Header Ads

As peculiaridades de um charmoso futebol holandês

A última temporada no mais famoso campeonato dos Países Baixos, a Eredivisie, foi um tanto quanto atípica. Apesar dos grandes clubes holandeses estarem presentes na luta pelo caneco, a disputa em si teve uma tônica distinta em comparação a edições anteriores. Recentemente, a disparidade de PSV e Ajax (times mais consistentes no país neste século) para os demais, até mesmo a terceira colocação, era enorme. Nesse ano, ambos oscilaram mais do que o corriqueiro e, deram margem para o crescimento do Feyenoord ao longo da competição. Contudo, a equipe de Rotterdam manteve o ímpeto, e quebrou um jejum inimaginável levando em conta os problemas vivenciados nos últimos anos, garantindo ida direta á competição de clubes mais importante do continente. Enquanto as outras vagas em torneios europeus, ficaram dividas entre Ajax (Liga dos Campeões), PSV (Liga Europa), Utrecht (Liga Europa) e AZ (Liga Europa). 

O ídolo Kuyt, teve papel fundamental para a grande conquista do Feyenoord. (Imagem: DailyMirror).

Com relação a times de porte médio que fizeram temporadas acima das expectativas, podemos ressaltar, especialmente, o Heerenveen que é um dos mais tradicionais do país, mesmo tendo desempenhado papéis pífios desde o início da década. Algo que chama atenção no estilo de jogo da equipe, é o característico padrão holandês de priorizar a reatividade. Transição veloz, defensores que têm qualidade no primeiro passe e pontas habilidosos, que muita das vezes destoam facilmente. A nona posição no final da temporada, pode ser considerada pouca para um time que teve um dos melhores ataques do campeonato, mas que não obteve constância durante toda a Eredivisie.


Apesar da posição razoável, a temporada do time mais simpático da Holanda foi excelente. (Imagem: SkySports).

Na acirrada batalha contra a queda, o mais esperado aconteceu: times de investimento aquém do nível da liga, junto com os recém chegados a elite, brigaram todavia diante de um eminente rebaixamento. Dentre esses, o conhecido Sparta Rotterdam, conseguiu escapar da volta a Eerste Divisie, já que havia retornado nessa temporada. Mesmo com clubes relevantes dando o máximo para evitar um vexame, deu a lógica. Go Ahead Eagles (time famoso, principalmente por ter contado com nomes como Marc Overmars no passado) e o NEC tiveram queda confirmada, enquanto o Roda fugiu de sua realidade, vencendo nos playoffs e permanecendo no primeiro escalão da Holanda.


 Confira abaixo alguns dos mais variados destaques da última Eredivisie: 

Nicolai Jorgensen (Feyenoord): Uma excelente aposta que, inesperadamente deu resultados. É assim que muitos podem definir o bom atacante dinamarquês, que fora de dos holofotes, fez 21 gols e assistiu seus companheiros em 11 oportunidades. Afinal, para a maior parte da torcida do Feyenoord, Jorgensen foi o melhor jogador, individualmente, do campeonato. Alto, forte e praticamente vivendo seu auge aos 26 anos, o centroavante deverá ser disputado por equipes importantes nas principais ligas europeias.

Artilharia, consagração e titularidade em sua seleção. Temporada perfeita para Jorgensen. (Imagem: SkySports).

Kasper Dolberg (Ajax): O jovem atacante também dinamarquês, explodiu para o planeta bola nessa temporada. Após eliminações em diversas situações, o Ajax passou por uma pequena e rápida reformulação. Nessas idas e vindas, Dolberg se aproveitou da carência no comando do ataque, e em pouco tempo, virou xodó de sua torcida. Sendo crucial na campanha do vice-campeonato da Liga Europa, as atenções dos gigantes do velho continente foram voltadas em prol de Kasper, que não ficará por muito tempo em Amsterdam.
A jovialidade de quem tem potencial para ser um grande craque. (Imagem: DailyMail).

Sam Larsson (Heerenveen): Desde os tempos que despontava no futebol sueco, muito se ouve falar em Larsson. Sempre agudo pelos flancos, tendo dotes até mesmo de um criador atuando nos lados, teve seu melhor desempenho nessa temporada. Liderando quase todos os quesitos vitais em sua posição, estatisticamente, o jovem conseguiu de fato a firmação no futebol holandês. Considerado um dos mais capacitados no drible no campeonato, Larsson está na mira de diversos times da Premier League, e futuramente o veremos em uma liga de impacto. 

Larsson tem bola para jogar em times maiores nas próprias grandes ligas, mesmo inexperiente. (Imagem: DailyMirror).

Yassin Ayoub (Utrecht): Esse é um daqueles volantes que todo time competitivo no mundo precisa para um bom funcionamento na criação de jogadas. Incansável, o marroquino nascido na Holanda possui como principais características o drible curto e sua tremenda vitalidade. Na temporada, teve exímia importância para a excelente campanha do modesto Utrecht, que se não fosse o poderio financeiro dos grandes, brigaria por título. Vem se falando na possibilidade de Ayoub ser o novo reforço do Ajax, porém fontes ligadas ao atleta já desmentiram o boato.

Talvez um dos mais interessantes no futebol local, Ayoub pede passagem na seleção. (Imagem: SkySports).

Samuel Armenteros (Heracles Almelo): Após uma passagem desastrosa no Feyenoord, o talentoso atacante sueco rodou por times menores em campeonatos alternativos na Europa, até tendo destaque em alguns dos casos. Entretanto, no começo da temporada quando chegou ao Heracles, não se esperava muito dele, tanto que sua ascensão passou desapercebida. Curiosamente, o jogador teve contribuição na maior parte dos gols de sua equipe, sendo oásis de um time pragmático e chamando atenção, marcando 19 gols no total. 

O mais experiente dentre os citados, Armenteros não deve ter tanto mercado, mas ainda é uma aposta válida. (Imagem: DailyMirror).


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.