Header Ads

Paraná vai com time misto e perde para o Coritiba no Couto

Na noite do último domingo (05), o Paraná entrou em campo contra o Coritiba pela terceira rodada do Campeonato Paranaense, defendendo o 100% de aproveitamento e a defesa zerada. Preservando o time para o jogo contra o São Bento, pela Copa do Brasil, o técnico Wagner Lopes mandou o time para o clássico com apenas três titulares (Léo - goleiro, Diego Tavares - lateral-direito e Vitor Feijão - atacante) e perdeu o Paratiba por 1x0.

A imagem pode conter: multidão, estádio, grama e atividades ao ar livre
Como sempre, a torcida do Tricolor compareceu em peso no Couto.
O jogo começou muito pegado e com dois cartões nos primeiros 10 minutos de partida (Jhony, do Paraná e Juninho, do Coritiba) e se estendeu até o final do primeiro tempo. A chance mais perigosa do Tricolor nos primeiros 45 minutos foi em uma cobrança de falta batida por Zezinho, que passou acima da trave de Wilson.

No segundo tempo, até os 20 minutos, o Coritiba ficava com a posse e chegava com perigo em alguns lances, como a finalização de Henrique Almeida para a defesa em dois tempos de Léo. Porém, o jogo parecia virar a favor do Paraná quando Guilherme Biteco entrou para a saída de Alesson. Habilidoso e raçudo estava liderando a pressão paranista sobre o time mandante. Fez um bom cruzamento para o meio da área e Vitor Feijão não conseguiu finalizar e na sobra Zezinho chutou em cima da defesa adversária; em outro lance, após cruzamento de Diego Tavares, cabeceou no contra-pé de Wilson, que fez ótima defesa.

Logo depois do milagre de Wilson, Kléber faz o gol após cruzamento de Neto Berola e freou a pressão Tricolor. Paraná ficou abatido com o gol e o Coritiba teve outras oportunidades para ampliar, o que acabou não acontecendo. Para piorar e acabar com a chance de empate, Zezinho foi expulso depois de cotovelada em Matheus Galzdezani, aos 44 minutos.

Não foi uma má apresentação para um time que foi com a equipe mista e ainda não está entrosado. O time segurou bem o Coritiba, que precisava do resultado, e teve duas grandes oportunidades no segundo tempo.

MELHOR DA PARTIDA

Guilherme Biteco entrou e quase mudou o destino da partida. Rápido, habilidoso e demonstrando muita raça em campo, deu o gás que o Paraná precisava no segundo tempo. Foi o autor da jogada mais perigosa do Paraná na partida, quando cabeceou para o milagre de Wilson.

Biteco que saiu chorando da partida, pois foi a primeira partida dele após o trágico acidente da Chapecoense, onde morreu o irmão dele (Matheus Biteco).

O próximo desafio do Tricolor é contra o São Bento, em Sorocaba, pela Copa do Brasil. O jogo será na próxima quarta-feira às 20h30. Lembrando que pelo novo regulamento da competição, o jogo será único e o Tricolor pode jogar pelo empate.


Foto: Antonio More
O próximo desafio do Paraná é contra o São Bento, em Sorocaba, pela Copa do Brasil. O jogo será na próxima quarta-feira (08) às 20h30. Lembrando que pelo novo regulamento da Copa do Brasil, o jogo será único e o Tricolor pode jogar pelo empate.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.