Header Ads

Arsenal 2x2 Manchester City: Um empate aceitável

Você deve estar se perguntando: Qual o lado positivo de um empate em casa, quando se é preciso vencer para se recuperar na temporada?

A verdade, é que, se analisarmos o atual momento do Arsenal, este empate, mesmo sendo em nossos domínios, não foi algo tão ruim assim. Infelizmente estamos vivenciando uma das crises mais espantosas da história do clube. Em todos estes anos acompanhando o Arsenal, nunca vi tanta bagunça como agora. A onda de protestos a Arsène Wenger têm sido a tônica dessas últimas semanas, mas, além disso, muitos de nossos jogadores encontram-se em má fase, temos sofrido com a falta de reação da equipe em seguidas derrotas, corremos o risco de perder nossos principais jogadores já na próxima janela de transferências e, na tabela, nos encontramos bem longe do top four – lugar em que o Arsenal sempre esteve durantes esses 20 anos da era Wenger.

Com todos estes agravantes, recebemos o Manchester City neste domingo (02), em partida válida pela 30ª rodada da Premier League, com um certo favoritismo dos Citizens, que vinham de uma excelente apresentação da partida contra o Liverpool, antes da pausa internacional. Eles vieram nos enfrentar com um time extremamente ofensivo, praticamente sem jogadores de marcação no meio-campo e apostando no bom momento de seus homens de frente. O Arsenal, com alguns desfalques: Petr Cech, Aaron Ramsey, Lucas Perez e Oxlade-Chamberlain, todos lesionados – além de Cazorla, fora da equipe há algum tempo.

Como já era previsto, a equipe de Manchester apostou em uma pressão inicial com bastante volume de jogo, logo aos cinco minutos, Leroy Sané aproveitou o espaço deixado por Mustafi, invadiu a área após lançamento de De Bruyne, driblou Ospina e abriu o placar no Emirates. Seguimos sofrendo com a pressão adversária e sem muitas variações. Nossas principais jogadas saiam da esquerda, com Alexis e Monreal. Do lado direito, pouco se viu em jogadas ofensivas, Walcott pouco fez por lá, contudo, foi o autor do gol de empate do Arsenal, após vacilo da defesa do City; Theo, mesmo com um chute sem tanta precisão, venceu Caballero e igualou o marcador, aos quarenta minutos. Mal tivemos tempo para comemorar, já que em seguida, aos quarenta e dois minutos, após um tremendo vacilo do Arsenal, Sérgio Agüero recebeu sozinho na área e chutou cruzado para por os visitantes novamente em vantagem.

Na segunda etapa – sem Koscielny, que saiu lesionado dando lugar a Gabriel – o Arsenal conseguiu logo nos primeiros minutos impor alguma pressão e criar oportunidades. Logo aos noves minutos do segundo tempo, Shkodran Mustafi empatou novamente a partida, com gol de cabeça, após cobrança de escanteio de Özil – com este gol, o Arsenal se tornou a equipe com mais gols de cabeça (14) na atual edição da Premier League. Özil por sua vez, com esta assistência, chegou a 38 desde a sua estreia na competição, mais do que qualquer outro jogador neste período.

Uma dupla que dá certo nas bolas paradas (Foto: Stuart MacFarlane)
O que se viu após o gol, foram os Gunners tentando a virada, com quase todas as jogadas passando pelo lado esquerdo do ataque. O City, entretanto, conseguiu diminuir tal ímpeto do Arsenal, através da posse de bola, que chegou a ser de mais de 60% na metade do segundo tempo. Eles chegaram a oferecer perigo, mas pararam em Ospina, que desta vez, teve uma boa atuação, assim como Nacho Monreal, que fez uma partida que merece elogios, sendo se não o melhor, um dos melhores em campo pelo Arsenal. Com o empate, o Arsenal segue em 6º lugar na Premier League, distante dos quatro primeiros.

O time continua bem longe de sua forma ideal, nossa defesa apesar de formada por defensores de bom nível, continua sofrendo muitos gols e permitindo muitas chances ao adversário – algo necessário a ser corrigido. Com os desfalques de Cazorla, Ramsey e Ox, tivemos volantes de difícil transição para o terço final do campo e com pouca influência nas jogadas ofensivas. Xhaka e principalmente Coquelin se limitaram apenas a marcar e a sair jogando, com muitos erros de passe – além dos cartões que ambos levaram. Özil, apesar da assistência, se mostrou muito longe de seu bom nível, principalmente por estar voltando à equipe neste domingo. No ataque, tanto Welbeck, quanto Theo Walcott pouco fizeram, mesmo o camisa 14 sendo autor de um dos gols do time. Alexis Sanchez como sempre, lutou e tentou muito, mas desta vez não teve a mesma felicidade de outros jogos.

Temos muito a melhorar, precisamos reagir e sair desta crise estabelecida na equipe, é o momento de dar uma trégua a toda esta onda de protestos, ao menos durante os noventa minutos de cada jogo. É preciso apoiar, torcer e passar confiança aos jogadores. Podemos terminar de forma digna esta temporada, lutando para voltar ao top four e brigar em possíveis dois jogos cruciais em Wembley, para conquistar mais uma taça de FA Cup. Não seria suficiente para salvar a temporada, longe disso, mas seria um bom suporte para um recomeço na próxima temporada, independente das incertezas que temos hoje. É hora de reagir, a começar pela próxima quarta-feira (05), em duelo londrino contra o West Ham, novamente no Emirates Stadium.

Por: Thalles Monari // Twitter: @_thallesmonari

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.