Header Ads

Furacão Irreconhecível

Com a cabeça na Libertadores: Atlético é atropelado na estreia do Brasileirão em Salvador.

Bahia x Atlético-PR (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / E.C. Bahia)
Irreconhecível, CAP sucumbe ao Bahia. Felipe Oliveira / Divulgação / E.C. Bahia

Com certeza o torcedor do furacão que não acompanhou a partida inaugural do Brasileirão, contra o Bahia, ao tomar conhecimento do resultado, caiu da cadeira. Beira o quase inacreditável, tomar quatro gols em apenas sete minutos, o pior, vencíamos a partida até este "apagão". 6-2, a primeira coisa que me passou pela mente foi o fatídico Brasil x Alemanha da Copa de 2014.

O que aconteceu com o Furacão? Devolvam-nos aquela solidez defensiva do ano passado. Autuori perdeu influência no vestiário? Jogadores não estão na melhor de suas temporadas? Existe um racha no grupo? Não vou especular o que de fato acontece no CT do Caju, mas não foi esse o Atlético que conseguiu a vaga na Libertadores.

Sobre o jogo não há o que dizer. Esse placar exageradamente dilatado salta aos olhos, não tem como defender algo. O que foi exaltado como um notável ponto positivo para o Atlético, a continuação, a manutenção do trabalho com a permanência de Paulo Autuori no comando técnico do Rubro-Negro, parece ter descido a ladeira. Nem de longe esse Atlético lembra o de 2016.

Sim, seria oportunista dizer que a temporada não é boa somente pelo jogo de ontem, quando o CAP poupou vários jogadores vislumbrando a batalha por uma vaga as oitavas da Libertadores. Não, não é apenas pelo histórico vexame em Salvador, às atuações falam por si, aliás, não tem falado ultimamente. A base do elenco foi mantida, com algumas adições festejadas que seriam as contratações do salto de nível, qualificando o plantel. Chegaram Jonathan, Eduardo Henrique, Douglas Coutinho, Luis Henrique, Carlos Alberto, Gedoz, Grafite, Eduardo da Silva e mais recentemente Guilherme, que até fez um dos gols do Atlético contra os baianos.

Guilherme fez a primeira partida pelo Atlético-PR contra o Bahia (Foto: Marco Oliveira/ Atlético-PR)
Guilherme estreou vestindo a camisa do CAP com gol. Marco Oliveira/ Atlético-PR 
Até agora, foram 28 partidas oficiais no ano, por Paranaense (17), Libertadores (9), Copa do Brasil (1) e Brasileirão (1). A defesa do Furacão foi vazada 34 vezes, 16 somente no campeonato estadual. A título de comparação, até o presente momento, o Furacão sofreu mais gols do que em todo o Brasileirão de 2016, onde obteve a melhor defesa do campeonato juntamente com o campeão Palmeiras, 32 gols ultrapassaram o sistema defensivo atleticano na disputa do Brasileirão passado. A baixada esta temporada também não tem sido o caldeirão histórico, derrotas, muitos empates e vários gols sofridos.

No meio de semana o Furacão terá um compromisso decisivo, duelo de vida ou morte no Chile, em Santiago contra a Universidade Católica. O elenco do CAP chegou nesta segunda (15) em território chileno, onde concluirá a preparação para o embate final do Grupo 4 da Libertadores, vencendo a classificação estará garantida, independentemente do que ocorra no outro jogo do grupo entre San Lorenzo e Flamengo, na Argentina.

Atlético-PR desembarca em Santiago; Nikão está entre os 22 relacionados (Foto: Site oficial do Atlético-PR/Divulgação)
Nikão desembarcou com a delegação de 22 jogadores no Chile. Reprodução/Site oficial do Atlético.
Escalação do CAP x Bahia: Weverton, Jonathan (João Pedro), José Ivaldo, Cleberson, Marcão, Sidcley, Eduardo Henrique, Bruno Mota (Matheus Rosseto), Guilherme, Douglas Coutinho, (Nikão), Eduardo da Silva. Téc. Paulo Autuori.

Próximos jogos do Atlético:

Libertadores: 17 de Maio - 21h45minh (hora de Brasília) - San Carlos de Apoquindo.
U. Católica x Atlético.

Brasileirão: 21 de maio - 16h (hora de Brasília) - Arena da Baixada.
Atlético x Grêmio.

Por: @carlosjr92educa
Carlos Alberto de Sousa Júnior - Colunista do Atlético Paranaense

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.