Header Ads

Público zerado e placar zerado também

Mais uma vez com o estádio vazio, lá estava CRB e CSA em campo, dispostos a fazer mais um bom duelo no ano de 2017. O jogo bastante corrido, o Regatas bem melhor em campo, mas não conseguindo marcar e sair com a vitória. O Azulão do Mutange encerrou a primeira fase invicto com o empate.

O jogo

Começando muito melhor, finalizando mais vezes e tendo Maílson como principal jogador e criador de oportunidades, o CRB foi mostrando certa superioridade após a eliminação vergonhosa da quarta-feira passada contra o Itabaiana no Estádio Rei Pelé. Nos 15 primeiros minutos, uma chance clara para cada lado. Jacó sozinho perdeu oportunidade clara no um contra um contra Juliano. Já a chance criada pelo CRB, feita por Maílson, fintou dois atletas e saiu livre para finalizar contra o goleiro Mota.

Chico, jogador que chegou para ser mais reserva do que titular, ganhou espaço. Aproveitando a titularidade, fez ótimas jogadas nos primeiros minutos do primeiro tempo. Maílson e Boaventura receberam terceiro cartão amarelo e desfalcam a equipe na primeira rodada do hexagonal.

Em duas cobranças de falta, Daniel Costa para o CSA e Diego para o CRB finalizaram, nas duas oportunidades a bola passou perto do gol e levou perigo para os dois goleiros. Não houve mais alguma jogada que deixou a partida "pegando fogo".

Segundo tempo

Mesmo com a bola nos pés, não foi tanto perigosa as investidas do CRB no ataque. Elias não se entendia com a bola e se atrapalhava todo quando tentava criar chances. Os meio-campistas do Galo não estavam criando oportunidades suficientes para servir os dois atacantes da equipe. Maílson nos primeiros minutos não conseguia ter o mesmo brilho da primeira etapa em suas jogadas individuais. No lado adversário, Soares apagado em campo não produzia absolutamente nada.

Danilo Pires, camisa dez da equipe não armava e muito menos dava opção no meio para criar as jogadas. Um meio de campo sem criação enfraquece o ataque que também não está muito bem.


Foto: TNH1
Através da bola parada as chances pareciam se tornar mais oportunas para ambas as equipes, principalmente para o CRB. Marcos Martins, Diego e Chico revezavam na hora da bola parada. Boaventura quase marcou de cabeça após cruzamento do meia Chico em escanteio, mas o goleiro Mota fez defesa sensacional e evitou o gol.

As equipes se "retardavam" em campo, erro atrás de erro. A equipe azulina não conseguia acertar os passes mais decisivos, já as Regatas erravam mais na hora da finalização. Os zagueiros do Galo eram os que mais chegavam pra finalizar, invejando o atacante Elias que não conseguia absolutamente nada. 

Foto: TNH1
Brígida, assistente número dois errou em marcar impedimento do atacante Jacó. O jogador estava em posição legal e no lance acabou marcando o gol, mas os jogadores do Regatas já haviam desistido da jogada, já que o árbitro teria apitado para o jogo ser paralisado. Aos 26' Maílson e Yuri saíram de campo para a entrada de Clebinho e Jocinei, respectivamente. Nos contra-ataques, o CSA pecava demais, sempre no último passe ou na finalização. E se um lado errava, o outro também. Marcos Martins sozinho pela direita invadiu a área e chutou em cima do goleiro Mota. No minuto 35' Neto Baiano entrou em campo no lugar de Elias.

Com dois minutos em campo já mostrou muita vontade, e que não entrou para ficar de "mãos livres" em campo buscando marcar o gol. O dono do jogo agora claramente era o Regatas, dono da posse de bola e finalizando bem mais vezes que o adversário. Aos 44' Mota fez duas defesas fantásticas em finalizações de Clebinho e Danilo Pires. E com 2' minutos de acréscimos, o jogo se encerrou aos 47' com o placar de 0 a 0.

Esperando pelo hexagonal

Neste ano, o CRB não conseguiu acrescentar nenhum jogo a sua tabela. Cumpriram os seis jogos que faria na Copa do Nordeste, cumpriu seu único jogo no Alagoano e no estadual era obrigação passar de fase. Os dez jogos da primeira fase do estadual foram finalizados e nos números não foram cumpridas as expectativas da torcida em relação ao time. Agora o Galo espera a tabela de o hexagonal ser divulgada.

Números do clássico:

193 vitórias para o CRB
153 vitórias para o CSA
162 empates

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.