Header Ads

Na raça e na paixão, Flamengo Campeão Carioca 2017

Foi sofrido, parecia que não ia dar. O Fla-Flu decisivo desse último domingo foi um daqueles jogos memoráveis, mais um. Desde o 3 a 3 na Final da Taça Guanabara que terminou com o Fluminense campeão nos pênaltis, Flamengo e Fluminense vêm proporcionando aos amantes do futebol, e principalmente aos torcedores, jogos que serão lembrados por um bom tempo. Mas dessa vez foi diferente e com um gosto muito melhor para a torcida Rubro-Negra.

Uma tarde de domingo especial, diferente das outras. Flamengo x Fluminense decidiam um título carioca depois de 22 anos e o título do estadual era importante para as duas equipes. Para o Flamengo, o fim do jejum de três anos sem título e a afirmação de Zé Ricardo no comando da equipe. Já do lado tricolor, o título significaria uma reviravolta da equipe tricolor, que gerava muita dúvida para todos.

O Flamengo jogava pelo empate, entrava em campo se sagrando campeão. O 1 a 0 no primeiro jogo tirou um pouco a pressão do time por um resultado expressivo e um jogo mais incisivo. Porém o adversário não era mais o mesmo Fluminense dos primeiros 45 minutos do Jogo 1, era totalmente diferente. Logo depois da bola rolar a equipe tricolor entrou em campo muito ligado e logo aos 3 minutos de jogo abriu o placar com Henrique Dourado depois de jogada de escanteio. Um gol precoce que poderia mexer com a equipe Rubro-Negra.

O elenco campeão carioca. Foto: Gilvan de Souza / Flamengo 
Jogo truncado, juiz apitando tudo, torcidas duelando no gogó na arquibancada. O clima era nervoso no Maracanã e o placar de 1 a 0 para o Fluminense levava o jogo para os pênaltis. O Flamengo "pós-gol" parecia um time meio assustado e de fato era algo muito compreensivo visto que o adversário no 1° jogo assustou apenas no 2° tempo. O time abalado se somava á dificuldade que o time tinha para furar a defesa tricolor, que marcava muito forte e poucas vezes Guerrero teve a mesma liberdade do domingo passado e os pontas pouco produziam nas extremidades do campo. Pelo meio, o improvisado Trauco também não era criativo e o Flamengo não assustava.

Início do 2° tempo, era hora de ir para cima. A disputa de pênaltis pouco interessava o Flamengo e o placar era muito perigoso, pois um gol do Fluminense deixava os tricolores com a mão na taça e o Flamengo era obrigado a fazer pelo menos um para levar para os pênaltis de novo. Vieram às mudanças, Trauco e Berrío que não estavam bem em campo saíram para a entrada de Rodinei e Gabriel. A partir daí o jogo mudou (assim como na Libertadores, a entrada de Rodinei fez a diferença) e o Flamengo foi pra cima do Flu, que parecia acuado.

O Flamengo pressionava com Éverton e Guerrero, mas Cavalieri fazia boas defesas e a zaga tricolor cortava se não a maioria, todas as tentativas de cruzamento do Fla. Após muito insistir, em uma cobrança de escanteio, Réver testou, Cavalieri bateu roupa pro meio da área e Guerrero, matador e artilheiro do campeonato, fez o 12° gol dele no ano, o 10° dele no carioca. O Maraca veio abaixo aos 40 minutos do 2° tempo.

Os homens do título. Guerrero empatou e Rodinei virou. Foto: Gilvan de Souza / Flamengo
Após o gol de Guerrero, o jogo virou ataque total do Fluminense, que precisava marcar para levar o jogo para os pênaltis. Em um contra-ataque puxado por Rodinei, o camisa 2 driblou Cavalieri e sem poder fazer nada além da falta, foi expulso. Com isso, Orejuela foi para o gol e em mais um contra-ataque fatal de Rodinei, o lateral direito Rubro-Negro atravessou o campo, virou o jogo e deu o título para o Mengo. Depois disso foi só (literalmente) correr para a galera. Mengão campeão carioca pela 34° vez.

Opinião:

Já era hora, o Flamengo precisava desse título e nada mais especial e justo para o campeonato que as duas melhores equipes da competição fizessem a grande final. O título Carioca representa para o Flamengo a afirmação de Zé Ricardo, o fortalecimento do grupo, a moral para o resto do ano, tudo isso gira em torno. É preciso destacar alguns pontos: A força da equipe do Fluminense, que fez um grande campeonato Carioca e dará trabalho no Brasileiro, a reviravolta de Márcio Araújo conquistando a torcida do Flamengo (algo extremamente improvável) e a fase de gala que vive Paolo Guerrero, que praticamente é o dono do time após a lesão de Diego.

Terminada as considerações, agora é focar na próxima partida contra o Atlético-GO pela Copa do Brasil na quarta-feira, no Maracanã e entrar com tudo no Campeonato Brasileiro no próximo sábado, contra o Galo Mineiro, também no Maracanã.

REI DO RIO! SOMOS CAMPEÕES!
Vamos, Flamengo!

Por: Matheus Subtil
Twitter: @matheusubtil 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.