Header Ads

Depois do vexame, a reconstrução

O golpe (baixo) da última quarta-feira ainda lateja na cabeça dos Rubro Negros, não tá sendo fácil digerir mais um vexame em competições internacionais, a terceira seguida em Libertadores. O jogo de hoje precisava de um respiro, a torcida precisava, era necessário. O Flamengo entrava em campo pressionado, cobrado contra um dos favoritos ao rebaixamento nesse ano e que já vinha de uma goleada na última segunda-feira. Era preciso tirar o pé da lama.

Atlético-GO e Flamengo entraram em campo pela 2° rodada do Brasileirão e os dois times precisavam mostrar para as suas respectivas torcidas que algo tinha mudado da última partida das duas equipes. Para o Dragão, o time tinha de mostrar que a goleada sofrida contra o Coritiba na segunda-feira tinha sido algo isolado, porém não é fácil fazer isso contra o Flamengo (recém-eliminado da Libertadores) que vem com sangue nos olhos para levar o hepta pra casa. Para o Flamengo, era preciso mostrar tudo, da jogada mais manjada da equipe até as novas, das peças carimbadas até as novas joias que vêm para brilhar no futebol, era preciso começar do zero após a última quarta.

Como era de se esperar, início de jogo nervoso. As duas equipes pareciam recuperar a confiança com o decorrer da partida, dessa forma, o começo do jogo foi muito nervoso e fraco tecnicamente. Com o passar do tempo, os times pareceram apresentar suas estratégias e daí o jogo se desenrolou com o óbvio: Flamengo indo para cima do Atlético, que esperava uma brecha para ser fatal com (o rechonchudo) Walter. 

Equipe unida na comemoração do 2° gol.  / Foto: Staff  Flamengo
As chances saíam, mas a finalização era ruim, o goleiro defendia, a bola não chegava. Era sempre um problema diferente para sair o gol e o jogo se desenrolou assim durante todo o 1° tempo. Apenas aos 40 minutos, Trauco fez boa jogada pela lateral esquerda e cruzou para Damião (substituto de Guerrero, poupado) que chutou prensado e no rebote Éverton, um dos jogadores mais regulares do ano, mandou um balaço para o fundo do gol e abriu o placar para o Mengão no Serra Dourada.

A segunda etapa começou já agitada, em lindo lançamento de Trauco (que voltou a ter boa atuação) para Arão, o camisa 5 ajeitou de peito com muita classe para Damião meter de primeira para o fundo do gol e ampliar o placar para o Fla, que dominava o jogo com tranquilidade. Após o 2° gol, o Flamengo mostrou sua força ofensiva de vez e foi muito superior ao adversário. Ederson, que voltou a ser titular e jogou muito bem, teve a chance de marcar o 3°, mas o goleiro defendeu. Logo após, Damião e Matheus Sávio tentaram fazer, mas o goleiro fez grandes defesas e no rebote a bola sobrou para Rodinei, que vive um momento iluminado com a camisa Rubro-Negra. O lateral marcou o 3° gol do Fla na partida e o seu 4° no ano.

Já no fim do jogo, a estrela em ascensão Vinicius Jr ainda entrou em campo para começar aos poucos a entrar no ambiente dos profissionais. O menino jogou pouco mais de 8 minutos e pode-se dizer que a diferença para a estreia no último sábado foi notável. O garoto do ninho entrou muito bem e por pouco não deu uma assistência para Damião após fazer linda jogada pelo lado direito.

O alívio do 1° gol. / Foto: Staff Flamengo
O 3 a 0 de hoje não apaga a vergonha que aconteceu na última quarta, mas dá indícios de que o time sentiu o golpe e que possivelmente vai responder de maneira positiva. Isso ficou claro na disposição de Ederson, que abriu a cabeça no meio do jogo e deu a vida e campo e também deu para sentir a união da equipe no momento da comemoração dos dois últimos gols principalmente. Ainda há muito que trabalhar, muito que sofrer, mas esse foi apenas o primeiro passo da reconstrução do ano rubro-negro, que começou não faz muito tempo. Não dá mais tempo de chorar por uma competição que já ficou para trás, é preciso superar. A próxima partida será também contra o Atlético-GO e também no Serra Dourada, dessa vez pela Copa do Brasil (1° jogo teve placar de 0 a 0, no RJ). 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.