro ano seguido, o time em território nacional, que mais investiu em contratações para a temporada.

O Pantera vem de uma campanha muito irregular no último estadual, onde teve que lutar até as últimas rodadas para evitar que fosse rebaixado para a série A2, e com a manutenção do trabalho, conseguiu escapar, e dar sequência no ano que se sucedeu.

Nesta temporada o trabalho começou mais cedo. Peças pontuais foram trazidas, e o time começou a ganhar cara bem antes da virada do ano. Apostando como é de costume em jogadores rodados, com experiência nacional, e também em garotos formados na base, o Tricolor de Ribeirão já tinha no começo do ano uma espinha dorsal, com jogadores de muito potencial para montar seu time durante a temporada.

O destino seria o Allianz Parque, na capital paulista, para dar o pontapé inicial oficialmente na temporada. Desafio difícil, para o time comandado pelo conterrâneo Moacyr Junior.

Foto - TO Os Dragões 

O JOGO:

Palmeiras e Botafogo foram a campo para iniciar suas respectivas temporadas, a exemplo do que foi no ano passado. Diferentemente de 2017, na última temporada o jogo de estreia foi em Ribeirão Preto, e o time da capital levou a melhor com uma vitória por 2 a 0. Para esse jogo, o local era a belíssima arena do time alviverde, e sua inflamada torcida, empolgada pelo título nacional no último ano.

O Botafogo vinha a campo com um time ainda, não considerado o titular. Alguns jogadores de mais renome, como o meia Bernardo, não começaria entre os 11 por causa da forma física, e a contratação mais recente, o atacante Francis, ainda não estava regularizado para atuar. Mas de todo modo era um time de respeito. Neneca, herói do título da Série C em 2015 no gol, Samuel Santos ídolo da torcida tricolor na lateral, o promissor Mancini na zaga, Rafael Bastos que jogou a Série A na última temporada pelo meio, e o já conhecido Marcão, com passagens por grandes clubes do Brasil, no comando de ataque. Era essa a espinha dorsal do time posto em campo por Moacyr Junior.

Quando a bola rolou, o que se viu foi uma equipe do Palmeiras ansiosa pelo primeiro gol em cima do Botafogo, e tentando de qualquer forma responder a expectativa da torcida com um gol. Entretanto, o Fogão se portava como time grande jogando dentro do Allianz Parque. Marcava do meio campo para trás, congestionando por muitas vezes o meio campo, e não deixando o time Palmeirense fazer seu jogo como gosta.

A partida não foi tão chamativa no quesito oportunidades na primeira etapa, mas para comentaristas e intelectuais da bola, foi um prato cheio. Partida estudada, com o Palmeiras fazendo marcação por zona, característico dos times de Eduardo Baptista, e o Botafogo jogando dentro de suas limitações, e anulando o Palmeiras em suas jogadas ofensivas. O que se via era um time muito bem treinado, e com potencial muito grande de crescer ao longo da temporada.

No fim do primeiro tempo, o Fogão ainda arriscou algumas jogadas pelo lado esquerdo do campo de ataque palmeirense, em jogadas com Samuel Santos, e Serginho. Todas foram bem defendidas, e afastadas pelo arqueiro Fernando Prass. O jogo ia para o intervalo com o Pantera atuando melhor.

Na volta para os 45 minutos finais, o Palmeiras fez questão de pressionar em cima, a exemplo do que fez no começo do jogo. Por méritos da equipe alviverde, e para o delírio dos 24 mil pagantes, a pressão surtiu efeito. Depois de bola recuperada pelo lado direito do campo de ataque, Tchê Tchê partiu em direção ao gol, jogou para a perna esquerda e bateu colocada, no canto de Neneca – que em minha opinião caiu atrasado no lance – para fazer o primeiro gol do Palmeiras no Paulistão 2017.

O jogador que fez um maravilhoso campeonato paulista no ano passado pelo Audax Osasco, na campanha que coroou o time da Grande SP com um vice-campeonato, explorou bem suas virtudes e qualidades. Um chute defensável, mas que arriscou, e foi feliz na conclusão.

O Botafogo a partir daí começou uma blitz que perduraria até o fim do jogo. O importante a se destacar aqui também, é que o Tricolor não sentiu tanto como parecia que sentiria o gol levado pelo time adversário. Com um futebol de marcação pesada nas primeiras linhas do alviverde, o Fogão conseguiu fazer frente em muitos momentos ao time da casa, e levou perigo em diversas jogadas.

Samuel Santos pelo lado direito sempre era um dos mais perigosos. Ele que travou batalha particular em diversos momentos do jogo, com o folclórico Felipe Melo, não deixou barato em nenhuma das vezes. Soube jogar com a cabeça no lugar, e não sucumbir à pressão e provocação já conhecida do volante alviverde.

Marcão até chegou a marcar para o Tricolor. Em chute arriscado de longa distância por Rafael Bastos, o goleiro palmeirense Fernando Prass defendeu, mas bateu roupa, nos pés do centroavante botafoguense, que finalizou com perfeição para o fundo das redes palestrinas. Contudo, o jogador do Botafogo estava em posição de impedimento, corretamente assinalado pelo auxiliar da partida.

Site Botafogo-SP
Com o jogo tomando seus contornos finais, o resultado ficou por isso mesmo. Uma vitória magra do Palmeiras. Sem deixar passar também, a belíssima atuação do Botafogo frente ao time que é atual campeão brasileiro, e tem um dos elencos mais valiosos da América do Sul. Time que se portou de forma corajosa em campo, e não titubeou para a equipe da casa. Bela forma física, bela aptidão tática, e principalmente, jogadores com muita qualidade técnica. Moacyr Junior tem tudo para emplacar frente ao Fogão.

PRÓXIMO COMPROMISSO:

O Botafogo tem agora toda uma semana para se preparar, e depois voltar a campo no sábado, as 19h30, dentro de casa, no Santa Cruz, para enfrentar o Novorizontino. Será o primeiro jogo oficial em casa, com promessa de bom público, e que já deverá ter na equipe titular, alguns dos reforços mais badalados da temporada. O Palmeiras joga no mesmo horário, só que no Domingo, contra o Ituano, no Novelli Junior.

MELHORES MOMENTOS

 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.