Header Ads

El Clásico: Jogo esplêndido, resultado frustante

O Real Madrid, vindo de classificação na Champions League na última terça-feira (18/04), enfrentou neste domingo (23) o Barcelona, pelo Campeonato Espanhol. Em jogo válido pela 33ª rodada da La Liga, a equipe merengue saiu do Santiago Bernabéu derrotado, no último El Clássico da temporada.

Tudo indicava que seria uma vitória fácil e sem complicações para nossa equipe — no lado da equipe catalã, havia infortúnios: Neymar suspenso e fora do jogo, equipe supostamente abatida com eliminação na Champions League, cenário conturbado e jogadores importantes em má fase. Seria hipocrisia refutar as adversidades citadas acima. Realmente, não estava nada fácil para a equipe da Catalunha.

Do outro lado, os ares estavam em perfeitas condições. Real Madrid classificado para as semifinais da Champions League, líder do Campeonato Espanhol com um jogo a menos e sonhando com um eventual doblete. Porém, como estamos tratando do melhor clássico do mundo, onde a imprevisibilidade impera, com bola rolando a história foi outra. O Real Madrid foi à campo com o que tinha de melhor. Os 11 iniciais de Zinedine Zidane foram: Keylor Navas; Marcelo, Sérgio Ramos, Nacho e Carvajal; Kroos, Casemiro e Modric; Cristiano Ronaldo, Benzema e Gareth Bale.

(Foto: Real Madrid C.F. - Facebook)
No começo do primeiro tempo, o Real Madrid começou melhor e ofereceu mais perigo nos primeiros minutos. Em menos de 5 minutos já havia acionado Ter Stegen — em rápido contra-ataque, Cristiano Ronaldo avançou, deu um corte de letra em Piqué, soltou a bomba e obrigou o goleiro alemão fazer boa defesa. Alguns minutos depois, Cristiano Ronaldo novamente avançou pela ponta-esquerda, cortou para o lado e finalizou forte ao gol. Ter Stegen novamente fez boa defesa.

Aos 27', Kroos cobrou escanteio e Ter Stegen socou a bola. Marcelo pegou a sobra, cruzou na área e encontrou Sérgio Ramos, que acertou na trave e bola acabou sobrando para Casemiro fazer o primeiro gol da partida. Não demorou muito para o Barcelona empatar — com 31 minutos de jogo, Messi recebeu na entrada da área, fez fila na zaga e chutou no canto do gol, empatando a partida.

Durante a primeira etapa, o Barcelona passou a obter mais posse de bola e ditar o ritmo do jogo. Trocava passes no meio-campo, conseguia se livrar da marcação adiantada do Real Madrid e estava melhor até então. Pra piorar, em meados dos 40 minutos, Gareth Bale sentiu dores e saiu lesionado de campo, dando lugar ao querido da torcida e ótimo jogador Marco Asensío. O galês não era cotado para a partida de hoje, mas fez um esforço para estar em campo. Infelizmente não conseguiu jogar os 90 minutos. Sequer metade disso.

SEGUNDO TEMPO

Dei ênfase ao citar o termo "segundo tempo" pelo espetáculo que as equipes apresentaram em campo. Onde já estava bom antes, mas que na segunda etapa tomou proporções inimagináveis. O jogo ficou mais intenso, mais pegado, mais disputado, jogadores demonstrando muita gana e vontade de vencer. Um jogo digno do tamanho deste clássico, muitíssimo estimado mundialmente.

No segundo tempo, os goleiros Keylor Navas e Ter Stegen foram uns dos grandes destaques, fazendo várias defesas importantes e boas interceptações. Teve defesa de mão trocada, de handebol, à queima roupa, com os pés e por aí vai. O placar teria sido mais amplo para as equipes se não fosse as boas defesas de seus respectivos goleiros. O goleiro alemão fez 12 defesas no total, contra seis do goleiro costarriquenho. Há uma diferença considerável, mas o goleiro que roubou a cena no jogo mesmo foi o da equipe catalã - o grande responsável por assegurar a vitória da equipe adversária.

O segundo gol do jogo foi do Barcelona — aos 73', Rakitic finalizou de fora da área e virou a partida marcando um belo gol. Sem chances para Navas. Aos 77', em contra-ataque perigoso iniciado por Messi, Sérgio Ramos deu carrinho "criminoso" e foi embora mais cedo pra casa. Expulso pelo mesmo árbitro que o expulsou na vitória por 2-1 no Camp Nou, na temporada 15/16. Mesmo com um a menos, o Real Madrid pressionou e conseguiu o empate: Aos 85', Marcelo avançou pela esquerda, cruzou para James, que não perdoou e empatou a partida. Porém, o Real Madrid não contava com a astúcia de seu maior carrasco: Lionel Messi.

O árbitro havia dado 2 minutos de acréscimos, suficiente para o argentino fazer o gol da vitória no último minuto. Mesmo com um jogador a menos, o Real Madrid não abdicou da marcação adiantada, pressionando até mesmo a saída de bola do goleiro, e acabou sofrendo as consequências com isso. Com lentidão na reposição merengue, Sergi Roberto avançou com a bola no pé e construiu a jogada até chegar em Jordi Alba. O lateral espanhol devolveu rasteiro e Messi finalizou no cantinho, acabando com a partida e sacramentando a vitória do clube catalão. FT: Real Madrid 2-3 Barcelona.

O Real Madrid perdeu a liderança. É vice-líder por conta do critério de saldo de gols e confronto direto. Tem pela próxima rodada do Campeonato Espanhol a modesta equipe do Deportivo La Corunã, na próxima quarta (26), no Municipal de Riazor. Vale ressaltar que temos um jogo a menos, que será realizado contra o Celta de Vigo, no Balaídos. #HalaMadrid

Por: Kayo Henrique | | Twitter: @Heenrique010

Um comentário:

Tecnologia do Blogger.