Header Ads

Te amar é maravilhoso, Corinthians

Há anos escrevo sobre o Corinthians e não me recordo de um jogo no qual encontrei tanta dificuldade em descrevê-lo como este. Corinthians x Palmeiras nunca é só mais um jogo. O clássico Paulista muda a vida das pessoas, onde o humor e a rotina não são as mesmas em uma semana pré-clássico.

Estamos falando de um clássico que no ano de 2017 completará 100 anos de existência, e o porque não ser tão enlouquente? A minha vida mudou quando o Corinthians começou a fazer parte diariamente dela, e muda toda vez que um Corinthians x Palmeiras está para acontecer.

Há tempos não via o real sentido de 'Ser Corinthians' como foi este jogo. Em quase três anos de Arena Corinthians, pela primeira vez vi este local ser um estádio e não uma arena. Rolou de tudo.

A começar pela TORCIDA, o que foi aquilo? Antes de começar o jogo com sinalizadores, fumaças e faixa escrita: Pelo fim da proibição. Sim amigos, que essa proibição acabe, a festa foi linda e isso incentiva jogadores a se doarem mais dentro de campo.

Foto: Reprodução Instagram 
Com a bola rolando só deu Corinthians na primeira etapa, a equipe da Turiassú dificultou apenas uma vez ao assustar com bola na trave de Keno. O alvinegro foi ousado, enquanto a mídia o subestimava por ser uma equipe nova criando a sua identidade ainda diante de um glamoroso rival cheio de jogadores de nomes.

Mas é aquela, clássico nunca é clássico se não rolar de tudo né?! Gravem este nome: THIAGO DUARTE PEIXOTO, o querido JUIZÃO da peleja. Que lambança este homem aprontou dentro de campo. Ao final da primeira etapa o arbitro resolveu entrar em ação. Gabriel havia tomado cartão amarelo e o juiz aplicou o segundo em um lance que o atleta alvinegro nem participou, só estava ao lado. Maycon quem merecia o cartão amarelo, o jogador ainda falava ao arbitro que ele quem merecia a punição, não seu parceiro Gabriel.

As desculpas do juiz Thiago não me convence, ele aceitar que errou depois de ver as imagens é o mínimo que ele poderia fazer, porém eu o vi ser alertado e mesmo assim ele não aceitou a ajuda de seus parceiros que estavam presente.

A revolta do elenco do Corinthians foi tanta que o circo pegou fogo e os dois elencos tanto do Timão quanto do alviverde. O quarto arbitro alertou Thiago do erro, falou que não era Gabriel quem estava errado no lance e sim Maycon. Mesmo com todos alertando o arbitro ele não corrigiu seu erro. O atleta do Corinthians se recusava a sair de gramado, mas saiu muito revoltado chutando tudo o que via pela frente. Gabriel inclusive chorava muito do vestiário, como se o Timão viesse a perder a partida por culpa dele. Porém, todos sabiam que ele não teve culpa, menos o juizão.

O espírito do elenco do Corinthians é tanto que os jogadores ainda no intervalo falavam para Gabriel parar de chorar porque iriam ganhar o jogo por ele, e claro, por Camacho que teve a perda de seu pai.

A etapa complementar com um jogador a menos foi um teste cardíaco para os torcedores Alvinegros. Só deu Palmeiras. A equipe da zona oeste Paulistana soube aproveitar a vantagem de um jogador a mais e foi pra cima, porém esbarravam em um Cássio muito bem dentro de campo. 

O Corinthians chegou com perigo mesmo uma vez no segundo tempo e foi em um contra-ataque de Maycon que encontrou Jô que havia acabado de entrar no lugar de Kazim machucado. O volante chutou uma vez, porém Zé Roberto afastou e na segunda oportunidade o atacante alvinegro chutou e Prass não defendeu. Gol para delírio da Fiel Alvinegra. Gol com a cara do Corinthians. Na raça, na bola! 

Rubens Cavallari/Folhapress
Vitória do Corinthians é maravilhoso, uma vitória em cima do nosso rival em temporada que se completa 100 anos de clássico e da maneira como foi esta vitória se torna mais gostoso ainda.

Alguns atletas merecem destaques como Guilherme Arana que jogou muito o moleque, foi muito bem ofensivamente, e seu maior problema que era na defesa apoiando a dupla de zaga já melhorou muito. O atleta hoje sabe marcar dentro de campo. E a raça e entrega do paraguaio Romero? O atacante ao lado de Arana jogaram muito.

A dupla de zagueiros Pablo e Balbuena estão entrosados. Uma pessoa que merece reconhecimento pelo Corinthians que andamos vendo é FABIO CARILLE, o comandante Alvinegro está cada dia mais adquirindo a cara desse novo Timão. Eu particularmente gosto do futebol apresentado pelo Alvinegro, o time não é ~horrível~ como muitos acham e a própria mídia muito das vezes detona.

A questão é que o elenco sem estrelas venceu a tal "seleção" montada pela equipe alviverde cheia de "estrelinhas". Essa é a diferença do Corinthians, nunca precisou de um jogador, mas sim de seu elenco completo, porque a união do time faz com que dentro de campo se jogue com raça, principalmente em um jogo onde a torcida apoiou e não vaiou em nenhum momento.

O conjunto  torcida + time funcionou perfeitamente no clássico e essa união se transforma em Corinthians. Isso é Corinthians! Isso é futebol, essa é a minha vida.

Da mesma maneira que um clássico entre Corinthians x Palmeiras muda a rotina antes do jogo acontecer, ela muda depois também. Tudo o que foi relatado ninguém precisou me falar, eu vivi isso pessoalmente ao estar dentro da Arena Corinthians como imprensa. Aliás, a quem me conhece sabe que meu amor pelas reportagens é pelo Futebol Feminino, porém, fiz meu primeiro jogo dentro da Arena Corinthians como imprensa pela Rádio Coringão e logo de cara presenciei esse espetáculo.

TE AMAR É MARAVILHOSO, CORINTHIANS!

Isabela Macedo || @ismacedo_
Linha de Fundo || @SiteLF

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.