Header Ads

A falácia que menospreza um charmoso futebol que é o francês

Para muitos, dentre as principais ligas do velho continente, o Campeonato Francês é o que menos chama atenção e um dos mais desnivelados quando se fala na qualidade das equipes irrelevantes. Entretanto, nessa temporada os grandes clubes do país estão provando o contrário, apresentando um jogo vistoso, indo longe em competições europeias e tornando assim, a Ligue 1 competitiva comparada às últimas edições da mesma. Os times que mais vêm se destacando fora da França, seja em Liga Europa, ou em Champions League, Lyon e Mônaco, que representam bem o momento vivido pelo futebol local atualmente: Aquém dos resultados, pensam em revelar jovens talentos em prol do futuro da seleção. Exemplos que indicam com clareza tal coisa, são as ascensões inevitáveis de Kyllian Mbappé e Houssem Aouar, consideradas as joias de ambos os clubes.

Dois deles, Thauvin e Mbappé, são presenças certas na seleção e fazem boa temporada no campeonato local. (Imagem: L'Equipe).
As consequências dessa boa fase notável foram refletidas na recente atualização do Coeficiente da UEFA, na qual os franceses apareceram em terceiro (o que garante quatro vagas para a UCL), á frente de ligas mais badaladas do que a local, como Premier League e Serie A da Itália. Todo esse sucesso momentâneo, não é algo repentino e tampouco eufórico, já que desde o início do século, a França investe intensamente nas divisões de base, simbolizado pelo centro de formação de atletas em Clairefontaine, que trouxe aos holofotes nomes como Karim Benzema, Hugo Lloris, Antoine Griezmann e Paul Pogba. Mostrando que os times menores revelam tanto quanto os gigantes, já que 40% dos jogadores constantemente convocados por Didier Deschamps tiveram passagem nas canteiras de equipes pequenas do país.

IDEOLOGIA DE ESTILO

PSG, Mônaco, Nice, Bordeaux e Lyon tem diversos pontos em comum, além de ocuparem as cinco primeiras posições da Ligue 1, independentemente de questões de estágio do trabalho de cada treinador e desempenho ao longo da temporada, ambos apresentam um futebol vistoso e ofensivo, o que não condiz necessariamente com propor o jogo como a maioria, intrinsecamente, pensa. O time comandado pelo português Leonardo Jardim serve como parâmetro a isso, o Mônaco mesmo tendo um ataque potente de uma variedade tremenda para quebrar as linhas de defesa do adversário, tem sua cultura de jogo baseada em reatividade: Ou seja, pressionar o rival e provocar seu erro, para a partir dele conseguir criar oportunidades. Diferentemente do que fazem os outros citados, que manualmente tentam, com a posse de bola, obter êxito nas partidas.

Agora, fugindo um pouco do assunto em si, veja alguns excelentes jogadores que com certeza podem pintar em gigantes europeus nos próximos anos, todavia lidando com a desconfiança de chegarem de um campeonato futilmente taxado como inferior tecnicamente:

Alexandre Lacazette - O atacante de 25 anos, ídolo e artilheiro do Lyon, equipe que o mesmo possui a marca de mais de 100 gols nos Gones, se consolidando no top 5 de goleadores do OL em toda história, ficando atrás apenas de nomes com mais representatividade dentro do clube. Em outra grande temporada, Lacazette já expôs sua vontade de deixar a França no próximo verão europeu; Liverpool, Arsenal, Atlético de Madrid e Tottenham demonstraram interesse na contratação. O que mais impressiona, é a rejeição sofrida pelo atleta do Lyon aos olhos do técnico da seleção, apesar de passar por uma fase maravilhosa, sequer é lembrado nas convocatórias.

Lacazette prova a cada temporada o seu valor. (Imagem: BeinSports).
Bernardo Silva - Inteligente, rápido, driblador e de muita categoria, o baixinho português que surgiu no Benfica é essencial no esquema conservador do Mônaco, onde tem pouca concorrência e sem duvidas divide protagonismo com diversos jogadores. A disputa por Bernardo no mercado que está por vir será intensa, clubes como Manchester United, Internazionale e Real Madrid prometem competir milhão a milhão pelo passe do jovem.

O craque português do Mônaco tem tudo para ser um dos líderes de seu país no futuro. (Imagem: MercattoFoot).
Corentin Tolisso - A responsabilidade de qualquer bom meio-campista é sempre ser tático e versátil no futebol moderno, além dessa doutrina, Tolisso carrega consigo o peso de vestir a camisa do histórico brasileiro Juninho Pernambucano, que marcou época pelo Lyon na década passada. Desde a base, Tolisso exercia funções variadas, quando subiu para o profissional, se tornou volante. Porém, seja com Bruno Génésio ou com Hubert Fournier, o meia atuou de lateral até segundo atacante, e sempre correspondendo. Há quem diga que Corentin tem as mesmas características de Arturo Vidal, craque chileno já reconhecido mundialmente.

 Tolisso é mais um dos ótimos volantes que a França tem em mãos. (Imagem: L'Equipe).

Kyllian Mbappé - 18 anos, personalidade, um espetáculo de se ver jogar. Mbappé pode ser considerado precoce por pular etapas na base e se juntar as estrelas monegascas com apenas 16 anos (na temporada passada). O seu ápice está acontecendo nesse ano, onde é disparado o melhor jogador de seu time, mas no último Europeu Sub-21, o mesmo já destoava dos demais companheiros, sendo premiado como craque do torneio. Na próxima janela de transferência, o ainda garoto Mbappé deverá receber propostas das mais milionárias, recentemente ao ser perguntado sobre uma ida ao PSG, ele declarou que é um time interessante, podendo ser seu destino em breve.

O novo Thierry Henry, assim apelidado, Mbappé tem um grande caminho pela frente. (Imagem: L'Equipe).
Wylan Cyprien - Um dos melhores jogadores do atual campeonato na França, Cyprien foi um achado no mercado para os Aiglons, que trouxeram o meia por uma bagatela de dois milhões de euros para conseguir mais uma das promessas formadas no Lens. Atualmente, Wylan segue no departamento médico após uma grave lesão, contudo isso não deve atrapalhar seu ótimo futebol, que vinha iluminando uma má fase do Nice no ano. Suas virtudes são a imposição física, a velocidade e a capacidade de decidir jogos com os chutes de longe, se assemelhando a Pogba.

Cyprien é diferenciado e para muitos, o sucessor de Matuidi no PSG, já que teve seu nome vinculado ao Paris. (Imagem: BeinSports).
Temporada já em sua reta final, enquanto isso, algumas definições ainda estão pendentes no Campeonato Francês. Principalmente com relação ao título, que tem PSG e Mônaco como principais candidatos, um pouco mais atrás o Nice, fechando o top 3 que permanecerá assim, isso porque o Lyon não tem condições matemáticas de alcançar os Aiglons. No entanto, a disputa mais acirrada nas últimas rodadas, ficará por conta dos times que lutam contra a queda á segunda divisão.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.