Header Ads

Três pontos ao Cuadrado – pela honra e pela glória

Desde o calciopoli (escândalo envolvendo alguns times italianos com supostas manipulações de resultado), o clássico entre Juventus e Inter passou a ter maior importância na mente das torcidas, mas principalmente na mente dos bianconeri, que depositaram toda sua raiva na conta daquele que foi o grande beneficiado com todo o ocorrido.

Onze anos depois, foram disputados 10 campeonatos italianos ao todo (o 11º está em disputa neste momento), a Inter venceu os quatro campeonatos seguintes ao evento, o Milan um e a Juventus venceu os últimos cinco scudetti. Uma incompetência sem tamanho dos outros dois times grandes da Itália, que “deixaram” a moribunda Juventus pós Série B se recuperar nessas condições e tornar-se dona da Itália.

Para completar, nossos outros dois “coirmãos” não suportaram a lama sozinhos e foram vendidos (ou estão em processo – caso do Milan) para ver se o dinheiro será capaz de devolver as glórias de outrora.

Por isso, se você que não é italiano perguntar a algum bianconero (não precisa que este seja italiano, apenas que seja torcedor mesmo e não ‘simpatizante’ da Juventus) se não seria “legal para o campeonato” que houvesse outros vencedores que não a Juventus, este vai se encher de orgulho e rebater seu argumento, dizendo que sofremos na pele sozinhos (as punições de Milan, Lazio e Fiorentina foram apenas meras formalidades) e que, se possível, vamos ganhar os próximos cinco scudetti, pela honra e glória bianconera.

Agora, após esta pequena introdução, ontem (05) foi realizado o Derby d’Italia entre Juventus e Internazionale na cidade de Torino.

Autor do único gol da partida (e que gol!), Cuadrado foi o melhor em campo. Foto: Juventus.com
A Juventus era a líder do campeonato, renovada com a formação dos últimos jogos (com Cuadrado, Dybala, Mandukic e Higuaín jogando juntos) e enfrentava uma Inter embalada por sete vitória consecutivas, fazendo com que seu técnico, jogadores e torcedores acreditassem que uma vitória em cima da Juventus em Torino poderia colocá-los de volta a disputa do campeonato.

Allegri repetiu o 4-2-3-1 que vem dando certo e renovou o espírito da torcida e dos jogadores, colocando a Juventus em campo da seguinte maneira: Buffon, Lichsteiner, Bonucci, Chiellini, Alex Sandro; Khedira, Pjanic, Cuadrado, Dybala, Mandzukic; Higuaín.

Jogo começou tenso, a Juventus teve boas chances no início. A Inter logo equilibrou o jogo. Dybala em linda batida de fora da área e Pjanic, de falta, acertaram o travessão do goleiro Handanovic. Enquanto isso, os jogadores da Juventus eram amarelados por Nicola Rizzolli e Gagliardini podia bater a vontade, com a benção da arbitragem.

No final do primeiro tempo, aos 44 minutos, depois de batida de escanteio pelo lado esquerdo do nosso ataque, a defesa interista rebateu a bola para a intermediária, quando ele, o colombiano que ganhou a titularidade com o novo esquema, nosso motorzinho pelo lado direito, encheu o pé, marcando um GOLAÇO, sendo comemorado por todos seus companheiros, reconhecendo a importância de Juan para todo o time.

O jogo seguiu tenso até seu término. Ambas as equipes tiveram chances de gols, mas a Juventus soube controlar os nervos até o final. Mesmo com a arbitragem distribuindo cartões amarelos para nós. Aos 49’ do segundo tempo, após os jogadores da Inter quererem apitar o jogo inteiro, o árbitro expulsa Perisic do jogo.

Não havia tempo para mais nada, a Juventus garantiu a vitória por 1x0, fez a festa e garantiram os três pontos que valeram por nove (três ao Cuadrado): três pontos pelo campeonato (que nos deixa em uma boa situação), três pontos a menos para a Inter (que fica mais distante da classificação a próxima UCL) e coloca mais três na conta do Moratti.

Isso, meus amigos bianconeri, graças ao chute do nosso irreverente Juan Cuadrado. O colombiano nunca escondeu sua felicidade em atuar pela Juventus. Sempre muito carismático, querido pelos jogadores e pela torcida, Cuadrado vem tendo sua melhor sequencia de jogos desde que chegou a Torino. Homem do jogo!

Sempre visto como um jogador útil para entrar no segundo tempo e dar novo fôlego ao time, Cuadrado, assim como Mandzukic e Pjanic ganhou sobrevida com o 4-2-3-1 que Allegri pôs em prática desde a derrota para o Milan na Supercoppa. Tal esquema parece mostrar a força do elenco montado para essa temporada.

Vitória suada e comemorada! Foto: Juventus.com
Marchisio entrou em campo após sequencia de alguns jogos fora. Nitidamente tenta retomar o futebol de antes da lesão. Dani Alves entrou pela primeira vez em campo após se recuperar da lesão na fíbola. Totalmente sem ritmo de jogo, o lado direito tornou-se vulnerável com sua entrada. Rugani foi a outra mexida de Allegri, para travar o jogo aéreo interista.

Destaque para a ótima partida de Chiellini. Dispensa apresentação, mas a solidez defensiva do narigudo é impressionante. Mandzukic sempre surpreendendo com sua onipresença. Higuaín recebeu poucas bolas, mas segurou as que recebeu, fazendo pivô, prendendo a marcação. Muito importante. Por fim, apenas um último destaque individual dentre a boa/muito boa apresentação coletiva, de Alex Sandro. Impressionante a fase que vive o lateral brasileiro. Em minha opinião o Brasil conta com os três melhores laterais-esquerdo do mundo. Alex não deve em nada a Marcelo e Filipe Luis, pelo contrário.

Para a Juve o importante é focar no restante da temporada. Temos jogos duros pelas copas e pelo campeonato. Serão mais três enfrentamentos com o Napoli (duas pela Copa Itália e uma pela Série A), um contra a Roma no olímpico, Porto pela UCL... Podemos fazer história.

Fino alla fine, FORZA JUVENTUS!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.